Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

sábado, 25 de janeiro de 2014

Copa 2014: Dilma, Neymar e Ronaldo, é só alegria! ká ká ká... --- Fidel na Venezuela?! Que história é essa?! --- Racismo na área: querem pegar o negão! E outras bobeiras...



.

Papo esquizoide... 


- Ficaríamos honrado com qualquer chamado de Joaquim Barbosa, um marco na história jurídica do país, um vulto  que resgata a dignidade dos brasileiros...  o mesmo não podemos dizer de qualquer convocação do Pinguço de Rosemary, agora confirmada sua verdadeira identidade Luiz Inácio Barba da Silva.
Aí vai mais uma fotinho para o senhor, seu João.
J.Miramar [O Turico, para a PressAA]

- É isso aí, Turico, ainda bem que é o Barba, pior seria se fosse como (!) você: o Pentelho!
Bom final de semana.
O Bruxo do Itanhangá

_______________________________________________________________________

23 Jan 2014 
Twitter

Após participar nesta quinta-feira (23) de reunião com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, na sede da entidade, em Zurique, na Suíça, a presidenta Dilma Rousseff conversou, pelo Twitter, com Kaká, Neymar e Ronaldo sobre a preparação para a Copa. Dilma iniciou o bate papo dizendo a Ronaldo que os preparativos para a Copa das Copas seguem em ritmo acelerado e que logo os 12 estádios estarão prontos. Nesta quarta-feira (22), Dilma inaugurou a Arena das Dunas, em Natal, o sétimo estádio entregue para o Mundial.
“É, Dilma, estamos entregando estádios modernos e seguros, que vão fazer bonito na Copa das Copas e trazer cada vez mais público para o futebol. As seis arenas já inauguradas arrecadaram R$ 176,5 milhões apenas com venda de ingressos no Campeonato Brasileiro de 2013″, respondeu Ronaldo.
Dilma prosseguiu com a conversa perguntando a Neymar em qual estádio ele gostaria de marcar seu gol mais bonito. Neymar disse que troca gols por vitórias e que o mais importante é a seleção e vencer e dar alegrias aos brasileiros. Para Kaká, Dilma perguntou sobre a expectativa em todo o mundo pelo início do Mundial. Ele respondeu que o recorde de venda antecipada de ingressos mostra o grande interesse pelos jogos no Brasil.
“É o futebol de volta à sua terra, o Brasil”, disse Kaká. “E dentro de campo vamos nos doar ao máximo e com o apoio da torcida buscar a Copa das Copas”, acrescentou Neymar. “É isso, Neymar! Vamos vencer a Copa das Copas dentro e fora de campo!”, concluiu Ronaldo.
Aos craques, a presidenta Dilma disse ainda que o Brasil vai receber os turistas do mundo todo com os braços abertos e uma infraestrutura preparada. Segundo ela, o legado da Copa das Copas será geração de emprego e renda.
“Ronaldo, Kaká e Neymar, obrigada pela conversa e o mundo vai se encontrar no Brasil na Copa das Copas”, afirmou.



_________________________________________________________________________________________

Vea el VIDEO: 1959, Fidel Castro en Venezuela

Publicado el 1/23/14 • en el tema Venezuela • Visitas 616 , 303 en este día • Imprime este Artículo Imprime este Artículo
fidel-en-caracas2-fidel-ernesto-vasquez
MATILDE SALAS SERVANDO – Cuando habían transcurrido solo 15 días de su llegada a La Habana desde la Sierra Maestra, al frente de la Caravana de la Libertad, el líder revolucionario Fidel Castro hizo su primer viaje al exterior luego del triunfo revolucionario del primero de enero de 1959.

24 Jan 2014 

foot
El “quenelle” involucra tener el brazo derecho extendido hacia abajo y tocar ese brazo con la mano izquierda
¿Qué hay en un ademán? Un gesto de apoyo para un amigo, un ademán que es “antisistema”, dice el futbolista francés Nicolas Anelka, quien escogió celebrar su gol en un partido de la Liga Premier Inglesa el fin de semana pasado con un movimiento que generó controversia no solo en el mundo deportivo sino también […]

Leia também...



_______________________________________________________________________________


23/01/2014
Joaquim_Barbosa175A_Antes_Depois
Via Brasil 247

Em sua primeira manifestação sobre o caso das diárias pagas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por sua viagem à Europa, o presidente da corte, Joaquim Barbosa, disse que considera a discussão “uma grande bobagem”. O ministro está em Paris participando de encontros políticos e participa de uma conferência na próxima sexta-feira na capital francesa, antes de partir para Londres.

Barbosa declarou não ter acompanhado as críticas da imprensa no Brasil, mas avaliou que se trata de “uma coisa muito pequena”. Após um compromisso na universidade Sorbonne, Barbosa foi questionado por jornalistas sobre o interesse público dos eventos que participa na Europa, pelos quais o STF pagou R$14.142,60 por um total de 11 diárias.

“O interesse público é esse que vocês estão vendo, eu sou o presidente de um dos poderes da República. Qualquer servidor que se desloca em serviço recebe diárias”, justificou Barbosa. Ele declarou em seguida não ter lido o assunto nos jornais do País. “Saí de férias. Acho isso uma tremenda bobagem. Temos coisas muito mais importantes a tratar”.

“Eu acho isso uma coisa muito pequena. Veja bem, você viaja para representar o seu País, para falar sobre as instituições do País, e vocês estão discutindo diárias”, continuou Joaquim Barbosa. “Quando na história do Brasil o presidente do poder judiciário teve as oportunidades que eu tenho de viajar pelo mundo para falar sobre um poder importante da República?”, questionou.

Barbosa critica colegas por liberdade a Cunha

Para ler completo, clique nos títulos...
_______________________________________________________________________________

Imagem inline 1

18 janeiro 2014


Templo do luxo fecha e será acionado por racismo

"Shopping JK Iguatemi, do empresário Carlos Jereissati, adotou uma medida radical neste sábado; com medo de ser alvo de um rolezinho, o mesmo empreendimento que já havia feito uma triagem na semana passada, vetando a entrada de jovens da periferia, desta vez decidiu fechar as portas; ONG UneAfro, que realizava um protesto no local, registrou boletim de ocorrência; segundo o advogado Eliseu Soares, atitude do shopping é inconstitucional e viola o direito de ir e vir; apartheid em xeque

Brasil 247

Depois de recorrer à Justiça para vetar a entrada de jovens da periferia em suas dependências, o shopping JK Iguatemi, do empresário Carlos Jereissati, adotou uma medida ainda mais radical neste sábado: fechou as portas. Por isso, será acionado por racismo por representantes da ONG UneAfro, que protestavam no local. A segregação no JK, de certa forma, consagra uma política de apartheid (leia reportagem anterior do 247 sobre o caso "Veto a rolezinho consagra apartheid brasileiro").

Até cerca de 15h30, estava impedida a entrada de carros e pedestres no shopping. Um dos líderes da União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os registrou boletim de ocorrência para registrar o crime de racismo. A entidade afirma que a manifestação que eles faziam nesta tarde era contra a discriminação praticada por shoppings paulistas na restrição da entrada de pessoas, que é feita por meio da aparência e pelo modo de vestir.

O movimento é organizado pela UNEAfro, mas outros grupos da mesma causa participam. Com o fechamento, o advogado Eliseu Soares, representante dos movimentos sociais, afirma que a atitude do shopping é inconstitucional e impede o direito de ir e vir. Segundo ele, o estabelecimento comete os crimes de constrangimento, racismo e denunciação caluniosa. Soares formou uma comissão e foi até o 96º DP, no bairro do Brooklin Novo, para registrar o Boletim de Ocorrência.

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil:

Manifestação a favor de "rolezinho" causa fechamento de shopping em São Paulo

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Uma manifestação a favor dos “rolezinhos” e contra o racismo causou o fechamento do Shopping JK Iguatemi, na zona Sul de São Paulo. O shopping funcionava normalmente até o momento em que os manifestantes chegaram em frente ao estabelecimento.

Todas as portas do centro comercial foram fechadas, impedindo, inclusive, a saída das pessoas que estão no interior do prédio. Também não é autorizada a entrada de clientes, logistas e funcionários. Não há presença da polícia, apenas do corpo de seguranças do estabelecimento.

Alguns manifestantes, que não portavam bandeiras e nem instrumentos musicais, chegaram a pedir aos seguranças autorização para entrar no prédio, o que foi negado.

Um grupo de advogados das entidades que participam do ato foi à delegacia policial mais próxima para fazer um boletim de ocorrência. Eles alegam que as pessoas passaram por constrangimento ilegal e que o shopping cometeu crime de racismo.

“Qual o crime que essas pessoas cometeram, o crime de vir ao shopping? Para mim está caracterizado o crime de racismo”, disse o advogado Eliseu Soares Lopez.

“Os shoppings agora se equiparam as universidades, porque a universidade seleciona que o branco entra e o preto não. Os shoppings se equiparam a polícia, porque ela haje de uma forma com o branco e de outra com o negro”, acrescentou.

Na porta do estabelecimento, os manifestantes permanecem reunidos. Eles falam palavras de ordem como “racistas, não passarão”, e “abaixo o apartheid”.
_______________________________________________

Ilustração: AIPC – Atrocious International Piracy of Cartoons

_______________________________________________

PressAA


.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Os rolezinhos nos acusam: somos uma sociedade injusta e segregacionista

Os rolezinhos nos acusam: somos uma sociedade injusta e segregacionista

http://leonardoboff.wordpress.com/2014/01/23/os-rolezinhos-nos-acusam-somos-uma-sociedade-injusta-e-segregacionista/
Por Leonardo Boff
23/01/2014
O fenômeno dos centenas de rolezinhos que ocuparam shoppings centers no Rio e em  São Paulo suscitou as mais disparatadas interpretações. Algumas, dos acólitos da sociedade neoliberal do consumo que identificam cidadania com capacidade de consumir, geralmente nos jornalões da mídia comercial, nem merecem consideração. São de uma indigência analítica de fazer vergonha.
Mas houve outras análises que foram ao cerne da questão como a do jornalista Mauro Santayana do JB on-line e as de três  especialistas que avaliaram a irrupção dos rolês na visibilidade pública e o elemento explosivo que contém. Refiro-me à Valquíria Padilha, professora de sociologia na USP de Ribeirão Preto:”Shopping Center: a catedral das mercadorias”(Boitempo 2006), ao sociólogo da Universidade Federal de Juiz de Fora, Jessé Souza,”Ralé brasileira: quem é e como vive (UFMG 2009) e  de Rosa Pinheiro Machado, cientista social com um artigo”Etnografia do Rolezinho”no Zero Hora de 18/1/2014. Os três deram entrevistas esclarecedoras.
Eu por minha parte interpreto da seguinte forma tal irrupção:
Em primeiro lugar, são jovens pobres, das grandes periferias,  sem espaços de lazer e de cultura, penalizados por serviços públicos ausentes ou muito ruins como saúde, escola, infra-estrutura sanitária, transporte, lazer e segurança. Veem televisão cujas propagandas os seduzem para um consumo que nunca vão poder realizar. E sabem manejar computadores e entrar nas redes sociais para articular encontros. Seria ridículo exigir deles que teoricamente tematizem sua insatisfação. Mas sentem na pele o quanto nossa sociedade é malvada porque exclui, despreza e mantém os filhos e filhas da pobreza na invisibilidade forçada. O que se esconde por trás de sua irrupção? O fato de não serem incluidos no contrato social. Não adianta termos uma “constituição cidadã” que neste aspecto é apenas retórica, pois  implementou muito pouco do que prometeu em vista da inclusão social. Eles estão fora, não contam, nem sequer servem de carvão  para o consumo de nossa fábrica social (Darcy Ribeiro). Estar incluído no contrato social significa ver garantidos os serviços básicos: saúde, educação, moradia, transporte, cultura, lazer e segurança. Quase nada disso funciona nas periferias. O que eles estão dizendo com suas penetrações nos bunkers do consumo? “Oia nóis na fita”; “nois não tamo parado”;”nóis tamo aqui para zoar”(incomodar). Eles estão com seu comportamento rompendo as barreiras do aparheid social. É uma denúncia de um país altamente injusto (eticamente), dos mais desiguais do mundo (socialmente), organizado sobre um grave pecado social pois contradiz o  projeto de Deus (teologicamente). Nossa sociedade é conservadora e nossas elites altamente insensíveis  à paixão de seus semelhantes e por isso cínicas. Continuamos uma Belíndia: uma Bélgica rica dentro de uma India pobre. Tudo isso os rolezinhos denunciam, por atos e menos por palavras.
Em segundo lugar,  eles denunciam a nossa maior chaga: a desigualdade social cujo verdadeiro nome é injustiça histórica e social. Releva, no entanto, constatar que com as políticas sociais do governo do PT a desigualdade diminiui, pois segundo o IPEA os 10% mais pobres tiveram entre 2001-2011 um crescimento de renda acumulado de 91,2% enquanto a parte mais rica cresceu 16,6%. Mas esta diferença não atingiu a raíz do problema pois o que supera a desigualdade é uma infraestrutura social de saúde, escola, transporte, cultura e lazer que funcione e acessível a todos. Não é suficiente transferir renda; tem que criar oportunidades e oferecer serviços, coisa que não foi o foco principal no Ministério de Desenvolvimento Social. O “Atlas da Exclusão Social” de Márcio Poschmann (Cortez 2004) nos mostra que há cerca de 60 milhões de famílias,  das quais cinco mil famílias extensas detém 45% da riqueza nacional. Democracia sem igualdade, que é seu pressupsto, é farsa e retórica. Os rolezinhos denunciam essa contradição. Eles entram no “paraíso das mercadorias” vistas virtualmente na TV para ve-las realmente e senti-las nas mãos. Eis o sacrilégio insuportável pelos donos do shoppings. Eles não sabem dialogar, chamam logo a polícia para bater e fecham as portas a esses bárbaros. Sim, bem o viu T.Todorov em seu livro “Os novos bárbaros”: os marginalizados do mundo inteiro estão saindo da margem e indo rumo ao centro para suscitar a má consciência dos “consumidores felizes” e lhes dizer: esta ordem é ordem na desordem. Ela os faz frustrados e infelizes, tomados de medo, medo dos próprios semelhantes que somos nós.
Por fim, os rolezinhos não querem apenas consumir. Não são animaizinhos famintos. Eles tem fome sim, mas fome de reconhecimento, de acolhida na sociedade, de lazer, de cultura e de mostrar o que sabem: cantar, dançar, criar poemas críticos, celebrar a convivência humana. E querem trabalhar para ganhar sua vida. Tudo isso lhes é negado, porque, por serem pobres, negros, mestiços sem olhos azuis e cabelos loiros, são desperezados e mantidos longe, na margem.
Esse tipo de sociedade pode ser chamada ainda de humana e civilizada? Ou é uma forma travestida de barbárie? Esta última lhe convem mais. Os rolezinhos mexeram numa pedra que começou a rolar. Só parará se houver mudanças.
Artigo escrito primeiramente para o JB on-line

ex-militantes e representantes de comissões da verdade revisitam centro de tortura no Rio


"Para nós, que fomos torturados aqui, visitar o passado não é festa"

Em diligência à antiga sede da Polícia do Exército na Vila Militar, ex-militantes e representantes de comissões da verdade revisitam centro de tortura no Rio

Por Marsílea Gombata | http://bit.ly/1jr1b6I


Curtir ·  · Compartilhar

"Carta Aberta em Apoio à Ministra Maria do Rosário

Minha solidariedade a combativa Ministra da Secretaria de Direitos Humanos Maria do Rosário, que sempre foi coerente e corajosa defensora dos Direitos Humanos
‪#‎DIREITOSHUMANOS‬ "Carta Aberta em Apoio à Ministra Maria do Rosário Os movimentos de defesa dos direitos humanos que subscrevem esta carta, reunidos em Porto Alegre/RS durante o Fórum Social Temático (FST 2014), manifestam apoio à ministra Maria do Rosário diante dos ataques desqualificados e raivosos que vem sofrendo por conta da sua atuação contra as discriminações. A postura combativa da ministra de se posicionar de pronto diante de uma violação nos representa, uma vez que essa postura dá visibilidade às nossas lutas, sempre tratadas de forma secundária. Assim como em inúmeras ocasiões, os movimentos de direitos humanos procuraram a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e pediram um posicionamento diante da morte do jovem Kaique Augusto Batista dos Santos, ocorrida em São Paulo. O perfil do jovem, a forma como morreu e os relatos de sua família indicam claramente se tratar de um crime homofóbico. Não constatamos isso para declarar uma guerra santa, como alguns disseminadores do ódio e da intolerância tentam fazer, mas como forma de alerta para a sociedade de que não podemos mais conviver em uma sociedade que discrimina e viola direitos de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. De acordo com relatório produzido pela Secretaria de Direitos Humanos, essa violência aumentou 11% em um ano. Neste episódio, mais uma vez contamos com uma imediata reação da SDH e da ministra Maria do Rosário, que se posicionou contra a violência e pediu apuração rigorosa do caso. Preferimos uma ação indignada e imediata do que a omissão, que infelizmente ainda caracteriza muitos dos agentes públicos do nosso país. Neste sentido, queremos reafirmar nosso pedido para que a Secretaria de Direitos Humanos acompanhe as investigações, cobre transparência e mobilize todas as formas possíveis para garantir uma apuração isenta e esclarecedora sobre a morte de Kaique, uma vez que sua própria família diverge sobre a causa de sua morte. De toda forma, precisamos fazer, a partir desse caso, uma importante reflexão sobre o tratamento que a nossa sociedade dispensa a jovens gays e negros, que acaba resultando na abreviação de vidas. O Brasil não pode mais aceitar esse tipo de acontecimento, muito menos naturalizá-lo. Precisamos com urgência de uma legislação que puna os crimes de ódio e intolerância. Porto Alegre (RS), 23 de janeiro de 2014 Articulação Nacional de Gays - ARTGAY Associação Brasileira de Lésbicas - ABL Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABGLT Associação Brasileira de Saúde Mental Associação Cristã pela Abolição da Tortura - ACAT Brasil Associação Inclui Mais Associação Nacional de Travestis e Transexuais - ANTRA Central dos Movimentos Populares - CMP Central Única dos Trabalhadores - CUT Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE Fórum Nacional de Juventude Negra - FONAJUNE GRUPO E-JOVEM de Adolescentes Gays, Lésbicas e Aliados Instituto Popular de Educação em Direitos Humanos - IPEDH Liga Brasileira de Lésbicas - LBL Marcha Mundial de Mulheres - MMM Movimento Nacional de Direitos Humanos - MNDH Rede Nacional de Negras e Negros LGBT - Rede Afro LGBT"

Delúbio Soares: Professor, sindicalista, fundador e militante do PT e da CUT, ambientalista e PRESO POLÍTICO, está na geladeira, vamos aquecê-lo de solidariedade





Olá companheir@s,
Agora chegou a vez do companheiro Delúbio Soares, contar com a colaboração da militância do PT. 
Ele que foi condenado a  seis anos e oito meses de reclusão e a pagar uma multa de  R$ 466.888,90 imposta pelo Supremo Tribunal Federal.
Delúbio possui biografia impecável:  professor, sindicalista, fundador do PT e da CUT e lutador das causas sociais,  jamais acumulou patrimônio pessoal.
Desejamos que da mesma forma que nos solidarizamos com o Genoíno, no pagamento de sua multa, também vamos aumentar esta rede de solidariedade e quitar seu débito com a justiça.
Por isso a familia de Delubio abriu nesta terça-feira (21) um site para receber doações de todos que queiram colaborar.  
Na página, Delúbio postou mensagem em que crítica o julgamento da AP470, conhecida como mensalão, atribuindo o resultado a reações  contra  as vitórias do PT ao eleger Lula e Dilma à Presidência.
Contamos com sua colaboração!
Acompanhe o site do MobilizaçãoBR. Curta, siga, compartilhe!
Twitter: @MobilizacaoBR
Facebook: http://www.facebook.com/mobilizacaobr Um abraço,
Equipe MobilizaçãoBR
_______________________________________________________________________________



22/01/2014

Geladeira criada por indiano dispensa eletricidade e custa R$ 135


Além de representar uma das fatias da conta mensal de luz, a geladeira é um eletrodoméstico que não é acessível a 100% da população, sobretudo nas regiões mais afastadas e vulneráveis de muitos países. Ao pensar nisso, o artesão indiano Mansukhbai Prajapati idealizou um refrigerador que dispensa a eletricidade para funcionar. Batizado de MittiCool, o aparelho funciona à base do mesmo princípio de resfriamento dos velhos filtros de cerâmica.
A inovadora geladeira, cuja temperatura pode chegar a 8ºC, consegue deixar frutas, legumes, leite e verduras frescos por até três dias, por meio de uma câmara de água na parte superior do produto. A evaporação escorre pelas laterais da parede de cerâmica da geladeira (quatro tipos diferentes de argila), o que faz com que os mantimentos continuem frescos. Já á torneira na parte frontal disponibiliza água para o consumo.
E quanto ela custa? – O valor médio de venda da MittiCool é de R$ 135,00, o que a torna acessível a uma boa parcela da população, levando-se em conta o preço de uma geladeira convencional (que ainda por cima gasta energia). “Em 1997 eu havia lançado com sucesso um mini filtro de água. Então, a partir de 2002 eu comecei a trabalhar nessa pequena geladeira”, relata Prajapati em seu site.
Segundo ele, a geladeira-filtro tem até pedidos de encomenda de outros países.O artesão, 49 anos, nasceu na aldeia Wankaner, onde aprendeu a trabalhar com argila. “Meu objetivo é fornecer todas as versões mais acessíveis em escala nacional para as pessoas que não possam pagar por produtos eletrodomésticos”, completa o inventor. (Fonte: Terra)
_______________________________________________

Ilustração: AIPC – Atrocious International Piracy of Cartoons

_______________________________________________

PressAA

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

DE QUE LIXEIRA SAIU ESTA CARTILHA DE REPRESSÃO DITATORIAL?

Vamos supor que você fique sabendo da existência de um manual para a intervenção das Forças Armadas em situações que não configuram, nem de longe, o enfrentamento de inimigos externos (a missão que a elas compete numa verdadeira democracia).

Um manual que contenha tópicos como estes:
  • "Operação de Garantia da Lei e da Ordem é uma operação militar conduzida pelas Forças Armadas, de forma episódica, em área previamente estabelecida e por tempo limitado, que tem por objetivo a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio... 
  • "Forças Oponentes são pessoas, grupos de pessoas ou organizações cuja atuação comprometa a preservação da ordem pública ou a incolumidade das pessoas e do patrimônio... 
  • "A decisão do emprego das Forças Armadas  na garantia da lei e da ordem compete exclusivamente ao Presidente da República, por iniciativa própria, ou em atendimento a pedido manifestado por quaisquer dos poderes constitucionais...
  • "...pode-se encontrar, dentre outros, os seguintes agentes como Forças Oponentes: a) movimentos ou organizações; c) pessoas, grupos de pessoas ou organizações atuando na forma de segmentos autônomos ou infiltrados em movimentos, entidades, instituições, organizações... 
  • "...podem-se relacionar os seguintes exemplos de situações a serem enfrentadas durante uma Operação de Garantia da Lei e da Ordem: c) bloqueio de vias públicas de circulação; d) depredação do patrimônio público e privado; e) distúrbios urbanos; f) invasão de propriedades e instalações rurais ou urbanas, públicas ou privadas; g) paralisação de atividades produtivas; h) paralisação de serviços críticos ou essenciais à população ou a setores produtivos do País; i) sabotagem nos locais de grandes eventos; e j) saques de estabelecimentos comerciais.
  • "...podem-se relacionar as seguintes ações a serem executadas durante uma Operação de Garantia da Lei e da Ordem: c) controlar vias de circulação urbanas e rurais; d) controlar distúrbios; e) controlar o movimento da população; f) desbloquear vias de circulação; h) evacuar áreas ou instalações; l) impedir o bloqueio de vias vitais para a circulação de pessoas e cargas; m) interditar áreas ou instalações em risco de ocupação; n) manter ou restabelecer a ordem pública em situações de vandalismo, desordem ou tumultos; r) prover a segurança das instalações, material e pessoal envolvido ou participante de grandes eventos; restabelecer a lei e a ordem em áreas rurais; e v) vasculhar áreas"
Você, claro, pensará tratar-se de um documento encontrado entre as imundícies da lixeira da História, originário da Alemanha de Hitler, da Itália de Mussolini, do Chile de Pinochet ou, mesmo, do Brasil de Médici.

Difícil mesmo seria você adivinhar que ele foi publicado no site do Ministério da Defesa brasileiro, no apagar das luzes de 2013, com o aval e a assinatura do ministro incumbido de defender e preservar a democracia que o País tanto sofreu para reconquistar (um senhor chamado Celso Amorim).

Parece que a paúra que lhes inspiram os indignados e a garotada dos rolezinhos, neste ano de Copa do Mundo e de eleição presidencial, está transtornando nossos governantes a ponto de eles abdicarem da mais comezinha cautela (para não falarmos do próprio instinto de sobrevivência!).

Será que não passa pela cabeça desses obtusos burocratas a possibilidade de um futuro presidente da República fazer o pior uso possível de tal cartilha de repressão ditatorial?!

Os signatários do Ato Institucional nº 5, dentre eles o Delfim Netto e o Jarbas Passarinho, também supunham que aquelas medidas totalitárias serviriam mais como espantalho, para intimidar e dissuadir os resistentes, do que para serem neles hediondamente aplicadas. Serão amaldiçoados até o final dos tempos por causa dos horrores que decorreram de suas insensatas assinaturas. 

Ai de quem escancara os portões do inferno, Amorim!


TEXTOS RECENTES DO BLOGUE NÁUFRAGO DA UTOPIA (clique p/ abrir):

Las FARC publican en exclusiva para ANNCOL, un extenso documento sobre el tema del Narcotráfico y la Paz

ACTUALIDAD

Enero 22. Las FARC publican en exclusiva para ANNCOL, un extenso documento sobre el tema del Narcotráfico y la Paz

Escrito por Delegación de Paz de las FARC-EP 

La Agencia de Noticias Nueva Colombia, ANNCOL, publica en exclusiva cuatro entregas de un documento extenso sobre el espinoso tema de la “Solución al problema de las drogas ilícitas”, elaborado por la Delegación de Paz de las FARC-EP en La Habana. Esta es la primera parte.

 
 

Enero 22. Las FARC denuncian exterminación de activistas políticos Marcha Patriótica

Escrito por Delegación de Paz de las FARC-EP 

Juan Manuel Santos se ríe mientras los generales y los funcionarios de la Fiscalía arremeten contra La Marcha Patriótica.
¿Esas son las "garantías" y condiciones que Santos ofrece a la insurgencia en La Habana?
El pasado 20 de enero, en rueda de prensa, la ex senadora Piedad Córdoba denunció ante el mundo la noticia del asesinato de 29 activistas del Movimiento político y social MARCHA PATRIÓTICA en dos años de existencia. Y en el mismo evento, uno de los 256 activistas encarcelados, Francisco Tolosa, responsable de relaciones internacionales de esa organización,sin nunca haber empuñado un arma,expresó vía telefónica desde la prisión, que, "estamos presos por hacer política sin armas" y opinó "que no hay democracia real en Colombia sin Marcha Patriótica".



Assinaturas para Carta de Apoio a Celac - TODOS


A Casa da América Latina

Solicita seu apoio e assinatura, a Carta à Cúpula da Celac. Todos(as) humanistas, estamos formando uma rede de solidariedade para o sucesso da reunião  do CELAC ( Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), que será realizada em Cuba nos dia 28 e 29 de janeiro, onde a possibilidade da inclusão na pauta, a proposta da luta de Paz na Colômbia com Justiça Social. Pedimos que enviei a seus contatos, queremos enviar o maior numero de assinaturas do Brasil. Estamos concentrando os apoiamentos via Casa da América Latina. Estaremos enviando para a organização até sábado ao meio do dia. Agradecemos muito seu apoio. A Solidariedade é dos Povos.

Saudações Latino Americanas
Valmiria Guida

favor copiar e mandar assinadas no endereço casa.america.latina@gmail.com 

1ª Carta a ser assinada: 
Pela Paz na Colômbia
A situação na Colômbia é cada vez mais preocupante.
Em 2013, as forças militares ou paramilitares mataram 30 militantes da Marcha Patriótica e 25 da CUT.
Prisões arbitrárias acontecem quase todos os dias: já são 9.500 presos.
O Procurador da República, em decisões pessoais, cassou o mandato da Senadora Piedad Córdoba e agora do prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, de tradição na esquerda. Suspenderam seus direitos políticos por muitos anos.
O governo Manuel Santos fala em paz da boca para fora. Prendeu este mês o professor da Universidade Nacional Colombiana, Francisco Toloza, que representava a Marcha Patriótica na América Latina e esteve muitas vezes, de forma ampla, com todos os setores de esquerda no Brasil. Na acusação, acredite, citam-se seus encontros com Adolfo Perez Esquivel (Nobel da Paz), “Pepe” Mujica (Presidente do Uruguai) e o intelectual argentino Atilio Borón.
Não aceitam um cessar-fogo. Os diálogos de paz em Havana estão ameaçados. Sua frustração significará, como de outras vezes na história colombiana, extermínio e repressão brutal contra os partidos de esquerda e os movimentos sociais.
A paz na Colômbia não é um problema dos colombianos, mas de toda a América Latina, de todos nós.
Aproveitando a reunião da CELAC, dentro em breve, exatamente em Cuba, em contato com amigos defensores da paz na Colômbia, acabamos por construir uma Carta Aberta à CELAC, que pode ser vista logo abaixo.
Sua assinatura valorizará a petição, que será entregue aos Ministérios das Relações Exteriores do Brasil e de Cuba. O governo cubano vai propor na Cúpula a consideração da América Latina e Caribe como uma zona de paz, o que facilita o êxito da nossa carta aberta (veja abaixo da carta a notícia). A Carta Aberta é uma solidariedade também a Cuba, anfitriã e fiadora dos diálogos entre as FARC e o governo colombiano, e que teria um grande desgaste se não se firmar a paz, cujo êxito a projetaria mundialmente.
Se você concordar com a carta, favor me responder. Se possível, colha assinaturas de amigos e amigas, fazendo o favor de me mandar depois os nomes e referências.
Pelo prazo que temos, permita-me dizer que é urgente!
Um abraço
Ivan Pinheiro


Latinoamérica zona de paz, propondrá Cuba en la Celac
Publicado el 1/20/14 • en el tema Cuba • Visitas 230 , 11 en este día •  Imprime este Artículo
La Habana — Cuba propondrá durante la II cumbre de la Celac, que se celebrará en La Habana el 28 y 29 de enero, declarar a América Latina y el Caribe Zona de Paz, informó este domingo un alto funcionario.
“Nosotros tenemos la intención, y creemos que es de mucha importancia, que en esta II cumbre en La Habana se proclame a la América Latina y el Caribe como Zona de Paz”, dijo a la televisión cubana el vicecanciller Abelardo Moreno.
Moreno señaló que la reunión de los 33 jefes de Estado o gobierno de la Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (Celac) analizará esta propuesta, tras considerar que no es suficiente que la región sea Zona Libre de Armas Nucleares.
“Ya desde hace años, nuestra región es una Zona Libre de Armas Nucleares, después del tratado de Tlatelolco que lo definió (que entró en vigencia en 1969), tratado del cual somos parte los 33 países de nuestra región.Pensamos que no es suficiente”, dijo.
“Creemos que es preciso (que) los jefes de Estado y gobierno de la región lleguen al acuerdo de que cualquier diferencia, cualquier conflicto, siempre se resuelva por las vías del diálogo, de la negociación y que nunca se llegue ni a la amenaza ni al uso de la fuerza”, añadió.
La propuesta cubana es uno de los 26 documentos especiales que ya negocian los expertos para que sean sometidos por los gobernantes en la cumbre, además de la Declaración Política y el Plan de Acción para 2014.
El resto de los documentos están referidos al reclamo argentino sobre las islas Malvinas, el rechazo al embargo de Estados Unidos contra Cuba, la lucha contra el terrorismo, el papel de las transnacionales en la región, las políticas culturales y “una enorme gama de temas que están ya en un proceso acelerado de negociación”, concluyó el vicecanciller.

2ª carta a ser assinada:

CÚPULA DA CELAC EM HAVANA: UMA OPORTUNIDADE PARA A PAZ COM JUSTIÇA SOCIAL NA COLÔMBIA!

Foi um grande avanço para a integração da América Latina a criação da CELAC (Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos), numa histórica reunião de cúpula no México, em 2010, com a participação de trinta e três países da região. Emblemáticas, para os nossos povos, foram a presença de Cuba e a ausência dos Estados Unidos, país que mancha a história do nosso continente com o sangue de sua permanente ação imperialista.
Na última cúpula da CELAC (janeiro de 2013, em Santiago do Chile) acordaram os estados membros, por consenso:
“Comprometemo-nos a que o clima de paz que prevalece na América Latina e no Caribe se assegure e em toda nossa região se consolide em uma Zona de Paz”.
Nos próximos dias 28 e 29 de janeiro de 2014, reunir-se-ão novamente os representantes dos países da Comunidade, desta vez significativamente em Havana, a Capital Mundial da Paz, que atualmente sedia os diálogos entre o governo colombiano e as FARC, na busca de uma solução política para o conflito colombiano.
Para fazer valer os compromissos assumidos em Santiago do Chile, justificar e valorizar a existência da CELAC e dar solidariedade a Cuba, anfitriã e fiadora dos diálogos, os abaixo-assinados reivindicam que seja incluída na pauta da Cúpula a questão da paz na Colômbia, país que já confirmou sua presença no evento.
A inclusão deste ponto na pauta, em verdade, é conseqüência de uma das resoluções da Cúpula anterior, que estabelece:
“Reiteramos o apoio ao processo de diálogo que acontece entre o Governo da Colômbia e as FARC, destinado a por fim a um conflito interno que por mais de 50 anos afetou o desenvolvimento político, social e econômico dessa nação amiga e fazemos votos para o êxito da iniciativa que conduza a alcançar um acordo para o bem do povo colombiano”.
Convencidos de que nosso apelo à inclusão deste tema na pauta do evento será ouvido, tomamos a liberdade de apresentar as seguintes propostas para apreciação da Cúpula:
- conclamar as partes a estabelecerem um cessar-fogo bilateral, sob a supervisão da CELAC;
- constituir uma representação da CELAC para acompanhar e facilitar os diálogos de Havana e, no caso de os entendimentos resultarem em acordo, observar a implantação e o fiel cumprimento de seus termos; 
- estabelecer um procedimento de libertação dos presos e reféns políticos em consequência dos conflitos.
 Brasil, janeiro de 2014

Anita Prestes – professora
Achille Lolo – jornalista
Anibal Valença - médico
Antonio Carlos Mazzeo - professor
Beto Almeida - jornalista
Bolivar Meielles – Coronel do Exército reformado
Caio Rodrigues – engenheiro agrônomo
Cid Benjamin – jornalista
Cristina Konder – jornalista
Débora Maria – Coordenadora das Mães de Maio
Edmilson Costa – economista e professor
Eduardo Gonçalves Serra - professor
Emiliano José – jornalista e escritor
Felipe Diniz – editor de odiario.info (Portugal)
Frank Svensson - arquiteto
Ildo Luis Sauer – professor e engenheiro
Ivan Pinheiro – Secretário Geral do PCB
Ivana Jinkings – editora
João Luiz Duboc Pinaud – jurista, Presidente da Casa da América Latina
José Paulo Gascão – editor de odiario.info (Portugal)
Katia da Matta – professora, diretora da Casa da América Latina
Leandro Konder – filósofo, escritor e professor
Lenin Novaes – jornalista, Conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa
Lincoln Penna - professor
Luiz Rodolfo Viveiros de Castro – Conselheiro da Casa da América Latina
Marcelo Chalreo – Presidente da Comissão Direitos Humanos do Colégio de Abogados do RJ
Marcos Del Roio - professor
Maria Aparecida Skorupski - professora
Mauro Iasi - professor
Miguel Urbano Rodrigues – jornalista e escritor
Milton Pinheiro - professor
Otto Filgueiras - jornalista
Paulo Metri  - engenheiro, Conselheiro do Clube de Engenharia
Raymundo de Oliveira – professor e diretor da Casa da América Latina
Ricardo Costa – professor
Ricardo Gebrim – Consulta Popular
Ricardo Gebrim – Presidente do Sindicato dos Advogados de São Paulo
Sergio Romagnolo – artista plástico
Sofia Manzano – professora
Rui Namorado Rosa – professor e escritor (Portugal)
Sabino Barroso - arquiteto
Valmíria Guida – diretora da Casa da América Latina
Virginia Fontes - professora
Zuleide Faria de Mello – professora, Presidente do Instituto Cultural  José Marti