Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas. Clique na imagem acima.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

carta ao candidato Machista: 'Não voto em homem que bate em mulher!'...'Lugar de agressor de mulher é na cadeia, candidato. E não na Presidência da República!'




'... No Brasil que você ( Aécio) defende violência contra a mulher é piadaNo Brasil de Dilma, a violência doméstica é crime...'

Caro candidato, tamanha é minha indignação como jovem, mulher e feminista que não poderia deixar de escrever essas linhas. Sua candidatura tem servido para estimular o ódio contra as mulheres e reforçar a cultura machista que tanto temos lutado para combater.
Muito tem me incomodado e a milhares de brasileiras a forma como você tem se referido as mulheres. Para você o Brasil ainda se divide entre “donas de casas” e “trabalhadores”. A velha divisão sexual do trabalho.  Parece que você não sabe, mas as donas de casa também são trabalhadoras. E, as mulheres tem ocupado entre tantas funções, aquelas que no passado eram apenas masculinas. Hoje, temos mais oportunidades, alto-estima e direitos conquistados. Somos o Brasil da seleção hexacampeã da Copa América de futebol feminino, golaço! As mulheres hoje são bandeirinhas, empresárias, engenheiras. Batem um bolão dentro e fora de campo. E, imagine só, chegamos até a Presidência da República.
Como se não bastasse o caso de agressão contra sua namorada, publicamente divulgado nas redes sociais e demais meios de comunicação, são frequentes os ataques de ódio e incitação à violência contra as mulheres através de seus correligionários e apoiadores. No último debate, seus assessores receberam a Presidenta da República aos gritos de: Vaca!  Enquanto isso o Pastor Malafaia, em seu twitter fazia piada com a violência doméstica e a Lei Maria da Penha, direito conquistado com muita luta pelas mulheres brasileiras.  Piadas sem graça, xingamentos machistas.  Ofendem não apenas a Presidenta Dilma. Mas, a todas as brasileiras que nos últimos anos escreveram uma nova página na história desse país. Quanto as propostas para as mulheres a resposta foi: nenhuma. Essa é a proposta de sua campanha para as mulheres? Mais violência, menos respeito?
Somos mais 52% da população e do eleitorado brasileiro, somos a maioria nas universidades, a maioria no PRONATEC. Somos as mais beneficiadas com o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida. Somos 67% da população economicamente ativa com carteira assinada. E, ao contrário do que o candidato disse no debate da Band não queremos um salário “mais próximo do que tem os homens”. Queremos um salário igual ao dos homens. Essa é uma luta histórica dos movimentos feministas e centrais sindicais: salário igual para, trabalho igual!
É candidato, saiba que essa geração de mulheres, que nascem e crescem num país governado por mulher e as que lutaram para chegarmos até aqui, não toleram o “dedo em riste”, não são “levianas”, nem “mentirosas”, muito menos “ignorantes”! Enquanto você saía de Minas para passear. Dilma saiu de Minas Gerais perseguida por lutar por liberdade e democracia.
Dilma, representada todas nós, mulheres, jovens, idosas, brancas, negras, indígenas, quilombolas, ciganas, trabalhadoras do campo e da cidade, casadas, solteiras, héteros, lésbicas, bi e transexuais que lutam ainda hoje para nos libertar das correntes do patriarcado. Lutamos para ocupar mais espaços de poder e ajudar a decidir os rumos do país que ajudamos a construir. Por isso, lutamos por uma reforma política que aprofunde e consolide a democracia brasileira empoderando as mulheres.
Por muito tempo o machismo tentou nos calar e afastar da política. Dilma, representa a força e a voz das brasileiras que tem coração valente!  Há apenas 82 anos conquistamos o direito de votar e sermos votadas. Depois da conquista do voto feminismo a eleição de Dilma, é a principal conquista das mulheres brasileiras.
Lugar de mulher é na política, candidato. Não nascemos para ser apenas primeira- damas, mais para governar ao lado dos homens. Independente do peso, da cor da pele, do cabelo, do tamanho. Nossa beleza não tem padrão! E, não é critério para participação na política como afirmam as declarações machistas de seus apoiadores nas redes sociais que chegam à exaltá-lo como “herói” ao apresentar suas ex-namoradas como “troféu”.
Para você as mulheres ainda são “donas de casas”. No Brasil de Dilma as mulheres podem sonham em ser Presidentas da República. No Brasil que você defende violência contra a mulher é piada. No Brasil de Dilma, a violência doméstica é crime. O Governo da primeira mulher Presidenta da República fez pelas mulheres o que nenhum outro governo fez. Não vamos retroceder! Lugar de agressor de mulher é na cadeia, candidato. E não na Presidência da República!
No próximo dia 26 as mulheres votarão contra o desemprego, contra o neoliberalismo, contra o machismo, pelo fim da impunidade e da violência contra as mulheres.
Não voto em homem que bate em mulher!
Maria das Neves, Diretora Nacional de Jovens Feministas da UJS

Nenhum comentário:

Postar um comentário