Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas. Clique na imagem acima.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Comentario e conjuntura a respeito da 'universalização do acesso a Internet POR OBAMA


.
Oque já estamos discutindo mais assiduamente desde 2008, 
o Governo Americano vai fazer numa tacada só, ou seja, mesmo
 que detonem o presidente, oque está valendo aqui é a vontade
 política do governo enfrentar o monstro do monopólio das telecomunicações
Seguem mais 3 links sobre o tema e um mais porrada que o outro.
* Matéria sobre o Plano de expansão da banda larga nos EUA
* Apresentação do plano no site do governo :
* Detalhamento para expansão do acesso a internet via Cidades 
Digitais e Provedores Locais, sejam comerciais ou Comunitários 




President joins FCC in tackling laws that protect ISPs from competition.
ARSTECHNICA.COM|POR JON BRODKIN





 A situação para eles não está sopa. Parece que o mundo acordou para as malandragens e de repente todas elas ficaram manjadas de uma só vez! Por isso estão pulando miudinho e soltando todas as macacas numa tentativa derradeira de manter tudo no mesmo lugar e todos aonde sempre estiveram. Esse é o quadro. Mas está muito dificil manter a hegemonia. É dificil dizer aonde tudo começou, porque cada um tem uma perspectiva e escolhe um ângulo, seja de qualquer natureza. No entanto eu tenho as minhas convicções e esta está no desmanche dos valores em todos os sentidos. Esta cultura faz uma transmutação dos valores humanos em valores monetários. Aí está a chave. Tudo tem um preço e pode ser comprado. Mas não está dando certo porque civilizações mais antigas e que desenvolveram recentemente grande poder de dissuasão estão resistindo e mantendo suas culturas.


A prova é que a derrubada do castelo se deu quando bateu a crise financeira. O que foi aquilo? Foi a tentativa de uma elite em estabelecer controle total sobre os intangiveis da realidade humana. Como assim? Quando pensaram que o controle do crédito fosse possivel pela emissão infinita de moeda e com isso as dívidas públicas e privadas  irremediavelmente em suas mãos sonharam que estariam tomando o lugar dos deuses para decidir sobre a sorte do mundo. Isto garantido pelas armas atômicas, como poder disuasório, e pelo controle da internet sequestrando a razão como poder cultural de imposição de pautas. Por isso as frequentes notícias de violência em metrópoles, terrorismo em áreas estratégicas, caída ou derrubada de aviões, etc. Nada é por acaso! Tem que pautar para fazer acontecer, e ficar na frente dos acontecimentos. No centro está o BRICS. Querem comê-lo pelas beiradas. A Ucrânia é para fazer atrito com a Rússia, que não entra na jogada porque sabe os motivos. As sanções pesadas são para enfraquecê-la economicamente. Há a exigência para que a UE fique alinhada tambem impondo sanções contra a Russia para arrasá-la economicamente. Isto acarreta uma supremacia relativa. Há o acôrdo secreto com os Sauditas para baixar o preço do barril do petróleo com o propósito de eliminar as arrecadações da Russia, Venezuela, Irã, Nigéria e outros produtores ao mesmo tempo com o propósito de manter o custo baixo numa recessão mundial, o que impede o comércio internacional - países com baixa tolerância quebram ou ou sofrem desequilibrio político para tomada de poder de elites facilmente corruptiveis - Brasil como exêmplo. Fazem o rebaixamento artificial do preço do ouro no mercado a fim de dar suporte ao dólar como suposta única alternativa. Adotam medidas monetárias que provocam guerras cambiais como está ocorrendo atualmente. O Banco Central da Suíça ontem desindexou o Franco do Euro provocando uma alta repentina de até 40% da moeda contra várias outras causando enormes prejuízos na maioria de corretoras e bancos ao redor do mundo que especulam no "foreign exchange market" - mercado de câmbio.


 

Entretanto, o jôgo não está dando certo porque tanto a Russia como a China estão precavidas agindo para conter os efeitos de quase todas estas manobras. A maior das contra-propostas está sendo a substituição do dólar por moedas dos próprios países nas suas transações comerciais. Quase todos os grandes países já não adotam o dólar nas suas transações. Isto causa uma depreciação monumental do dólar que, para se sustentar, deveria continuar sendo a moeda de troca em todas as transações comerciais internacionais. Esta depreciação é causada pela alta liquidez desta moeda no mercado e que em última instância deverá ser repatriado causando uma estratosférica inflação como nunca houve. A Russia por sua vez tem guerra declarada contra o dólar e está sendo uma verdadeira tour de force em todas as praças para derrubá-lo. Outra frente de batalha está sendo a política do gaz. Semana passada a Russia declarou que não passará mais gaz pela Ucrânia para a UE. Se quiserem, disseram os russos, que construam seus gazodutos até a fronteira da Turquia e Grécia, e que arquem com os custos. Isto no meio do inverno vai causar sérios prblemas polítícos na UE. Por isso eu acredito que o atentado ao Charlie Hebdo veio muito a calhar para fazerem aquela demonstração toda que muitos não engoliram. Isto tudo está sendo monitorado pela China para que a economia norteamericana não entre em colapso o que prejudicaria todo o sistema economico, financeiro e de comércio mundial acarretando uma situação extremamente perigosa de confrontamento. 


 

Aí reside a cautela em colocar os valores nos seus devidos lugares, ao mesmo tempo que desativar um conflito de grandes proporções. Diante disto, não fica dificil estabelecermos que o controle da internet é uma peça de primeira grandeza neste jôgo de vantegem geopolitica.




Marcelo Saldanha Marcos Rebello mas vc acha que abrindo do jeito que eles está fazendo ainda não se corre o risco de haver rupturas ? Partindo da premissa de que quanto mais aberto fica, mas difícil de controlar é, salvo se existe uma pretensão da Google ou das grandes empresas de internet de que está no papo o controle dos internautas...mas saquei, de certo o pano de fundo sempre é o sistema econômico/financeiro...



 "While increased competition will not necessarily solve all broadband access challenges, basic economics suggests that increased competition leads to a better deal for consumers. For example, a 2014 OECD survey of eleven OECD member countries found that new entrants in wireless markets have a substantial impact on both price s and quality of service. Tellingly, the OECD study indicated that this result occurred even when a market already had three participants – that is, the fourth entrant into a wireless 

market significantly improved costs and services." ///// Elisa Leonel Lila Ganzer Vale dar uma boa lida neste doc :http://www.whitehouse.gov/.../community-based_broadband... e compartilhar com os conselheiros.

 reside neste doc : http://www.whitehouse.gov/.../community-based_broadband... uma posição bem bacana onde cidades digitais e provedores comunitários podem ser estímulos naturais para competição e melhoria dos serviços de telecom. Para tal, é preciso ver bem de perto duas coisas na Anatel : Resolução de Uso de Espectro (e afins como a resolução de uso eficiente) e a resolução que trata dos casos de isenção de autorização, ou seja, none licenses, que pode casar muito bem com projetos de redes de fibras comunitárias. Isso inclusive casa tb com as políticas de capacitação no Pronatec -



 
Marcos Rebello Marcelo Saldanha. Eu não tenho dúvidas que já está no papo da Google, facebook, Microsoft e outras tantas. A questão agora é como formatar aspequenas brechas do Marco Civil incuindo a única pauta de peso que é a proteção dos dados pesoais. Eu teho convicção que o Brasil deve apresentar um formato bem distinto e autêntico porque as características culturais e políticas da sociedade brsileira são e devem permanecer distintas. Eu acho que devemos fazer todo o possível e um pouco do impossivel para não nos misturarmos com a proposta cultural e política que estão desenhando para a UE e EU. Tem que haver uma ruptura para garatir a soberania. Esta ruptura deve vir na forma cultural, e hoje isto só poderá ser feio pelo Marco Civil garantindo, alem de outras coisas ali incluídas, a proteção dos dados pessoais. As repercussões políticas serão imensas porque, como vc deve saber, tudo se resume hoje no corte dos dieitos civis - privacidade - para dar poderes completos aos controldores da Nova Ordem Mundial. Isto é precisamente o que estão fazendo na UE e nos EU.



Mas eu não entendi o que vc quiz dizer com abertura.

------------------------------------------------------------------------------------------------------

  • Marcelo Saldanha Abertura de redes, ou seja, na nova proposta de universalização da banda larga ele fala em gerar redes comunitárias via cidades digitais, ou seja, os monopolios e duopolios, tendem a se perder diante tantas redes mais descentralizadas, agora vc tocou num ponto chave. Garantir nestas redes a privacidade é o X da questão, pq a quebra dela se dará pelo meio lógico (plataformas, sites, blogs, redes sociais etc) e não pela autenticação no provedor.... ducaracas...
    11 h · Curtir · 1


  • Marcelo Saldanha Só lembrando, que de quebra tb dependerá da forma como os países irão regulamentar a governança da internet e como isso se dará internacionalmente, vai ter que rolar esta pressão tb.
    11 h · Curtir · 1


  • Marcos Rebello Sim. Mas para isso deverá haver quem inicie, quem proponha! Se estas propostas não estiverem delineadas no Marco Civil, se as garantias à privacidade de dados (na abrangência que quisermos) não estiverem expostas, não haverá como os outros países balizarem as suas legislações por falta de iniciativa, direção e apoio!
    2 h · Editado · Curtir · 1


  • Marcelo Saldanha No MCI vai ter uma briga, que são os artigos de guarda de logs, o menos ruim seria restringir a guarda de logs somente para bancos, visto que está pauta é mais latente por lá, mas, a Dilma já cantou a pedra que isso foi um acordo, ou seja, muito provavelmente pra se resolver de vez o problema, vamos ter que alterar a lei ou partir pro STF. Temos ainda o artigo 19, que tangencia a questão da liberdade de expressão, que está meio casado com a mini reforma do senado (bota na conta do Aécio), fora isso o pau vai quebrar mesmo é na lei de proteção de dados pessoais, que logicamente o MCI terá que estar alinhado ou vice versa.
    6 h · Curtir · 1


  • Marcos Rebello Sim, e DEVE haver uma enorme briga. Mas se deixarmos que ela seja resolvida nos bastidores para quando chegar no tapetão estar tudo resolvido entre os interesses economicos e politico-partidários, voce já sabe qual será o resultado. Haverá uma acomodação entre os interesses de contrôle politico externo, agindo pelos economicos, e os políticos internos para manutenção do poder de ambos. Nisso, adeus Direitos Civis! O que tem que ser feito é ANTECIPAR esta discussão trazendo-a para as ruas e blogs independentes. A pressão deve vir das ruas, ir para os blogs, voltar para as ruas com maior intensidade e direção, e isto é que deve pressionar os interesses políticos e economicos. Caso contrário, vai ser um desastre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário