Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Estados Unidos sancionam presidente da Venezuela

Estados Unidos sancionam presidente da Venezuela
Departamento do Tesouro dos EUA anunciou mais uma sanção individual contra a
 Venezuela em represália à criação da Assembleia Nacional Constituinte
Após vitória expressiva do chavismo na votação do último domingo (30), os Estado Unidos 
responderam com mais sanções: dessa vez, o presidente democraticamente eleito
 Nicolás Maduro Moros foi colocado na lista de cidadãos venezuelanos sancionados pelo
 Departamento do Tesouro norte-americano.
“Como um resultado das ações de hoje, todos os bens de Nicolás Maduro submetidos à 
jurisdição dos Estados Unidos estão congelados, e pessoas dos Estados Unidos estão proibidas
 de se relacionar com ele”, consta no texto da sanção.
Sanções individuais têm sido a nova modalidade de represália empregada pelo governo dos 
Estados Unidos contra governos que contrariem seus interesses. E isso só tem sido possível
porque o país se encontra, desde as sanções aplicadas por Obama em 2015, classificando a 
Venezuela como uma “ameaça não-usual e extraordinária à segurança nacional” dos Estados Unidos.
O governo norte-americano também está ameaçando sancionar qualquer cidadão venezuelano 
que participe da Constituinte.
Na quarta-feira passada, a quatro dias da eleição para a Constituinte, 
 a 13 funcionários do alto escalão do governo venezuelano.
Mais de oito milhões de venezuelanos votaram no domingo, segundo dados oficiais (Foto: Telesur)














Porém, a legalidade dessa estratégia tem sido cada vez mais questionada, uma vez que esse tipo
 de sanções viola não só a Carta da Organização dos Estados Americanos (OEA; Capítulo 4,
artigo 20), como também outros tratados internacionais dos quais os Estados Unidos 
são signatários.
Ainda que, em um primeiro momento, as sanções ao presidente Nicolás Maduro tenham
 efeitos menos daninhos do que as sanções econômicas que haviam sido prometidas por 
Donald Trump na última semana, os efeitos políticos e econômicos a longo prazo serão, sem 
sombra de dúvidas, muito nocivos ao país e à população venezuelana. Em um momento em que 
o chavismo se fortalece internamente, isolar o governo venezuelano parece ser a nova arma do 
imperialismo para derrocar o processo revolucionário.
Clique aqui para acessar as sanções.
Clique aqui para acessar o comunicado de imprensa oficial do Departamento do Tesouro 
dos Estados Unidos.
Enviado por Carmen Diniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário