Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

sábado, 1 de fevereiro de 2014

PARA REINALDO AZEVEDO, USAR PISTOLA CONTRA CANIVETE É "LEGÍTIMA DEFESA"

"Tenta-se linchar um policial que cometeu a ousadia da legítima defesa", grasnou na Folha de S. Paulo (acesse aqui) o Reinaldo Azevedo, corvo menor de uma época menor. Por mais que arrepie as penas, bata as asas e faça escândalo no milharal, nunca chegará a Carlos Lacerda, o corvo-mor. É só uma imitação barata.

legítima defesa a que ele se refere é a de um brutamontes que, supostamente ameaçado com canivete por um manifestante (o jovem Fabrício Chaves alega só tê-lo sacado depois de receber os disparos), efetivamente mandou bala no dito cujo, colocando-o em coma e causando-lhe a perda de um testículo. Até os colegas de farda consideraram um exagero... evitando, por coleguismo, utilizar a palavra covardia.

Eu, que não tenho papas na língua, afirmo com todas as letras: quem usa pistola .40 contra canivete, ou tem instinto assassino, ou é um grandessíssimo covarde. Para os que não estão familiarizados com o assunto, esclareço tratar-se de uma arma tão potente que seu impacto necessariamente provoca a queda da pessoa atingida, colocando-a à mercê do atirador.

Já canivete não passa de um brinquedinho para ginasiano exibir à namorada e se pavonear. Aos 13 anos eu já tinha um, com considerável atraso em relação aos meninos da favela do bairro, que ganhavam o primeiro lá pelos 8 anos.  

Mesmo sendo sexagenário eu me defenderia facilmente de um atacante com canivete; a pontapés, já que minhas pernas teriam alcance muito maior que o braço do inimigo, impedindo sua aproximação. Afora o fato de que havia outros PMs por perto, para intervirem se necessário.

Fez-me lembrar a charge antológica de Ziraldo, no auge da guerra do Vietnã: vários super-heróis estadunidenses a fugirem em carreira desabalada, pânico estampado em seus rostos, de um minúsculo vietcong com sandálias e chapéu em forma de cone.

Olhando as fotos do RA, qualquer um percebe que ele não sabe nadinha da realidade das ruas. É um rato de biblioteca do pior tipo, pois só se alimenta de livros reaças.

E está sempre caindo no ridículo ao se manifestar sobre o que se passa fora de sua redoma -como quando, orgulhosamente, anunciou ter denunciado à Polícia o IP dos computadores de internautas que lhe estariam mandando mensagens ameaçadoras.

Ele ignora, ou finge ignorar, que todos os articulistas polêmicos as recebemos aos montes, sem jamais levarmos a sério esses trotes, cujos autores geralmente não passam de adolescentes metidos a bestas.

Também intrigou com as otoridade uma leitora que lhe enviou e-mail queixando-se de sua perseguição ao José Genoíno e conjeturando que o RA poderia sofrer retaliação "de alguém mais exaltado" caso o petista morresse na prisão. Isto nem ameaça é, salvo para quem passa a vida transtornado pela paúra.

Dá a impressão de que semana sim, outra também, ele vai depositar tais ninharias na mesa do delegado. Será como uma espécie de contrapartida ao seus protetores que ele os defende incondicionalmente, mesmo nos episódios em que sua atuação é indefensável? 

Chega ao ponto de desqualificar todos os que criticam a truculência dos agentes do Estado, rotulando-os de integrantes de uma hipotética Frente Única de Difamação da Polícia

Deveria, intitulá-la, isto sim, de Frente Ampla, pois a péssima imagem das Polícias Militares não é apenas consensual entre os brasileiros civilizados; ela corre mundo, a ponto de até o Alto Comissariado de Direitos Humanos das Nações Unidas haver recomendado sua extinção.

Dentre outros motivos por serem useiras e vezeiras em maquilarem "execuções extrajudiciais", fazendo com que as mortes pareçam ter resultado de resistência à prisão.

TEXTOS RECENTES DO BLOGUE NÁUFRAGO DA UTOPIA (clique p/ abrir):
COPA DAS MARACUTAIAS: "JORNALISMO NÃO É ARMAZÉM DE SECOS E MOLHADOS"
O PRIMEIRO TOUR DE FORCE DO MESTRE SERGIO LEONE
BESTIALIDADE POLICIAL JUSTIFICA IMPEACHMENT DOS GOVERNADORES
AS PRINCIPAIS AMEAÇAS À COPA NÃO VÊM DAS RUAS, MAS SIM DOS GABINETES
PETIÇÃO PRÓ ASILO A SNOWDEN NO BRASIL ATINGE 1 MILHÃO DE ADESÕES

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Ditabranda: "Hay que endurecerse La Trolha" --- Ranking atualizado: O pior aeroporto do mundo na pior capital do Brasil -- 3 mentiras cabeludas no blog da redecastorphoto



Após inauguração de porto, Dilma se reúne com Fidel Castro em Havana

DA EFE
28/01/2014  05h44
A presidente Dilma Rousseff se reuniu na segunda-feira (27) em Havana com Fidel Castro, que também recebeu a primeira-ministra da Jamaica, Portia Simpson-Miller, informou a imprensa oficial de Cuba.

Segundo o site oficial Cubadebate, Dilma e Fidel falaram sobre o porto de Mariel e sua Zona Especial de Desenvolvimento. Dilma e o ditador [Grifo PressAAdo país, Raúl [Brando] Castro, inauguraram ontem um moderno terminal de contêineres na ilha caribenha que contou com financiamento do BNDES.

Dilma também falou com Fidel Castro –de 87 anos e afastado do poder desde 2006– sobre sua satisfação com o trabalho dos milhares de cubanos que fazem parte do programa "Mais Médicos".
Alex Castro/Reuters
Dilma Rousseff e Fidel Castro conversam durante encontro ontem em Havana
Dilma Rousseff e Fidel Castro conversam durante encontro ontem em Havana

Segundo o Cubadebate, o encontro fraternal "foi uma expressão do afeto e da admiração entre Fidel e Dilma".

Ainda ontem, o líder cubano recebeu a primeira-ministra da Jamaica e os dois conversaram sobre a parceria dos países nas áreas de saúde, educação e esporte, entre outras.

O Cubadebate divulgou fotografias dos dois encontros onde se vê Fidel Castro, vestido com roupa esportiva, conversando com os governantes.

Dilma e outros presidentes latino-americanos e do Caribe se encontram em Cuba para participar da II Cúpula da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), em Havana.

Além desses encontros, Fidel Castro também almoçou no domingo com a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que foi a primeira chefe de Estado latino-americana a chegar em Cuba por ocasião da cúpula.

___________________________________________________


28 DE JANEIRO DE 2014 

Dilma e Raúl Castro falam sobre as relações entre Brasil e Cuba


O presidente cubano, Raúl Castro, recebeu Dilma Rousseff na tarde desta segunda-feira (27). A chefe de Estado brasileira realiza uma visita oficial a Cuba e participa da 2ª Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac). 


Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma e Raúl Castro conversam sobre as relações
Dilma Rousseff realiza uma visita oficial a Cuba e participa da 2ª Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).
Durante a reunião bilateral, os presidentes destacaram a importância da Zona Especial de Desenvolvimento do Porto de Mariel, inaugurada no mesmo dia por ambos. Castro e Dilma também conversaram sobre o excelente estado das relações entre seus países, especialmente nos setores de colaboração econômica e saúde. Eles ainda discutiram outros temas de âmbito internacional.

Dilma esteve acompanhada pelo chanceler Luiz Alberto Figueiredo Machado; do ministro da Saúde, Alexandre Padilha; do ministro de Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; e de outros funcionários do governo.

Acompanhe aqui a cobertura completa do Vermelho sobre a Celac

A delegação de Cuba, por sua vez, foi composta pelo ministro de Comércio Exterior e Investimento; por Roberto Morales Ojeda, ministro de Saúde; Marcelino Medina González, vice-ministro de Relações Exteriores; e Marielena Ruiz Capote, embaixadora de Cuba no Brasil.

Da redação do Vermelho,
Com informações do site oficial da Celac

_________________________________________________________________________________________


CPLP » Brasil

Aeroporto do Brasil é eleito o pior do mundo

28.01.2014

Aeroporto do Brasil é eleito o pior do mundo. 19682.jpeg
Aeroporto do Brasil é eleito o pior do mundo

SÃO PAULO/BRASIL - Altos preços e falta de pontualidade são as razões apontadas. Aeroportos dos Estados Unidos também estão no ranking de piores do mundo. Um site especializado em análises financeiras elegeu o aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, Sudeste do Brasil, como o pior do mundo.

Por ANTONIO CARLOS LACERDA
PRAVDA.RU

SÃO PAULO/BRASIL - Altos preços e falta de pontualidade são as razões apontadas. Aeroportos dos Estados Unidos também estão no ranking de piores do mundo. Um site especializado em análises financeiras elegeu o aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, Sudeste do Brasil, como o pior do mundo. O terminal aparece em primeiro em um ranking do setor, segundo informações da Globo News.

A posição foi conquistada devido às longas filas na imigração, preços altos de comida e bebida, quantidade insuficiente de funcionários e taxa de pontualidade baixa, segundo o site Wall St. Cheat Sheet.

A Gru Aiport, empresa que administra o aeroporto de Cumbica diz que está investindo em obras de infraestrutura, serão gastos cerca de R$ 6 bilhões nos próximos 20 anos para garantir mais conforto aos passageiros. Em 2013, 36 milhões de passageiros passaram pelo aeroporto, com uma média diária de 900 voos.

Somente 59% dos voos chegam no horário. Em, segundo lugar no ranking aparece um aeroporto de Chicago, nos Estados Unidos, devido a falta de pontualidade. Em terceiro ficou o John F Kennedy, aeroporto de Nova York, considerado o mais feio do mundo. Outro aeroporto de Nova York, o LaGuardia  ficou em sétimo lugar pelo difícil acesso de transporte público.

ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do PRAVDA.RU
______________________________________________________________________________________________________

Campanha denuncia manobras contra combate à escravidão

Na Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, a Repórter Brasil, a Comissão Pastoral da Terra e a Walk Free lançam campanha de alerta para ações de parlamentares ruralistas que podem descaracterizar o que é escravidão e enfraquecer seu combate. 


No final do ano passado, a Bancada Ruralista condicionou a aprovação da PEC do Trabalho Escravo a mudanças na legislação, o que pode causar grave retrocesso no combate à escravidão no país. Preparamos um especial detalhando tais ações, com peças para compartilhamento nas redes sociais. Informe-se, denuncie, compartilhe e junte-se à mobilização nacional para denunciar tais manobras. 

Clique aqui para assinar o abaixo-assinado que organizamos.

_______________________________________________________________________________

De nosso leitor correspondente José Tarcísio Barbosa:

Engenheiro agrônomo, MSc. em Fitoctenia, escritor, professor de português, com mais de 20 anos de experiência, faz revisão de texto a três reais por página. Tarcísio:31.9965.2362/3891.3475     - jtbarbosa500@yahoo.com.br

Professora de inglês, com curso nos EUA, faz tradução inglês/português e vice-versa a vinte e cinco reais por página e transcrição a  R$150,00 por hora.  Suely: 33.9962.6463/3321.6463  - suely_mr@hotmail.com
_______________________________________________________________________________

No blog da redecastorphoto...


Sobe a temperatura da guerra de propaganda

24-26/1/2014[*] Shamus CookeCounterpunch
Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu

Abertura da Conferência Genebra-2 em Montreux, Suiça (22/1/2014)
A máquina jornalística de espalhar mentiras está outra vez trabalhando em alta rotação, perfeitamente cronometrada para acompanhar as conversações de paz para a Síria chamadas “Genebra-2”, embora aconteçam em Montreux. As mentiras são necessárias para garantir que o governo Obama continue a jogar com as cartas que esconde na manga, nas conversações, as quais não estão sendo conduzidas para gerar paz alguma, mas, isso sim, para que levem ao sucesso o plano de “mudança de regime” do governo Obama para a Síria.

Aqui, listo as três principais mentiras que se espalham pelo mundo graças à contribuição da empresa-imprensa ocidental e de seus jornalistas e “especialistas” empregados, sobre as conversações de “Genebra-2”.

Mentira 1: A saída do presidente Bashar al-Assad do governo sírio teria sido “precondição” discutida e aprovada em Genebra-1, para Genebra-2.

Essa informação tem sido repetida pelo governo Obama e pelos veículos da imprensa-empresa ocidental. É total mentira. Sem nenhum fundamento. O governo Obama inventou que essa “precondição” teria sido registrada no “Comunicado de Genebra”, que foi um mapa do caminho redigido para orientar as conversações de paz de Genebra-2, discutido e aceito por alguns dos principais envolvidos nas negociações, inclusive pela Rússia.

Comunicado fala, sim, de uma transição política negociada, mas NÃO diz, em lugar algum, que essa transição não poderia incluir o presidente Assad (e qualquer cláusula dessa natureza teria sido imediatamente rejeitada pela Rússia).

A verdade é que, sim, o Comunicado de Genebra inclui a seguinte cláusula:

“[um governo de transição] poderá incluir membros do atual governo sírio e da oposição, além de outros grupos; e terá de ser constituído por consentimento mútuo”.

Bashar al-Assad saúda a multidão na saída do palácio presidencial em Beirute
em 12/1/2014
Nada, em local algum daquele documento, menciona ou implica diretamente o presidente Assad.

Recentemente, o Los Angeles Times pisou fora da linha e expôs, clara e completamente a mentira:

“[John] Kerry tem citado repetidas vezes o “Comunicado de Genebra”, espécie de mapa do caminho redigido em junho de 2012, durante reunião organizada pela ONU. Mas esse documento absolutamente não exige a saída de Assad”.

A incansável repetição dessa mentira, pelo governo Obama, só provoca divisões e dificuldades para o processo de paz, enquanto vai minando qualquer chance de alcançar-se alguma paz.


O governo Obama tem batido o pé a respeito dessa pré-condição “Assad tem de sair”, porque sabe que, em eleições limpas, livres e justas que se disputem na Síria – como parte de um “processo transicional” apoiado pela ONU – o presidente Assad será, praticamente com certeza, reeleito. Esse é o resultado da união de várias minorias étnicas e religiosas sírias no apoio ao presidente, apoio cada vez mais assumido e declarado, desde que começaram a testemunhar as atrocidades sectárias diárias cometidas por “rebeldes” apoiados pelos EUA (atrocidades que a imprensa-empresa dos EUA existe para fazer ignorar e impedir de ver).

Assad provavelmente será eleito, se houver eleições, dado que simplesmente não há qualquer outro nome, no governo ou na oposição, que se compare a ele no reconhecimento que merece dos sírios e na popularidade. Os “rebeldes” apoiados pelos EUA que estão fazendo guerra contra a Síria fortaleceram a imagem política do presidente Assad – mas essa é informação que ninguém jamais obterá da imprensa-empresa ocidental, monoliticamente contra os sírios.

“Exigir” a saída de Assad tampouco tem qualquer sentido, se se considera a situação em campo. Os “rebeldes” apoiados pelos EUA jamais conseguiram controlar mais que uma única cidade síria, de nome Raqaa, a qual é dominada pela al-Qaeda e governada sob uma interpretação à moda dos Talibã da lei islâmica, e que inclui, dentre outros, o banimento de qualquer tipo de música. Os “rebeldes” não têm poder em campo que os autorize a exigir seja o que for, muito menos que “Assad tem de sair”.

Mentira 2: As milícias “rebeldes” apoiadas pelos EUA seriam grupos terroristas islamistas “moderados”

O simples fato de alguém dizer publicamente tal absurdo, sem provocar gargalhadas, é prova do grande sucesso da propaganda que se faz pela empresa-imprensa jornalística ocidental. A narrativa jornalística ocidental pinta os rebeldes financiados pelos EUA como “bons”, em luta contra, ao mesmo tempo, o governo sírio e os “maus” rebeldes associados à al-Qaeda.

Frente al-Nusra "rebelde" na Síria, note a bandeira da al--Qaeda à direita da foto
Mas os tais “bons” terroristas que integram a Frente Islâmica apoiada pelos EUA partilham a mesma visão quanto ao futuro da Síria que os rebeldes da al-Qaeda: todos defendem uma versão fundamentalista da lei da Xaria, segundo a qual as mulheres vivem praticamente em prisão domiciliar e minorias religiosas são cidadãos de segunda classe (grupos muçulmanos não sunitas seriam massacrados na Síria, como já estão sendo, nas áreas das quais o governo sírio ainda não conseguiu varrer os terroristas – mais um fato minimizado ou apagado do noticiário pela imprensa-empresa jornalística ocidental).

A mentira sobre os “rebeldes moderados” foi também exposta recentemente, quando um alto comandante da mais poderosa das milícias em guerra contra o governo sírio, o grupo Ahrar al Sham, integrante da Frente Islamista e apoiado pelos EUA, declarou que seu grupo é o único “verdadeiro” representante da al-Qaeda na Síria.

(Para ler matéria completa, clique no título)

__________________________________________________

Ilustração: AIPC – Atrocious International Piracy of Cartoons
_________________________________________________

PressAA


.

Casa da América Latina chega ao Espírito Santo

Foto: "Si fuéramos capaces de unirnos, qué hermoso y que cercano seria el futuro". CHE
Vitor TaveiraMarluzio Ferreira DantasClaudio MachadoClaudio VerezaIran CaetanoCarlos Augusto Lima MoreiraLuiz ReisSissa RamosStella DiasLuiza MarillacRosane VolpiniMarlene Ramalho FurtadoBeatriz De Broutelles, Sérgio LeandroFernanda TardinAlba AguiarAlan Cláudio MeloManoel Jorge TavaresMauro RibeiroFernando Yépez-RivasFernando La ManchaFabrício Martins PintoLaerson da SilvaJéssica JhinFlávia De Broutelles Soares,Namy, Anderson Falcão AzevedoAndré Moulin DardengoAndre Luiz MoreiraJonathas Rocha,

Reconhecida nacionalmente e internacionalmente pelo 
seu trabalho de solidariedade e divulgação em prol da 
integração do continente, a Casa da América Latina, 
com sede nacional no Rio de Janeiro, vai instalar uma 
subsede no Espírito Santo. À convite da direção nacional 
da entidade, ativistas capixabas realizaram reuniões abertas 
nos últimos meses para trazer um novo espaço para a política 
e a cultura no estado, tendo como referência os movimentos 
artísticos e sociais de nossos “hermanos”.
Depois de uma série de reuniões da qual participaram e 
contribuíram mais de 50 pessoas, o grupo agora convoca 
uma assembleia ampliada para a constituição oficial da entidade no estado. 
O evento acontece na noite da próxima sexta-feira, 31 de janeiro, na sede do Sindicato dos Estivadores do Estado do Espírito Santo. Os presentes poderão assinar 
a ata como fundadores da entidade no estado...
Segue no link abaixo
SERVIÇO:
Assembleia de constituição da subsede 

da Casa da América Latina no Espírito Santo
Local:
 Sindicato dos Estivadores do Estado do Espírito Santo
 – Avenida República, 10, Centro, Vitória (ES)
Data: 31 de janeiro (sexta-feira)
Horário: 18h30
http://m.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2014/01/casa-da-america-latina-chega-ao-espirito-santo.html

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

AS PRINCIPAIS AMEAÇAS À COPA NÃO VÊM DAS RUAS, MAS SIM DOS GABINETES

A AES, cuja concessão para distribuir energia elétrica em São Paulo há muito deveria ter sido extinta por não estar honrando os compromissos assumidos, deixou, pela enésima vez, a principal cidade da América do Sul às escuras na semana passada (vide aqui). E se isto voltar a acontecer durante a Copa, expondo-nos a ridículo mundial?

Anteontem (25/01), a Polícia Militar de São Paulo novamente baleou um civil sem justificativa aceitável, colocando-o em coma. A alegação de que o coitado ameaçava um soldado com estilete é risível e é a de sempre; desde a ditadura militar, a PM de SP é mundialmente conhecida como uma corporação que maquila execuções em autodefesa, tendo inclusive sido, por este motivo, energicamente recriminada pela ONU (que recomendou sua extinção, conforme pode ser visto aqui).

E se manifestantes forem barbarizados durante a Copa, para os repórteres do mundo inteiro relatarem e os fotógrafos do mundo inteiro fotografarem?

O perigo aumenta com a cartilha repressiva lançada sorrateiramente pelo ministro da Defesa no finalzinho de 2013 (vide aqui), abrindo a possibilidade de que as Forças Armadas venham a ser acionadas para reprimir black blocsindignados e rolezeiros. Aí as mortes de civis serão praticamente uma certeza; faz parte da cultura militar esmagar o inimigo, o que é catastrófico quando se lida com cidadãos do próprio país. Deus nos acuda!

A rede virtual petista propaga incessantemente teorias da conspiração relativas ao Mundial; parte sempre do pressuposto de que o inferno são os outros. 

Mas, o maior risco de avacalhação provém dos péssimos serviços prestados aos brasileiros pelos governos e pelas companhias privatizadas.

E o maior risco de desastre total, da truculência dos efetivos policiais que tentarão sufocar violentamente as manifestações de desagrado, ao invés de administrarem o problema com um mínimo de sensatez.  

De tudo que de ruim poderá acontecer, o pior vai ser se fardados assassinarem civis, horrorizando as pessoas civilizadas de países cuja tradição não é autoritária como a nossa.

As principais ameaças à Copa não vêm, portanto, das ruas, mas sim dos gabinetes em que omissos se omitem e serpentes chocam seus ovos.

TEXTOS RECENTES DO BLOGUE NÁUFRAGO DA UTOPIA (clique p/ abrir):

domingo, 26 de janeiro de 2014

PETIÇÃO PRÓ ASILO A SNOWDEN NO BRASIL ATINGE 1 MILHÃO DE ADESÕES


Na manhã deste domingo, 26, a petição on line em favor da concessão de asilo no Brasil a Edward Snowden ultrapassou a impressionante marca de 1 milhão de assinaturas, conforme pode ser constatado aqui.

É um patamar dificílimo de ser alcançado, atestando, de forma cabal, que os melhores brasileiros não engoliram as desculpas esfarrapadas do nosso governo, que tem todos os motivos para receber Snowden de braços abertos (principalmente depois que a presidenta da República e a Petrobrás se descobriram espionados pelos estadunidenses com a mais chocante sem-cerimônia ) e apenas um para não fazê-lo: seu abjeto servilismo em relação aos EUA, seu medo de represálias com que os italianos também nos ameaçaram no Caso Battisti e depois deixaram pra lá. 

Daquela vez, pagamos para ver e desmascaramos o blefe. Desta, estamos fugindo como coelhos assustados. Por quê? 

Desde a primeira ocasião em que nossas autoridades saíram vexaminosamente pela tangente, há mais de meio ano (vide aqui), tenho sido um dos mais ferrenhos defensores de um posicionamento soberano por parte do Itamaraty e de Dilma Rousseff, bem como um dos mais veementes críticos destas demonstrações de vassalagem que eu jamais, JAMAIS, esperaria de um governo do PT -mesmo levando em conta a descaracterização que o partido já sofreu relativamente à sua identidade inicial, aos ideais em nome dos quais foi fundado, em fevereiro de 1980.

Está lá no manifesto de fundação, com todas as letras:
"Os trabalhadores querem a independência nacional. Entendem que a Nação é o povo e, por isso, sabem que o país só será efetivamente independente quando o Estado for dirigido pelas massas trabalhadoras". [Se, enquanto tal dia não chega, abdicarmos das mais ínfimas afirmações de independência, que exemplo estaremos dando às massas trabalhadoras?!] 
Também está lá, preto no branco:
"O PT pretende ser uma real expressão política de todos os explorados pelo sistema capitalista. Somos um Partido dos Trabalhadores, não um partido para iludir os trabalhadores". [O que são os subterfúgios para bater a porta na cara do Snowden, se não formas de iludir os trabalhadores e todos os brasileiros ciosos da soberania nacional?]
Já somos um milhão de cidadães exigindo que, pelo menos neste caso, o PT no governo não traia os princípios trombeteados pelo PT no palanque.

Seremos muito mais, se o governo continuar se comportando como avestruz.

Presidenta Rousseff llegó a Cuba para participar en Cumbre de la Celac


25/01 na história - 1º comício pela Diretas Já.

Hoje em 4:24 PM
Foram exatos apenas quatro meses: de 25 de janeiro, dia do primeiro grande comício, em São Paulo, a 25 de abril de 1984, em Brasília, quando a emenda das "Diretas Já" foi derrotada no Congresso Nacional.
Depois de 20 anos de regime militar, o povo saiu às ruas para reconquistar o direito de escolher seu presidente da República em eleições diretas. O movimento acabou se transformando na maior manifestação de massas da nossa história e mudou a cara do nosso país, com o povo brasileiro, pela primeira vez, assumindo o papel de protagonista do seu próprio futuro.
Trinta anos atrás, a esta hora, no final da manhã, estava saindo de casa cheio de esperanças para me juntar à multidão que tomou a praça da Sé, apesar da forte chuva que caia na cidade. Mais que um comício com as principais lideranças políticas da oposição, da sociedade civil e da nossa cultura, sob o comando do grande amigo Osmar Santos, o "locutor das Diretas", a campanha mostrou ali o que aconteceria nas semanas seguintes, tomando as ruas e praças de todo o país: uma grande festa, unindo o povo em um só grito para dar um basta à ditadura.
Como repórter, tive a oportunidade de acompanhar toda a campanha, do começo ao fim e, como todo mundo, fiquei arrasado quando faltaram apenas 22 votos para a aprovação da Emenda Dante de Oliveira, que restituía as eleições diretas, na trágica madrugada de 25 para 26 de abril. Em depoimento ao projeto "Memória Coletiva", criado pelo jornalista Paulo Markun, em 2011, contei como foi a cobertura das Diretas Já, que também está no meu livro Explode um Novo Brasil _ Diário da Campanha das Diretas, publicado pela Editora Brasiliense (acho que ainda pode ser encontrado na internet).
Abaixo, reproduzo um trecho do depoimento sobre como terminou a noite em Brasília, após a derrota da emenda, que Markun publicou em seu site sob o título "A pior lembrança do cronista das diretas: o choro de Torloni":

A primeira imagem que vem, Markun, não é uma boa lembrança, mas a da derrota, porque às vezes a gente se esquece que a campanha acabou sendo vitoriosa só cinco anos depois, mas naquele ano, no 25 de abril de 1984, no dia da votação da emenda Dante de Oliveira, o sentimento foi de uma enorme frustração, de uma enorme tristeza, e de revolta.
Naquele momento, jornalistas como eu e vários outros _ só a Folha mandou uns dez enviados especiais pra Brasília naquele dia pra acompanhar a votação _ ficaram indignados. A emenda foi derrotada pelos que se ausentaram do plenário, se esconderam em seus gabinetes, e nós vimos esses caras depois da votação (...) saindo meio escondidos  dos gabinetes pra ir embora. E nós xingamos esses caras, nem me lembro quem eram, xingamos e tal, e tivemos que ir para a sucursal escrever as nossas matérias.
Até aconteceu uma coisa curiosa no caso da equipe da Folha porque nos apressaram para enviar o material, mas a votação terminou tarde, de madrugada, e nós combinamos ali que ninguém iria mandar nada enquanto não tivesse o resultado do jogo.
Corremos o risco e deu certo, porque o Estadão, que fechou mais cedo, deu a seguinte manchete: "Faltam votos para a aprovação das diretas". Eles fecharam no horário, meia-noite e tal, sem o resultado da votação, e nós da Folha saímos tarde pra burro, mas com o resultado, e o jornal rapidamente se esgotou nas bancas _ o que salvou o nosso emprego...
Queriam rodar mais exemplares, só que o pessoal da oficina já tinha ido embora. E a imagem que me ficou é do restaurante Piantella, muito conhecido em Brasília, reduto de jornalistas, de políticos, de todo mundo, dos artistas que participaram ativamente da campanha, alguns chorando.
Eu me lembro nitidamente da Christiane Torloni, que estava inconsolável. O país todo foi às ruas, parecia uma grande festa cívica e tal, e com um desfecho melancólico. mas que, tempos depois, daria nessa jovem democracia que nós vivemos hoje. Ali foi o divisor de águas, um marco na nossa história.


No prefácio do meu livro, que ele escreveu a mão, Ulisses Guimarães, o "Senhor Diretas", grande comandante daquela companha, escreveu um breve texto sob o título "O batismo é do povo". O manuscrito dele, enviado antes da votação no Congresso Nacional, foi a maior homenagem que já recebi na vida. Por isso, peço licença aos leitores para transcreve-lo aqui num dia que me trás à lembrança bons momentos e velhos amigos.

"Poesia é encontrar uma árvore esquecida à beira de uma estrada e glorificá-la".
O jornalista de raça é um mágico. Transfigura o anônimo em notável, celebra o desapercebido, enquadra o texto no contexto. Enquanto nós nos limitamos a olhar, ele vê as coisas, pessoas, a paisagem. Vê e conta.
Ricardo Kotscho é jornalista raçudo. O jornalismo está no seu sangue e no seu destino.
Andei com ele por praças e ruas deste infindável país. Entupidas de gente, de berros e de gestos de revolta e de esperança. Quando lia suas reportagens na Folha de S. Paulo ficava surpreendido e encantado.
Como é que o Ricardo viu aquele jovem frenético, registrou a originalidade daquele dístico, enxergou aquela mulher chorando, ouviu daquele velho as histórias de outros comícios e outros personagens?
Ele não se absorve nas estrelas do acontecimento. Sua pena é também alto-falante da multidão, assegura-lhe o papel de personagem no grande e terrível drama social brasileiro.
Osmar Santos é o locutor das diretas. Fafá de Belém é a cantora das diretas. Ricardo Kotscho é o cronista das diretas. O batismo é do povo. Leia este livro. Assim verificará que, mais uma vez, o povo tem razão.
Brasília, 18 de abril de 1984
Deputado Ulisses Guimarães
Bom fim de semana a todos e que São Paulo tenha uma bela festa no seu aniversário de 460 anos. Viva São Paulo!


Enviada por Vitor Buaiz