Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

sábado, 28 de novembro de 2015

nota do MST : ' A Vale comete crime ambiental e quem protesta é preso?!'

Via Carmem Diniz

Protesto contra tragédia de Mariana termina em briga e prisões na Câmara
 
SOLIDARIEDADE DE 200 ADVOGADOS DA REDE NACIONAL DE ADVOGADOS POPULARES PRESENTES EM BRASILIA 
 
200 advogados da Rede Nacional de Advogados Populares fazem vigilia em frente a Policia Civil Especialidade de Brasilia e exigem a liberdade dos 4 jovens presos por prestar solidariedade às vitimas de Mariana-MG dentro do Congresso Nacional e denunciar o modelo destrutivo das empresas da mineração como a Vale e a Samarco.


segue abaixo a nota do MST

A Vale comete crime ambiental e quem protesta é preso?!
O MST vem a público denunciar e repudiar veementemente a prisão de quatro jovens do Movimento após uma intervenção na Câmara dos Deputados Federais em solidariedade às vítimas de Mariana e contra o novo Código da Mineração, nesta quarta-feira (25), em Brasília, ao denunciarem o crime ambiental causado pela mineradora Samarco e a Vale.
Ironicamente, os militantes foram detidos e transferidos para a carceragem da polícia civil acusados de crime ambiental ao realizarem uma intervenção em que trouxeram argila com água, justamente para denunciar o crime cometido pela mineradora. A soma das acusações chega a 4 anos de prisão.
Quatro jovens do MST são presos por sujar paredes da Câmara com lama numa intervenção teatral (limpas depois de alguns minutos), enquanto diretores da Vale foram responsáveis por mortes, desaparecimento de pessoas, destruição de centenas de lares, contaminação ambiental por lama tóxica, e continuam todos soltos?!
Esta ação violenta da Polícia Legislativa somada a outros recentes episódios na casa apenas demonstram a arbitrariedade do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acuado com os inúmeros protestos que pedem sua saída da presindência da casa por causa das recentes denúncias de corrupção que envolvem sua pessoa.
Os cerca de 200 advogados reunidos no Encontro da Rede Nacional dos Advogados e Adovagadas Populares (Renap) fazem vigília em frente à delegacia de Polícia Especializada, local em que os jovens estão detidos.
O MST espera que sejam tomandas as devidas providências por parte do poder judiciário para que seja revisto esta postura antidemocrática e violadora de direitos humanos cometida pela atual lógica vigente da "Casa do Povo".
Direção Nacional do MST
Brasília, 25 de novembro de 2015
 
A VOTAÇÃO DO CÓDIGO DA MINERAÇÃO É UMA AFRONTA A SOBERANIA
Cerca de dez jovens realizaram ontem (25/11/15) uma intervenção artística no Hall da Taquigrafia da Câmara dos Deputados, pedindo punição a empresa verdadeiramente culpada SAMARCO (VALE e BHP Billiton) pelos danos causados a população, aos trabalhadores, a economia e ao meio ambiente nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Outra pauta da intervenção artística é a NÃO votação do novo marco regulatório que está sendo articulado para os dias 08 e 09 de Dezembro, na Câmara dos Deputados. Incluir "perfumarias ambientais" dentro do texto e manter a liberalização de acesso das empresas transnacionais ao subsolo do país é uma afronta ao povo brasileiro, num cenário em que não existe culpado, só existe dano e morte no estado de Minas Gerais.
Por isso o Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Ação Sindical Mineral (ASM) e o Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração são contra a votação do código nesse momento por acreditar ser necessário um amplo debate com a sociedade sobre os diversos temas que estão envolvidos na mineração e não apenas a "perfumaria ambiental".
Brasília, 26 de novembro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário