Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Pedido de pauta: POPULAÇÃO RIBEIRINHA, VÍTIMA DA Lama de Ferro VALE/SAMARCO150 famílias desassistidas sem água e comida

https://www.facebook.com/fernanda.tardinii/posts/10208024892837956

Solidariedade na Luta:
SOS DESABRIGADOS pela Lama de Ferro da VALE/SAMARCO
Mais de 150 familias, desabrigadas e com sua fonte de renda acabada pelo maior crime ambiental do Brasil, está sem assistencia. Estas familias, ocupam hoje a Fazenda Agril e são população ribeirinha, não são e nem estao assistidas pela VALE/SAMARCO.
Precisam de alimentos ( mais de 2000mil litros de água foram doados hoje, para atender temporariamente estas familias, ). Dia 25 de dezembro, uma camarada sairá para levar água a estes desabrigados.
PRECISAMOS DE DOAÇÕES e de voluntários para ponto de coleta e , para mobilização durante todo o dia de amanha.
Se Juntos, acabaremos cedo. Bora? Colocar pontos em locais acessíveis, como porta de supermercado e praças.
Voluntarios, identifiquem-se abaixo

-01:00
135 visualizações
---------------------------------------------------------------------------------------https://www.facebook.com/profile.php?id=100009325318933
Arthur Augusto Santos adicionou um novo video.
2 h ·
SOS refugiados da lama tóxica da Samarco/Vale e BHP.
“O nosso emprego era o rio, sem o rio nos estamos desempregados. O que em Regência hoje pra nós tem valor mais? Acabou. A Samarco, ela tirou nosso valor, ela acabou com nós, ela matou nós. A nossa mãe que nos sustentava, que era o Rio Doce, isso ela tirou de nós. E hoje o único lugar que achamos foi a rumo do MST. Tamo aqui aguardando o grito que a Samarco e a Vale vai fazer com nós ribeirinhos, pescadores, indígenas. Nós estamos aqui aguardando esse grito”.
Catia Alvarenga do Santos, 48 anos, ribeirinha da foz do Rio Doce, nascida e criada em Regência.
O fluxo de migração dos habitantes da foz do Rio Doce para a fazenda Agril ocupada pelo MST é constante, todo dia chegam mais refugiados da lama da Samarco/Vale. Os que chegaram na primeira semana eram em maioria pescadores desolados. Mas o que tem acontecido é um fluxo de migração de pequenos comerciantes e moradores da região que não param de levantar barracas na ocupação. Sem fonte de renda para pagar suas contas, encontraram no acampamento do MST um refúgio a catástrofe.
Ao entrar em suas barracas encontrei o que não imaginava. Muitos estão trazendo todos seus pertences. Uma casa sob a lona. A POPULAÇÃO NÃO TEM SUPORTE ALGUM DOS CRIMINOSOS. Os que pagam aluguel estão abandonando suas casas pois não possuem mais renda. As contas continuam vindo, inclusive a de água, mesmo com a condição precária do abastecimento que está sendo efetivado a partir de um poço que contém a água do lençol freático completamente contaminado pela mineradora.
Sem terra, sem água e sem peixe, muitos se dirigiram as lonas do MST. Dos que ficaram, muitos passam fome. Obrigados a se alimentar dos peixes contaminados, já que também suas plantações ficaram completamente comprometidas pela inviabilidade de irrigação que utilizava a água no manancial atingido, os que viviam do rio – ribeirinhos, pescadores e indígenas - estão sendo expostos a contaminação. A população está consumindo água contaminada em Regencia e já tem casos de internação.
Sem aporte dos governos, a mídia silenciada e os criminosos isentos de suas obrigações de reparação, resta a nós, sociedade civil, nos organizarmos para arrecadar água e alimento.
Conseguimos uma carreta para o transporte e uma quantidade ainda pequena de água para o contingente de pessoas.Peço ajuda a todos que puderem contribuir, por favor entrem em contato.
(27) 99756-6313 - Arthur Augusto Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário