Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quarta-feira, 23 de julho de 2014

O NORTE FLUMINENSE, Bom Jesus do Itabapoana (RJ): BOM JESUS SERÁ A CAPITAL FLUMINENSE DA CULTURA LAT...

O NORTE FLUMINENSE, Bom Jesus do Itabapoana (RJ): BOM JESUS SERÁ A CAPITAL FLUMINENSE DA CULTURA LAT...: VEJAM A PROGRAMAÇÃO



sábado, 19 de julho de 2014


OS ARTISTAS LATINOS DO 5o. CIRCUITO CULTURAL

O 5o. Circuito Cultural Arte Entre Povos contará, em 2014, com a presença do artista plástico cubano Francisco Rivero, da produtora peruana Rocío Salazar, do músico chileno Luis Barrueto Astudillo, do violonista colombiano Jose Robison Enciso Valencia e dos brasileiros Aline Gonçalves, flautista e clarinetista, Phillip Johnston, cineasta, Adilson Figueiredo, historiador e artista plástico, Adriano Moura, poeta, Maria Elvira Tavares Costa, contadora de histórias, Cimar Pinheiro, fotógrafo, Rudson Costa, desenhista, e Daniel de Lima, professor de artesanato.

Após a apresentação em Bom Jesus do Itabapoana (RJ), os artistas e oficineiros marcarão presença em Laje do Muriaé (RJ), Guaçuí (ES), Cachoeiro de Itapemirim (ES), Pedra Dourada (MG), Conceição do Ipanema (MG), Sacramento (Manhuaçu/MG), com visitas a Varre-Sai (RJ) e Simonésia (MG), Porto Alegre (RS), Gravataí (RS) e Santo Antônio da Patrulha (RS). 




Vejam dados sobre os artistas e oficineiros:
Aline Gonçalves, brasileira, flautista e clarinetista carioca, se formou em 2004 como Bacharel em Flauta pela UNIRIO. Fez parte da lendária Itiberê Orquestra Família e gravou no disco "Mundo Verde Esperança" de Hermeto Pascoal.

 
Viveu de 2005 a 2007 no Chile onde teve contato com músicos de diversos países da América do Sul. Lá começou uma pesquisa profunda sobre os gêneros musicais da América do Sul que persiste até hoje e que resultou no disco "Verdevioleta - creaciones sobre musica de Violeta Parra" .

Luis Barrueto Astudillo, 38 anos, chileno. Baterista, percussionista e arranjador. Bacharel pela Escuela Moderna de Música. Atualmente participa em diversos projetos musicais envolvendo principalmente grupos que trabalhem a fusão latino americana. Tem participado de aproximadamente 20 discos editados como instrumentista. Tem realizado turnês no próprio país, na Europa e em outros países hispanos. É professor de música.

 
José Robison Elencio Valencia, violonista colombiano, com vasta experiência na música de seu pais. Gravou dois discos com o grupo “Comun Tres”, além da participar de vários projetos sinfônicos e folclóricos de música Colombiana. 
Saiu de seu país em 2012, em busca de uma troca musical mais intensa, que lhe tem permitido conhecer mais profundamente a música latino-americana. Atualmente é Mestrando na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
  
Francisco Rivero Castellanos nasceu em Havana, Cuba. Pintor, ilustrador e artista gráfico. Graduado no Instituto Superior de Desenho de Havana. Realizou desenhos e ilustrações para editoras em Cuba, Nigéria, França, Grécia, Canadá, Rússia, Alemanha e Espanha.
Autor de murais:
- Bélgica - Universidade de Louvain la Neuve.
- Espanha - Serrada. Provincia de Valladolid.
- França - Valence, Grenoble, Colmar, Sarreguenines, Pierralatte, Rives, Orsay, Toulouse.
- Andorra - Esclades Engordany, Ordino.
- Itália - Arezzo.
Realizou numerosas exposições individuais na França, Itália, Espanha, Suécia, Bélgica, Andorra, Lituânia e Macedônia (ex-Iugoslávia).
Exposições recentes realizadas:
2009/2010:
- V Exposição Internacional de Arte em Bom Jesus do Itabapoana, RJ, Brasil.
- Exposição Individual na Faculdade de Artes e Filosofia (FAFI) em Vitória, ES, Brasil.
- Exposição Individual “Marronage en Monmartre”, Maison Victor Hugo, Havana, Cuba.
2008/2009:
- Exposição Individual “Preto-Branco” no Museu Galeria Antanas Moncys, em Palanga, Lituânia.
- Exposição Individual “Preto-Branco” na Galeria XX2, Vilnius, Lituânia.
- Exposição Individual “De um país ardente”, Espaço Paul Jargot, Ville Crolle, Isère, França.
2007:
- Exposição Individual “Em junho como em janeiro”, Galeria La Buissonnière, Paris, França.
2005:
- Exposição Individual “A Festa”, Galeria La Buissonnière, Paris, França.
Atualmente trabalha em Paris - França.
Pode-se conferir um pouco de sua arte no bloghttp://jfranrivero.blogspot.com/




Rocio Salazar é peruana, bacharel em Artes Cênicas, com especialização em Teoria Teatral pela UNI-RIO, Universidade do Rio de Janeiro. Em 2002 concluiu o curso de Pós-Graduação em Gestão da Cultura com ênfase em Marketing Cultural pela UNESA - Universidade Estácio de Sá. Fundadora de Encontros Latino-Americanos que tem o objetivo de promover o intercâmbio da produção artística de países latino-americanos de fala hispânica com o Brasil. Curadora de duas edições da mostra RAÍZES NEGRAS LATINO-AMERICANAS, realizadas na Caixa Cultural do Rio de Janeiro (2006 e 2009). Produtora executiva dos documentários SON DE LOS DIABLOS (2004), ATAJO DE NEGRITOS (2006), UMA NOITE COM A FAMILIA ZEVALLOS (2006), e PRESERVAÇÃO DAS IMAGENS EM MOVIMENTO (2008). Atua em diversas outras áreas da produção artística.


Filmografia:
- SON DE LOS DIABLOS (2004) - Co-dirigido por Rafael Santa Cruz e Co-produzido por Cimarrones Comunicación Interétnica Global. Ganhou o prêmio Centro Provincial de Casas de Cultura no VII Festival Internacional de Documentários Santiago Álvarez In Memoriam (Santiago de Cuba).
- ATAJO DE NEGRITOS (2006) - Co-produzido por Teatro del Milenio.
- UMA NOITE COM A FAMILIA ZEVALLOS (2006), selecionado para mostra informativa do VI FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE POBRE (Gibara, Cuba 2008)
- PRESERVAÇÃO DAS IMAGENS EM MOVIMENTO (2008) Menção Honrosa da ABD&C-RJ durante a 13ª MOSTRA INTERNACIONAL DO FILME ETNOGRÁFICO.
- O OUTRO LADO DA PASSARELA (2012) Co-produção com a Oficina de Cinema SJC.
Links com os trailers dos documentários:
Página no Facebook com informações sobre os documentários:
https://www.facebook.com/philmagem




 Phillip Johnston é cineasta brasileiro, bacharel em cinema pela Universidade Estácio de Sá, membro da equipe do Ramal Cineclube (SESC Engenho de Dentro).Realizador de oficinas de cinema para crianças e jovens, dirigiu 05 documentários. Como produtor, trabalha, há dez anos, com a peruana Rocio Salazar.

Adilson Figueiredohistoriador e artista plástico brasileiro, restaurador-conservador do LACON (Laboratório de Conservação e Restauro) vinculado à SMU (Superintendência Estadual de Museus), da Secretaria Estadual de Cultura, do Rio de Janeiro.

Adriano Moura, brasileiro, é poeta, dramaturgo e romancista. Autor do livro de poesia "Liquidificador: poesia para vita mina" (Editora 7Letras), do romance "O julgamento de Lúcifer" (Editora Novo Século) e das peças  teatrais "Conselho de Classe", "Dezesseis", "Meu querido diário", "Não mediquem minha tristeza".

É Mestre em Cognição e Linguagem e professor de Língua Portuguesa da rede pública.

Coordena o projeto Corpus Literário da Faculdade Cândido Mendes, foi articulista do jornal Folha da Manhã, em Campos dos Goytacazes (RJ)  e administra o blog literário "ondemourapalavra.blogspot.com.br".

 

Maria Elvira Tavares Costa, brasileira, contadora de histórias, escritora e agente cultural. Graduações: Licenciatura em Sociologia; Administração de Empresas. Especializações: Psicopedagogia; Psicodrama.

Publicações:
- Livro: “No tempo da Onça”, reconto de histórias tradicionais da Comunidade Quilombola de Vargem Alegre. Autoria. 2013.
- Livro: “Todas as Faces de Maria”. Organização. Autoria: Genildo Coelho Hautequestt Filho. 2013.
- Livro: “Olhar do Braga sobre Cachoeiro”. Idealização, seleção de crônicas. Parceria com a equipe da Editora Cachoeiro Cult, 2013.
- Opúsculos: “Bernardo Horta” e “Nelson Sylvan”, publicações do Instituto Newton Braga.
Organização. 2012, 2011.
- Manual da Bondade – história das entidades filantrópicas de Cachoeiro de Itapemirim. 2010. Autoria do texto. Trabalho desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim.

Atividades Culturais:
- Projeto “Leitura no Embornal”, de formação de leitores – autoria e desenvolvimento. Parceria Associação de Folclore de Cachoeiro de Itapemirim – Ponto de Cultura do Folclore; Instituto Newton Braga; EMEB São Vicente (Biblioteca Comunitária de Vargem Alegre); EMEB Monte Alegre (Biblioteca Comunitária de Monte Alegre). Terceiro ano consecutivo.
- Circuito Cultural “Arte entre Povos”, realização ECLB – Espaço Cultural Luciano Bastos, Bom Jesus de Itabapoana, RJ. Edição 2013.
- Apresentações diversas.

Projetos:
- “Olhar do Braga sobre Cachoeiro”, sinalização viária. Idealização, seleção de textos e localização de placas. Co-autoria, com Genildo Coelho Hautequestt Filho. Realização Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, I Bienal Rubem Braga, 2006. Patrocínio SEBRAE.
- “Olhar do Braga sobre Cachoeiro”, cartão postal. Idealização, seleção de textos, seleção de fotos.  2007. Realização Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. Patrocínio SEBRAE.
- “Coisas de Mestre” – calendário, cartões postais e exposição, 2008. Realização Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. Patrocínio SEBRAE.
- “Velhas Histórias gerando Nova Vida”, projeto de contação de histórias e re-contação de vidas.
Terceira Idade. Centro de Convivencia para Idosos, Prefeitura Municipal de Marataízes, 2013. ALES – Assembleia Legislativa do Espírito Santo, Escola Cidadã, 2004.


 
Cimar Pinheiro, brasileiro, é fotógrafo, historiador, poeta e pesquisador. Nasceu em Espera Feliz (MG), em 20 de julho de 1954, mas viveu grande parte da sua vida em Angra dos Reis (RJ). Formado em História pelo Centro Universitário Claretiano, pesquisa os caminhos antigos da Região Sudeste do Brasil, com ênfase nos caminhos que passam pela Serra da Bocaina, com destino ao litoral de Angra do Reis e Paraty, importantes para o desenvolvimento da Província do Rio de Janeiro, no século XIX. Sobre esse assunto, fez palestras em várias escolas da região e reportagens para a TV Câmara de Angra dos Reis e TV Rio Sul (afiliada da Rede Globo de Televisão). Além disso, organizou passeios pelos caminhos antigos da região com caminhantes brasileiros e estrangeiros, para contar suas histórias e mostrar as belezas da Mata Atlântica. 

 
Atualmente, pesquisa a história de Dores do Rio Preto e a antiga estrada que ligava Mariana (MG) a Itapemirim (ES), construída no século XIX, passando ao sul da Serra do Caparaó. Trabalhou com alguns poetas angrenses, na organização do livro “Poesias ao Luar”, editado em 1988, e em fevereiro de 2001 lançou o livro “Angra dos Reis, Monumentos e história”, escrito para mostrar a beleza dos monumentos e da história angrense.

Contribuiu com os jornais de Angra dos Reis; além de ceder fotografias para os jornais O Globo, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e Diário do Comércio de São Paulo. Em 2002 escreveu uma reportagem para a revista capixaba “Trilhas e Ecologia”. Sobre a Vila de Mambucaba. Ajudou a criar a ONG Mambucaba – Sempre Viva para resgatar a cultura e a história da antiga Freguesia de Nossa Senhora do Rosário de Mambucaba, na qual realizou projetos voltados para as áreas educacional, ambiental e cultural. É Acadêmico do Ateneu Angrense de Letras e Artes, sócio da AFOCAR – Associação Fotográfica e Cultural de Angra dos Reis e da Confederação Brasileira de Fotografia. Em 2005 idealizou o concurso Fotografe Mambucaba; realiza também oficinas de fotografia com ênfase no uso da fotografia como instrumento de apoio pedagógico. Foi agraciado, em novembro de 2005, pelo presidente da Câmara de Vereadores de Angra dos Reis, com a Medalha do Mérito Cultural Brasil dos Reis, e em novembro de 2007, pelo presidente do Ateneu Angrense de Letras e Artes, com o colar de Cunhambebe. Em outubro de 2011, recebeu da Câmara de Vereadores de Dores do Rio Preto, o título de cidadão riopretense, por indicação do vereador Eder Polido de Aguiar. Na FCM Projetos Especiais, é responsável pela área técnica.





Rudson Costa, brasileiro, trabalha com pintura, desenho, design, cenografia e ilustração.
Essa é a definição do artista visual Rudson Costa, mais um cachoeirense que faz jus à tradição da cidade de ser um celeiro de artistas.

Aos 32 anos, formado em Arquitetura e Urbanismo, Rudson atua como artista plástico desde 2007.
Foi na faculdade de Arquitetura, no Rio, que o artista descobriu sua verdadeira paixão: a arte figurativa.

Em 2007 ele abandonou a faculdade e ingressou no ateliê do mestre Bandeira de Mello, na turma de modelo vivo.Neste mesmo ano fez seu primeiro grande painel pra um estande no Fashion Rio.

Atuou como assistente de direção de arte da produtora "Cara de Cão Filmes", também no Rio, participando em filmes publicitários, desenvolvendo projetos cenotécnicos.
Rudson faz retratos, telas decorativas e ilustrações por encomenda. “Em paralelo desenvolvo meus trabalhos (autorais) em experimentações variadas”.

Os materiais utilizados são os mais variados: sacolas plásticas, fitas adesivas, colagens sobre madeira, tela, acrílico e papel. Rudson tem preferência por desenhar figuras humanas.

Suas referências vão de Michelangelo a Velásquez, Frans Hals a Lucien Freud, cujas obras colocam a figura humana em destaque, em suas proporções e emoções.

O artista acredita que o mercado cultural de Cachoeiro é tímido e retraído.Para ele, deveria haver mais valorização dos artistas locais.

“O Cachoeirense, com algumas exceções, não reconhece o nível de sua produção cultural atual, e de seu passado além de Roberto Carlos, não absorve os talentos presentes aqui.Os poucos artistas que resistem padecem por pouca representação frente as outras prioridades do Poder Público”, avalia.

Com muita sensibilidade e um olhar único, o artista fez um grande sucesso com a exposição ‘A cor da carne’, no ano de 2011. Atualmente, seus trabalhos estão expostos na Pizzaria Parkin, no bairro Independência, com a exposição ‘100 Anos de Braguidão’; e no Stúdio do Crepe, na rua Bernardo Horta, bairro Guandu, com ‘A cor da carne’.

Jece Valadão, Roberto Carlos, Carlos Imperial, Luz Del Fuego, Sérgio Sampaio, Newton Braga, Raul Sampaio, Rubem Braga, Marly de Oliveira e o próprio Rudson, na figura de um menino assustado e com medo do carnaval, são retratados na obra ‘O bloco encaixa-o-eiro’, que é destaque dessa exposição. Oito telas se juntam para formar um grande painel com um hipotético bloco de carnaval".



Daniel de Lima, brasileiro, é professor de artesanato do Projeto Roçarte, mantido pela Petrobras. Formado por conceituadas escolas de Pernambuco, e com atuações em vários estados do país, lida há 25 anos com barro. Ministra aulas de artesanato, atualmente, no Rio de Janeiro e na Usina Santa Maria, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário