Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

terça-feira, 4 de novembro de 2014

por Ivan Valente: GILMAR MENDES - O NEUTRO

via Marluzio Ferreira Dantas
Esse demente e delinquente foi quem vazou para a tucanalha o resultado antes do tempo e que até aquele momento tinha o aecim como vencerdor, lamentável para uma corte que deve ser justa.
GILMAR MENDES - O NEUTRO
A entrevista de encomenda feita pela Folha de São Paulo com o Ministro do STF, Gilmar Mendes, é deplorável. Um representante da mais alta Corte do país usa uma linguagem insidiosa, ideológica, direitista e conspirativa. Mendes mandou às favas as aparências de neutralidade. Ele acusou o conjunto do TSE de conformista, submisso ao poder executivo e de ter uma composição juvenil. Quer com isso deslegitimar o processo eleitoral?
Quando arguido sobre a indicação de novos Ministros do STF pelo governo eleito, ele deu a resposta pronta e tão ao gosto da grande mídia monopolizada, que demoniza a Venezuela: “o STF não pode se converter em uma corte bolivariana”, o que para ele significa “cumprir e chancelar o que o governo quer”. Certamente Gilmar Mendes deve estar defendendo a eleição direta dos magistrados, inclusive para o STF. Ou não?
Quando perguntado por que um Tribunal (STF), formado em sua maioria por indicados por governos petistas, condenou a cúpula do PT à cadeia, ele tergiversa falando de novos embargos.
Todo juiz, como qualquer cidadão, tem o direito de ter opiniões e preferências. Mas agir como militante político explícito e representante de ideias tão reacionárias, ultrapassa limites. E deve ter resposta das Cortes e da sociedade.
Gilmar Mendes prestaria grande serviço de interesse público se deixasse mais claro à Nação porque aceitou libertar o banqueiro Daniel Dantas, através de habeas-corpus, por duas vezes. Este permanece solto e é responsável por rombos milionários nos cofres públicos.
Também, poderia esclarecer porque, até hoje, depois de mais de seis meses, não liberou o seu voto na questão proposta pela OAB para acabar com o financiamento de empresas no processo eleitoral. A votação no STF já está em 6x1 votos favoráveis à proposta, ou seja: já tem maioria no Supremo. Em nome do combate a corrupção, o Brasil não merece ter Gilmar Mendes sentado em cima desse processo.
Mandato Ivan Valente – Deputado Federal PSOL-SP

 Plantão Brasil. - INFORMA:

Foi ele quem pediu vistas ao processo que daria fim ao financiamento de campanha por empresas, que á tinha 6 votos a favor. O processo encontra-se parado por causa dele até hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário