Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Petrolina Dilmais: “Somos ignorantes porque ignoramos os tucanos”

 



                                   “Somos ignorantes porque ignoramos os tucanos”
 
Presidente Dilma Rousseff rebate declaração de FHC, que chamou o eleitorado petista de "mal informado", durante comício em Petrolina, no sertão pernambucano; ela defendeu o Nordeste e mandou recado aos adversários: "Essa é uma das mais importantes regiões do país, apesar do que acham os tucanos. Eles falaram que os votos que eu recebi no semiárido no Nordeste eram de pessoas ignorantes. Nós somos ignorantes, porque ignoramos os tucanos", declarou; Dilma voltou a criticar a falta de água em São Paulo; "O estado mais rico do país não se preparou para a seca. Já o governo federal se preparou e trouxe água para o Nordeste"
21 de Outubro de 2014 às 15:34

Pernambuco 247 – Em defesa dos nordestinos e da região onde o PT tem maioria de votos, a presidente Dilma Rousseff alfinetou nesta terça-feira 21 o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que chamou de "mal informado" o eleitor que vota no PT. Diante de 30 mil pessoas em Petrolina, sertão pernambucano, a candidata à reeleição disparou: "somos ignorantes porque ignoramos os tucanos".
 
"Essa é uma das mais importantes regiões do país, apesar do que acham os tucanos. Eles falaram que os votos que eu recebi no semiárido no Nordeste eram de pessoas ignorantes. Nós somos ignorantes, porque ignoramos os tucanos", ressaltou Dilma em seu discurso. No primeiro turno da eleição, ela venceu em todos os estados do Nordeste, menos em Pernambuco.
Depois da declaração de FHC e da liderança de Dilma no primeiro turno, as redes sociais viraram palco de comentários preconceituosos contra nordestinos e pobres, que teriam sido responsáveis pela vitória da presidente. Contra a onda de ofensas, a campanha de Aécio Neves (PSDB) chegou a pedir investigação ao Ministério Público Federal sobre os autores das mensagens.
Dilma afirmou ainda em Petrolina que não reconhece no governo tucano como o que executou políticas a favor de nenhum estado brasileiro, muito menos pelo Nordeste. "Os tucanos têm uma visão ultrapassada do Brasil. Não sabem que o Brasil e esta região estão mudando pelo braço, garra, esforço de seu próprio povo e pelas oportunidades que os governos de Lula e o meu governo fizeram aqui no semiárido", declarou.
Abaixo, reportagem da Reuters sobre o ato político:
No semiárido do Nordeste, Dilma diz que São Paulo não se preparou para a seca
(Reuters) - A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, repetiu nesta terça-feira as críticas ao governo de São Paulo pela crise de falta de água no Estado, e afirmou, em discurso no semiárido nordestino, que o governo federal investiu para enfrentar a seca no Nordeste.
A crise da água em São Paulo foi levada à disputa presidencial entre Dilma e o candidato do PSDB, Aécio Neves, pela campanha da petista, que usou o tema em sua propaganda eleitoral para criticar o governo paulista comandando desde 1995 pelo PSDB.
"Nós fomos capazes aqui no semiárido de enfrentar a seca", disse Dilma em discurso a apoiadores em Petrolina, no sertão de Pernambuco, no primeiro de três eventos como candidata no Estado nesta terça.
"O Estado mais rico do Brasil, o Estado de São Paulo, não se preparou para a seca. Hoje, diante da maior seca, nós temos condições de viver aqui e de não ficar catando pingo d'água por aí", acrescentou.
Dilma disse que desde 2003 foram construídas um milhão de cisternas no semiárido.
Na terça-feira, Aécio respondeu às críticas sobre a crise de água em São Paulo afirmando que faltou parceira do governo federal, enquanto Dilma disse que seu governo fez tudo que o Estado pediu e acusou o governo paulista de falta de planejamento.
No discurso em Petrolina, Dilma reiterou também outros ataques aos governos tucanos, a quem acusou de governar para os ricos e sem se preocupar com a população mais pobre.
"O que não havia no Brasil era oportunidade, e os governos antes do Lula não davam oportunidade para ninguém. Agora, o governo garante oportunidade", afirmou, referindo-se ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes dele, Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, governou o Brasil por dois mandatos.
Ainda nesta terça-feira Dilma tem na agenda em Pernambuco um ato público em Goiana e uma caminhada em Recife, acompanhada de Lula.
A candidata à reeleição foi a Pernambuco em busca de votos no único Estado do Nordeste onde não venceu no primeiro turno, ficando atrás de Marina Silva (PSB), que assumiu a cabeça de chapa do partido depois da morte do ex-governador pernambucano Eduardo Campos.
Marina, que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial, anunciou apoio no segundo turno a Aécio, assim como a viúva e a família de Campos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário