Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Mais de 2 mil Sem Terra realizam ações em todo o estado do Ceará

Mais de 2 mil Sem Terra realizam ações em todo
 o estado do Ceará

http://www.mst.org.br/node/16239

Por volta das 8h, os trabalhadores rurais trancaram as
 principais rodovias do estado. Cerca de 250 pessoas
 fecharam a BR 222, no município de Umirim. 
No município de Limoeiro do Norte, a BR 116 também
 foi trancada por cerca de 1.000 trabalhadores.
 Outros 400 Sem Terra trancaram a BR 020, em Canindé,
e a estrada do algodão, no município de Quixadá,
 também foi bloqueada por 350 pessoas.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A AMÉRICA DOS SONHOS VIRA TERROR PARA JOVENS LATINOS

Casa da América Latina ES compartilhou a foto de Rosane Volpini.
Publicado por Rosane Volpini · 22 de junho
A AMÉRICA DOS SONHOS VIRA TERROR PARA JOVENS LATINOS
No começo do mês, o congressista democrata, Henry Cuellar, 
divulgou imagens de crianças mexicanas e centro-americanas
 presas em “gaiolas”, chamadas de refúgios temporários pelas 
autoridades norte-americanas, em um centro de detenção no Texas.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Decreto que dá PODER AO POVO - Debate necessário

Poder ao povo ( Século Diário)
Dilma cria espaço para o debate popular, mas o movimento sindical está preparado para desempenhar seu papel nesta realidade? 
10/06/2014 12:43 - Atualizado em 10/06/2014 13:07
por Caetano
Na semana passada a presidente Dilma Rousseff assinou o decreto que cria a Política Nacional de Participação Social, criando uma estrutura para que a sociedade civil possa atuar e debater propostas ao governo federal. É a mais contundente resposta às demandas das ruas, dos movimentos de junho de 2013. Evidentemente, a oposição, que hoje reflete o pensamento da elite política do País, gritou. 
Os fóruns e espaços de debate que tanto participaram da formação política do Brasil no início da década de 1980, perderam fôlego ao longo das últimas décadas e as políticas públicas ficaram restritas aos chamados “especialistas” dos governos, em todos os níveis. Tanto é assim, que durante as manifestações, nem partidos políticos, nem sindicatos ou qualquer outro fórum representativo foi bem-vindo nos protestos. 
A criação das estruturas populares garante uma conquista do movimento sindical que sempre buscou um espaço de diálogo com o governo institucional, para além das eleições de lideranças representativas. Trata-se de democracia direta, ou um passo a mais na direção dela. Neste sentido, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) nacional convoca os trabalhadores a apoiarem o decreto. 
Mas voltando para a realidade local, não dá para acreditar muito que essa convocação vá atingir as centrais no Estado. Com lideranças sindicais voltadas para a perpetuação do comando de suas entidades, lidando com seu pequeno poder, não se vê qualquer movimentação  no sentido de apoio e busca de mobilização para a viabilização dessa estrutura no Estado. 
O Espírito Santo, sobretudo na Grande Vitória, teve em seu passado fóruns muito importantes para conquista de direitos dos cidadãos capixabas, como fórum pela moradia, as associações fortes de moradores e sindicados realmente participativos, como foi no passado o Sindicato dos Metalúrgicos. 
Hoje a situação é bem diferente. Os movimentos populares estão enfraquecidos e os sindicatos fechados e desidratados. O espaço para a inserção do cidadão nos grandes debates do País foi criado, cabe agora ao movimento sindical se apropriar desse espaço, criar o ambiente necessário para a atração do cidadão para esse debate. Para isso, precisa se repensar seu papel na sociedade e se depurar, deixando os interesses pessoais de lado, adotando a agenda cidadã. 
Entendendo de uma vez por todas a máxima de que todo poder emana do povo. Sem isso, o espaço ficará ocioso e o cidadão mais uma vez alijado do processo político do País.
Fórum neles!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Os impactos da Copa na economia do Brasil

Via Jacob Blinder

  •  3 milhões de ingressos foram vendidos para os 64 jogos
 
  • A FIFA pagará R$ 16 bilhões de reais ao governo brasileiro referente a impostos
 
  • A Fundação Getúlio Vargas, estima que a receita agregada à economia brasileira, de 2010 a 2014, com a realização da Copa, deve ficar em mais de R$ 142 bilhões de reais.
 
  • Em 2014 o Brasil receberia caso não houvesse Copa seis milhões de turistas internacionais, mas com a Copa esse numero subirá para 7,5 milhões. Em 2018 o número de turistas internacionais a visitar o Brasil está projetado em nove milhões. Esse aumento será devido à realização da Copa e o impacto do evento junto aos turistas internacionais – fomentando demandas e gerando boas imagens do potencial turístico do Brasil (estudo realizado pela Ernst & Young)
 

Os impostos pagos pela Fifa sobre a venda de ingressos

21 de junho de 2014 | 10:39 Autor: Miguel do Rosário -  Tijolaço
ScreenHunter_4041 Jun. 21 10.06
Benjamin Franklin, famoso pensador político norte-americano, cunhou uma frase célebre:
Neste mundo nada é certo, com exceção da morte e dos impostos.

A frase também vale para a Fifa.

Com a venda de ingressos esgotada para quase todos os jogos da Copa, imagino que valha a pena insistir num ponto no qual ainda persiste certa desinformação.

A receita gerada pela venda dos ingressos não é isenta de impostos.

As isenções fiscais permitidas pela Lei nº 12.350, de 20 de dezembro de 2010, decretada pelo Congresso Nacional, que valem para Fifa e seus associados, referem-se à importação de material e equipamentos esportivos usados nos jogos, além de todos os serviços relativos à organização (contratação, hospedagem e despesas com árbitros, por exemplo).

Entretanto, a venda de ingressos não entra nessa conta. Isso está bem claro na lei, nos seguintes capítulos.
§ 3º A isenção de que tratam as alíneas b e c do inciso II do caput não alcança as receitas da venda de ingressos e de pacotes de hospedagem, observado o disposto no art. 16.
§ 3º A isenção de que tratam as alíneas b e c do inciso II do caput:
I – não alcança as receitas da venda de ingressos e de pacotes de hospedagem, observado o disposto no art. 16;

A própria Fifa já deixou bem claro, em nota publicada em seu site, que pagará os impostos referentes à venda de ingressos:
A isenção final dada pelo país-sede à FIFA, no final das contas, nunca é geral e irrestrita. Como exemplo podemos mencionar a cobrança de impostos sobre as vendas de ingressos no Brasil.

Há algumas semanas, circulou uma estimativa de que a Fifa e as empresas investidoras na Copa deverão pagar R$ 16 bilhões em impostos ao Brasil. Uma parte disso será com a venda de ingressos. A informação tinha origem na própria Fifa, que também observou que esses impostos superam o total investido, com financiamento público e privado, na construção dos estádios. Ainda esperamos informação atualizada do governo brasileiro referente a esse valor.

Um estudo da Ernst & Young, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, estima que a receita agregada à economia brasileira, de 2010 a 2014, com a realização da Copa, deve ficar em mais de R$ 142 bilhões.
Já circulam algumas estimativas do que a Copa poderá acrescentar à economia nos próximos anos. Em turismo, a estimativa da FGV para o aumento da chegada de turistas internacionais, ao longo dos próximos anos, é esta:
ScreenHunter_4040 Jun. 21 09.59

Outras curiosidades
A Fifa reserva um ingresso “popular” nos estádios, disponível apenas para brasileiros.  É a categoria 4, para a qual se disponibilizou 400 mil ingressos, a preços de até R$ 30 na primeira fase dos jogos (ver tabela no início do post).
Entretanto, como se poderá ver nos gráficos abaixo, o espaço “popular” ocupa uma área relativamente pequena dos estádios, e esses 400 mil ficam “abafados” pelos mais de 3 milhões de ingressos vendidos.
Mais informações sobre os ingressos na Copa, que eu retirei do site da Fifa e do Ministério do Esporte:

Lista dos países que mais compraram ingressos para o Mundial.
1. Brasil – 1.395.886 ingressos
2. Estados Unidos – 198.208
3. Argentina – 61.477
4. Alemanha – 58.983
5. Inglaterra – 58.105
6. Colômbia – 55.497
7. Austrália – 52.313
8. Chile – 39.458
9. França – 35.052
10. México – 34.353
11. Canadá – 29.522
12. Japão – 22.759
13. Suíça – 17.815
14. Holanda – 16.037
15. Uruguai – 15.893
16. Espanha – 13.677
17. Israel – 11.937
18. Equador – 11.626
19. Rússia – 10.762
20. Itália – 10.064

Perfil dos ingressos, por tipo:
ScreenHunter_4044 Jun. 21 10.11

Capacidade de público de cada estádio.
ScreenHunter_4043 Jun. 21 10.09
 
Divisão dos tipos de ingressos, no estádio padrão da Copa:
ScreenHunter_4042 Jun. 21 10.07
PS: Corrigi a citação inicial e peço desculpas. Chamei o grande Benjamin de francês, quando ele nasceu em Boston, EUA, e sempre viveu por lá. Acho que o confundi com um “sósia” francês 

O MINISTRO MAIS ODIADO PELA DIREITA OUSA SACUDIR A PASMACEIRA DA ESQUERDA

Não conheço pessoalmente o Gilberto Carvalho, que, a exemplo de Lula, tem origem proletária: foi quando trabalhava como soldador em fábricas do PR e do ABC paulista que ingressou na Pastoral Operária, da qual se tornaria secretário-geral.

Continua até agora à frente de uma Secretaria-Geral, no caso a da Presidência da República. E é alvejado dia e noite pela direita, como seu principal inimigo no governo depois da queda de Zé Dirceu.

Companheiros de Brasília me garantem ter ouvido dele, quando maior era a pressão orquestrada desde a Europa e tão bem secundada por figuras do Judiciário e da grande imprensa brasileira, que considerava "uma questão de honra" salvar o escritor Cesare Battisti da perseguição inquisitorial e vendetta italiana.

Até onde sei, foi GC o petista mais influente a empenhar todo seu prestígio para fazer com que a solidariedade revolucionária prevalecesse sobre a realpolitik na decisão do Governo Lula. 

Havia, sim, quem pouco se importasse com o fato de existirem evidências mil de que Battisti, inocente das acusações mais graves que lhe faziam, estava servindo apenas como bode expiatório e como troféu político para os neofascistas de Silvio Berlusconi. Esses preferiam entregar um companheiro de ideais às feras do que arriscar-se a uma retaliação de governo do 1º mundo -que acabou não vindo, como eu sempre disse que não viria. É um motivo a mais para respeitarmos e admirarmos os que, mesmo no poder, continuaram mantendo sua integridade política e pessoal: eles foram raros!

A entrevista de GC na Folha de S. Paulo desta 2ª feira (23) novamente vem ao encontro das minhas posições, mesmo que ele provavelmente as desconheça. É que pessoas formadas nos mesmos valores tendem a analisar de maneira semelhante os acontecimentos.

Durante todo o julgamento do mensalão, fui reticente quanto à alegação de inocência dos réus petistas, pois os anos em que exerci meu ofício na imprensa do Palácio dos Bandeirantes me permitiram conhecer bem as entranhas putrefatas do poder. Tão bem que seria cínico se fingisse acreditar na ingenuidade de companheiros que são tudo, menos ingênuos. 

Via-os, e vejo-os, não como anjinhos injustiçados por Satã Barbosa, mas sim como militantes que cometeram o erro de incidirem nas práticas usuais da politicalha porque as viam como necessárias para o PT poder governar. Acabaram sujando as mãos, não movidos pela ganância, mas sim sofrendo pessoalmente as consequências da opção do partido de não tentar mais mudar radicalmente a sociedade, preferindo concretizar alguns dos seus objetivos (abdicando de outros) sem uma franca ruptura com o status quo capitalista.

Então, eu pregava a denúncia do dois pesos, duas medidas ao invés da arguição de inocência. Cabia, sim, uma autocrítica pública do partido e dos seus dirigentes por terem se deixado conspurcar (e por terem conspurcado a pureza dos seus ideais) no contato com as práticas corriqueiras da política fisiológica e corrupta. Porque a obstinação em tapar o sol com a peneira apenas convenceria os melhores cidadãos de que os revolucionários de 1968 e seus herdeiros em nada diferiam da podridão característica dos rebentos da política oficial, sendo todos farinha do mesmo saco.

Eu, pelo contrário, sempre coloquei a defesa da integridade dos ideais revolucionários acima da defesa de pessoas. E, como homem de comunicação que sou, sabia muito bem que o povo não acreditaria nas balelas que lhe tentavam impingir. Há um ano estamos vendo, nas ruas e nos estádios, que o povo realmente não acreditou.

Foi uma agradável surpresa para mim encontrar num grão petista tal exercício da reflexão crítica, ao invés de tergiversações e triunfalismo. É algo tão raro que vale a pena reproduzir os principais trechos da entrevista de GC (cuja íntegra pode ser acessada aqui).  

Torço para que haja mais petistas como ele, conscientes do imperativo de se resgatarem os valores originais do partido -aqueles que eu compartilhava fervorosamente três décadas atrás.
A afirmação de que o xingamento contra Dilma não partiu só da "elite branca" foi uma espécie de sincericídio?
Não. Foi muito consciente. Tenho feito esforço enorme para ter muita sintonia com as ruas e para não romper com aquilo que considero justo e honesto, mesmo que me custe. 
...Não nego atos de corrupção que tivemos. Infelizmente, eles aconteceram, têm de ser reprovados. Esses atos nos doem primeiro a nós mesmos. O problema é o tratamento que se dá a erros dos outros, como o mensalão tucano...
Precisamos ter clareza disso e combater, porque, do contrário, começa a ganhar corpo uma opinião cada vez mais ampla de que nós estamos prejudicando o país, de que inventamos a corrupção.
O sr. disse que a imagem de partido corrupto "pegou" em setores mais populares.
Tenho certeza de que o PT tem na sua imensa maioria uma gente muito séria, honesta. Agora, precisamos de fato ter um rigor interno ético muito grande. Lutar desesperadamente pela reforma política para mudar o indutor da corrupção, que é o financiamento empresarial de campanha. Sinto isso na carne.
Na carne?
Porque vejo companheiros que acabam se enrolando muitas vezes nesses processos de corrupção, em grande parte induzidos por uma prática tradicional no país e que antes, insisto, não aparecia, porque não se investigava.
O sr. é responsável pela interlocução com os movimentos sociais, mas hoje o PT paga militância em campanhas.
Acho que que, na justa medida em que nós nos tornamos uma grande instituição, fomos nos burocratizando. O PT trouxe inovações fundamentais para a ampliação da participação das pessoas na política e dar protagonismo a setores populares marginalizados. Mas o vírus da velha política também nos contaminou, em parte.
...precisamos reconquistar o sentido coletivo de fazer política. Reanimar a militância. Na medida em que a gente foi se verticalizando, fomos nos tornando mais pragmáticos, perdendo a nossa mística. 
Os grifos são todos meus, obviamente.

ACOMPANHE TAMBÉM OS ARTIGOS DIÁRIOS DA SÉRIE MUNDIAL 2014 (clique p/ abrir):

OUTROS POSTS RECENTES (clique p/ abrir):

AGENDA CALLES JULHO e AGOSTO



CALLES Informa e convida: ( Todos os eventos são feitos envolvendo dirigentes da 
Casa e do Programa Soy Loco Por Ti)

AGENDA CALLES JULHO e AGOSTO

12/07 – 16/08 – 20/09
Curso de Formação Política Sindical:
América Latina em movimento: estudo, reflexão e ação (Em três etapas: julho, agosto e setembro)
Ministrado por Roberta Transpadini e Camilla Nogueira
Parceiros: SINDIUPES, UFES- LEHPI , Editora Expressão Popular . 
Formação para 100 pessoas em cada ciclo -

17/07 - 19 h - AUDITóRIO do CCE - Centro de Ciencias Exatas - UFES
Lançamento do livro A Teoria da (Inter)dependência
de Fernando Henrique Cardoso, com presença da autora Roberta Transpadini

25 e 26 de Julho -
Lançamento do projeto de Cine Clube da CALLES
25/07 - Carlos Pronzato - Lança no ES o DOC de CHE GUEVARA e após uma roda de conversa.
26/07- oficina de CINE CLUB
Parceiros - Cine Clube ES, Coletivo Jovem Coletivo Jovem Região Formate, (outros apoios fechando) ,
( no periodo de JULHO, Provaveis mostras de videos em comunidades no periodo que antecederá o evento - Contacte-nos caso queira que sua comunidade faça parte do circuito Carlos Prozato.)

Em agosto ( data A definir):

- Seminário sobre Os Plebiscitos na América Latina , O Cenário Brasil e o EMPODERAMENTO POPULAR.
"'A ampliação de mecanismos de fortalecimento do exercicio da DEMOCRACIA PARTICIPATIVA"


- Lançamento da Comissão pela verdade e Justiça - Ditaduras 
Projeto CALLES Memoria e Verdade com foco na questao Agraria no ES, Brasil e América Latina.

Em breve divulgaremos parceiros e apoiadores

- Seminário sobre a lei de Médios nos países da América Latina e a situação da mídia no Brasil.
Projeto que visa reunir Blogueiros e Midias Alternativas do ES , promover debates e formar um coletivo diverso . VENCER os BLOQUEIOS de COMUNICAÇÃO é uma meta comum a todos.

- Debate sobre o decreto nº 8.243, que cria a “Política Nacional de Participação Social” e o “Sistema Nacional de Participação Social” 

-2 º Piquenique pela Integração Latino-Americana e Festa do Soy Loco Por Ti .

Para cada projeto destacamos responsáveis pela organização, divulgação e mobilização , embora todos os da CALLES são colaboradores diretos nos eventos). As Diretorias de Mídia Virtual, de Jornalismo e de Mobilização tem participação direta em todos os eventos,)

ONU destaca atuação de médicos cubanos em unidades da Serra

ONU destaca atuação de médicos cubanos em unidades da Serra
Organização ressalta a integração dos médicos com as comunidades e a agilidade dos atendimentos
http://seculodiario.com.br/17467/15/onu-destaca-atuacao-de-medicos-cubanos-em-unidades-da-serra
Livia Francez
21/06/2014 15:14 - Atualizado em 22/06/2014 11:51

A Organização das Nações Unidas (ONU) destacou a atuação dos médicos do programa federal Mais Médicos em duas unidades de saúde da Serra. A entidade classificou que a atuação dos profissionais evolucionou o atendimento na Unidade Regional de Saúde (URS), no bairro Planalto Serrano; e no posto de saúde de Taquara I, no mesmo município. 
 
De acordo com informações do site institucional da ONU, somente a URS atende a cerca de 12 mil pessoas da região. A unidade tem três equipes de Saúde da Família sendo dois médicos principais e um médico de apoio do programa Mais Médicos, dentre estes três médicos cubanos. 
 
A coordenadora da unidade, Naiara Vidoto relatou que os profissionais foram bem recebidos pela população. Os médicos cubanos Orlando Maure Ceballo e Tamara Delgado Riesgos chegaram à unidade em dezembro de 2013 e resolveram o atraso de consultas de pré-natal, desenvolveram um programa de atendimento para os casos de hipertensão e diabetes e tiveram a iniciativa de sistematizar as consultas domiciliares.
 
Já no posto de saúde de Taquara I, que também recebeu o reforço de médicos do programa federal em dezembro de 2013, cerca de 5 mil pessoas são atingidas pelo aumento de atendimentos. Na unidade atua o médico Orelys Reyes Madrazo. 
 
O Estado atingiu, em abril deste ano, 100% da demanda atendida pela iniciativa do governo federal, o equivalente a 404 médicos. A atuação desses profissionais impacta na assistência de mais de 1,3 milhão de pessoas.
 
Além da ampliação imediata da assistência em atenção básica, o Mais Médicos prevê ações estruturantes voltadas à expansão e descentralização da formação médica no Brasil. Até 2018, serão criadas 11,4 mil novas vagas de graduação em Medicina e mais de 12 mil novas vagas de residência médica.

Rose Mrie Muraro: a saga de uma mulher impossível

Rose Mrie Muraro: a saga de uma mulher impossível

22/06/2014
No dia 21 de junho concluíu sua peregrinação terrestre no Rio de Janeiro uma das mulheres brasileiras mais significativas do século XX: Rose Marie Muraro (1930-2014). Nasceu quase cega. Mas fez desta deficiência o grande desafio de sua vida. Cedo intiuíu que só o impossível abre o novo; só o impossível cria. É o que diz no seu livro Memórias de uma mulher impossível (1999,35). Com parquíssima visão formou-se em física e economia. Mas logo descobriu sua vocação intelectual: de ser uma pensadora da condição humana especialmente da condição feminina. Foi ela que no final dos anos 60 do século passado, suscitou a polêmica questão de gênero. Não se limitou à questão das relações desiguais de poder entre homens e mulheres mas denunciou relações de opressão na cultura, nas ciências, nas correntes filosóficas, nas instituições, no Estado e no sistema econômico. Enfim deu-se conta de que no patriarcado de séculos reside a raíz principal deste sistema que desumaniza mulheres e também homens.
Realizou em si mesma um impressionante processo de libertação, narrado no livro Os seis meses em que fui homem (1990,6ª edição). Mas a obra quiçá mais importante de Rose Marie Muraro tenha sido Sexualidade da Mulher Brasileira: corpo e classe social no Brasil (1996). Trata-se de uma pesquisa de campo em vários Estados da federação, analisando como é vivenciada a sexualidade, tomando em conta a situação de classe das mulheres, coisa ausente nos pais fundadores do discurso psicanalítico. Neste campo Rose inovou, criando uma grelha teórica que nos faz entender a vivência da sexualidade e do corpo consoante as classes sociais. Que tipo de processo de individuação pode realizar uma mulher famélica que para não deixar o filhinho morrer, dá o sangue de seu próprio seio? Trabalhei com Rose por 17 anos como editores da Editora Vozes: ela responsável pela parte científica e eu pela parte religiosa. Mesmo sob severo controle dos órgãos de repressão millitar, Rose tinha a coragem de publicar os então autores malditos como Darcy Ribeiro, Fernando Henrique Cardoso Paulo Freire os cadernos do CEBRAP e outros. Depois de anos de longa discussão e estudo em conjunto reunimos nossas convergências num livro que considero seminal Feminino & Masculino: uma nova consciência para o encontro das diferenças (Record 2010). Destaco apenas uma frase dela:”educar um homem é educar um indivíduo, mas educar uma mulher é educar uma sociedade”.
Sem deixar nunca de lado a questão do feminino (no homem e na mulher) voltou-se cedo aos desafios da ciência e da técnica moderna. Já em 1969 lançava Autonomação e o futuro do homem e previa a precarização do mundo do trabalho.
A crise econômico-financeira de 2008 levou-a colocar a questão do capital/dinheiro com o livro Reinventando o capital/dinheiro (Idéias e Letras 2012), onde enfatiza a relevância das moedas sociais e complementares e as redes de trocas solidárias que permitem aos mais pobres garantirem sua subsistência à revelia da economia capitalista dominante.
Outra obra importante, realmente rica em conhecimentos, dados e reflexões culturais se intitula Os avanços tecnológicos e o futuro da humanidade: querendo ser Deus? (Vozes 2009). Neste texto ela se confronta com a ponta da ciência, com a nanotecnologia, a robótica, a engenharia genética e a biologia sintética. Vê vantagens nessas frentes, pois não é obscurantista. Mas pelo fato de vivermos dentro de uma sociedade que de tudo faz mercadoria, inclusive a vida, percebia o grave risco de os cientistas presumirem poderes divinos e usarem os conhecimentos para redesenharem a espécie humana. Daí o sub-título: Querendo ser Deus? Essa é a ingênua ilusão dos cientistas. O que nos salvará não é essa nova Revolução Tecnológica mas, como diz Rose, é a “Revolução da Sustentabilidade, a única que poderá salvar a espécie humana da destruição…pois a continuarmos como está, não estaremos em um jogo ganha-perde e sim no terrrivel jogo perde-perde que significará a destruição de nossa espécie, na qual todos perderemos”(Reinventando o Capital/dinheiro, 238).
Rose possuía um sentimento do mundo agudíssimo: sofria com os dramas globais e celebrava os poucos avanços. Nos últimos tempos Rose via nuvens sombrias sobre todo o planeta, pondo em risco o nosso futuro. Morreu preocupada com as buscas de alternativas salvadoras. Mulher de profunda fé e espiritualidade, sonhava com as capacidades humanas de transformar a tragédia anunciada numa crise purificadora rumo a uma sociedade que se reconcilie com a natureza e a Mãe Terra. Conclui seu livro Os avanços tecnológicos com esta sábia frase:”quando desistirmos de ser deuses poderemos ser plenamente humanos, o que ainda não sabemos o que é, mas que intuímos desde sempre”(p. 354).
Proclamada a 30 de dezembro de 2005 oficialmente pelo Presidente, Patrona do Feminismo Brasileiro e com a criação da Fundação Cultural Rose Marie Muraro em 2009 deixará um legado de fecundo humanismo para as futuras gerações. Rose Marie Muraro mostrou em sua saga pessoal que o impossível não é um limite mas um desafio. Ela se inscreve na linhagem das grandes mulheres arquetípicas que ajudam a humanidade a preservar viva a lamparina sagrada do cuidado por tudo o que existe e vive. Nesse afã ela se tornou imorredoura.

Leonardo Boff trabalhou na Ediora Vozes por 17 anos junto com Rose Marie Muraro

Camino del Inca será declarado Patrimonio de la Humanidad


Publicado por Vitor Taveira · 21 h · 
El Camino del Inca con 23 mil kilómetros de largo, se trató de una vía...
TELESUR