Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

terça-feira, 15 de abril de 2014

A cardiopatia de Genoino e as doenças especificadas em lei --- O baile de máscaras do perde e ganha eleitoral --- O politicídio contra o PT --- Dono da Ecoglobal mente em depoimento à Polícia Federal


Recebido por e-mail da redecastorphoto:


Amigos,

Tendo em vista que, por ordem de Joaquim Barbosa, Genoino foi submetido 
neste sábado pp. a novos exames médicos que deveriam servir de apoio
para a decisão de conceder-lhe ou não, em definitivo, o regime de prisão 
domiciliar ;  e que, em caso negativo, também terá de ser decidido se será
prorrogada sua estadia em casa ou ordenado seu retorno ao presídio, 
achamos muito importante trazer-lhes o artigo altamente esclarecedor do 
médico José Gomes, publicado hoje, 14 de abril, no GGN ( Luis Nassif online).

Seria excelente que déssemos a maior divulgação que pudermos a 
informações como esta, que não costumam circular nos veículos da mídia 
convencional. Para facilitar o acesso, segue abaixo uma cópia desse artigo.
O endereço completo de onde saiu publicado é:.


Aproveito ainda para informar que o projeto da nossa rede continua de pé, 
mas, por dificuldades práticas de diversos tipos, deve demorar ainda um 
tempinho. Assim que for possível realizar os primeiros testes, chamarei 
voluntários para nos ajudar. Se houver entre vocês profissionais da área de 
informática que conheçam o software livre de gerenciamento de redes 
chamado "Noosferato"  e queiram já agora nos dar uma forcinha,  por favor, 
entrem em contato comigo por email (escrevam no assunto "noosferato" ).

Obrigada e grande abraço,

Andrea 

A cardiopatia de Genoino e as doenças especificadas em lei

_______________________________________________________________________________


O baile de máscaras do perde e ganha eleitoral

Wanderley Guilherme dos Santos

Oposições não ganham eleições; governos perdem. Perdem a maioria que os elegeu, para começar, mas não só. Arriscam perder reputação, confiança e carisma.

Oposições não ganham eleições; governos perdem. Perdem a maioria que os elegeu, para começar, mas não só. Arriscam perder reputação, confiança, carisma e adesão subjetiva. O poder do governo em exercício é sempre enorme, em princípio. Compreende-se: enquanto o governo mostra o que faz, quanto faz, onde e para quem fez, as oposições, em geral, limitam-se a reclamar do que não tenha sido feito e a oferecer promessas. O oficialismo, nem que por inércia, é notícia diária, propaganda em sentido extenso, espécie de prestação de contas homeopática. À oposição resta o malabarismo de seus jornais e órgãos de divulgação para transformar o feito em mal feito e deflagrar o para-sorites revelado por Paulo Henrique Amorim: o jornal inventa a notícia, a televisão repercute, os parlamentares discutem e o jornal divulga e comenta. Aí a televisão repercute e repete-se o ciclo, como clara de ovo batida, crescendo. Se não há uma rede igualmente poderosa de divulgação capacitada a contrapor um ciclo alternativo, o para-sorites oposicionista equivale a poderosa ferramenta propagandística subliminar e, por ironia, com a ajuda dos parlamentares governistas. Diabólico, mas surte efeitos.

Há um limite impossível de identificar quantitativamente para a paciência do eleitorado em relação aos mal feitos de um governo. Nem todo sorites oposicionista é eficaz, mas o antídoto não está na verdade que o governo se disponha a restabelecer. Um boato faz estragos mesmo quando é denunciado. São mecanismos de psicologia coletiva e individual ainda por serem explicados, mas é possível que, mesmo informadas de que tal ou qual acusação não tem fundamento, as pessoas tenham suas convicções abaladas por suspeitas. O que era impoluto fica exposto à vigilância já comprometida, qualquer deslize e o estrago será desproporcional. Uma forma de compensar a vantagem do governo, seus supostos equívocos, mesmo se esclarecidos, dão lugar a conseqüências magníficas.

Na propaganda a verdade é secundária. Ainda que desmascaradas, mentiras podem ser politicamente devastadoras. Ao se comprovar que não havia nenhuma participação de familiares de Getulio Vargas no atentado a Carlos Lacerda, em 1954, o presidente já se suicidara. Quanto a 1964, cinqüenta anos depois, ainda estão sob escrutínio os motivos, condições e atmosfera que dispararam e fizeram vitoriosa a sublevação de uma unidade militarmente irrelevante. Não é exclusivamente com a verdade que um governo se defende do sorites da oposição. 

Reputação e carisma resultam de intrincado processo de construção que envolve, fundamentalmente, coerência. Um partido respeitado está vitalmente associado à previsão do que será capaz de fazer e do que em hipótese alguma virá a fazer. De um Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), no pré-64, jamais sairiam decisões contra aumentos salariais, por exemplo. Um partido no governo possui sempre uma agenda ainda por ser cumprida, dependendo dos desafios reais da política. As siglas partidárias de fortes raízes sociais representam promissórias universais para imprevistos eventos futuros.

Não houve surpresa nem acusação de quebra de palavra quando o governo de Fernando Henrique Cardoso deu início ao desmantelamento das entidades produtivas estatais. Nem haveria, caso as oposições atuais vencessem as eleições, quando os salários começassem a perder o poder de compra, o desemprego aumentasse e a remodelação da infra-estrutura material da sociedade fosse interrompida. Não precisam dizê-lo, seus apoiadores confiam na coerência partidária.

Quanto mais sólidos a reputação e o carisma, menor a capacidade destrutiva do sorites e boatos oposicionistas. Quanto mais coerente um partido, mais sólida sua reputação e carisma. Em cada eleição o que está crucialmente em jogo é este caráter de promissória universal assinada por um partido, cuja aceitação na praça depende de sua reputação e carisma, ou seja, de sua coerência. É esta riqueza intangível dos partidos no governo que as oposições buscam sacudir, intimidando, primeiro, os eleitores por assim dizer periféricos, aliados, do partido líder. Depois, buscando reduzir à paralisia, à inação, os apoiadores históricos da sigla. Em certos contextos, cada voto nulo ou em branco é um voto na oposição, uma recusa à promissória oficial.


Não há, no momento atual, dúvida bem fundada sobre o desempenho do governo. Declarações negativas em pesquisas são conjunturais, fruto, em parte se apresentam encorpadas o tanto quanto requerido por uma indiscutível vitória nas urnas. Já quanto à disposição do governo para perder... este parece sofrer de um soluço a cada, da operação do sorites oposicionista sem contestação eficiente. Mas há indiscutivelmente debates quanto às versões. No ambiente lusco-fusco das versões a imagem do governo aparece imprecisa e hesitante. É aí que se disputam reputação e carisma, crença na força preditiva das siglas, convicção que antecede o comportamento. Por ora as oposições não dia.


14/04/2014 - Copyleft

O politicídio contra o PT

O escritor e jornalista Bernardo Kucinski, autor do premiado 'K', enxerga uma mobilização em marcha para erradicar o PT da sociedade brasileira.

por: Saul Leblon 

A ideia de que só existe uma coisa a fazer em termos de política econômica– ‘a coisa certa’—é um daqueles  mantras com os quais o conservadorismo  elide as escolhas e conflitos inerentes à luta pelo desenvolvimento.

O ardil para desautorizar  a discussão do que importa –desenvolvimento para quem, desenvolvimento para o quê e desenvolvimento como?-- passa pela desqualificação moral do adversário.

A criminalização do agente contamina  sua agenda.

O escritor e jornalista Bernardo Kucinski –autor do premiado ‘K’, romance apontado como uma das grandes vozes do ciclo ditatorial brasileiro-- resgata o termo ‘politicídio’ para expressar o espanto com o que se passa no país.

Politicídio, grosso modo, é o extermínio de uma comunidade política.

Kucinski enxerga uma mobilização  em marcha  para exterminar o PT da sociedade brasileira, a começar pela sua presença no imaginário da população.

A aspiração  não é nova nas fileiras conservadoras. Em  2005, já se preconizava livrar  o país ‘ dessa raça pelos próximos trinta anos’.

Jorge Bornhausen, autor da frase, reúne credenciais  e determinação para  levar adiante seu intento. Hoje ele os exercita na articulação da campanha de Eduardo Campos e Marina Silva.

A verdadeira novidade  é a forma passiva como  um pedaço da própria intelectualidade progressista passou a reagir diante  dessa renovada determinação de exterminar o PT da vida política nacional.

Doze anos de presença do partido no aparelho de Estado, sem maioria no Congresso, por conta do estilhaçamento  intrínseco ao sistema político , explicam um pedaço do desencanto.

O ex-ministro Franklin Martins, em entrevista nesta página, resumiu  em uma frase  a raiz da desilusão: ‘o PT elege o presidente da República há três eleições e não elege 20% dos deputados federais (...) Se não se resolver isso, teremos uma crise permanente e o discurso de que o Brasil não tem mesmo jeito só se fortalecerá’.

Coube a Maria Inês Nassif, em coluna também  nesta página (leia: ‘Como um parlamentar adquire poder de chantagem?) debulhar o mecanismo através do qual o sistema de financiamento de campanha alimenta a chantagem do Congresso contra o Executivo e delega a  “pessoas com tão pouco senso público  credenciais para nomear ministros ou diretores de estatais”.

O politicídio contra o PT  faz o resto ao  descarregar nos erros do partido  –que não são poucos--  a tragédia da democracia brasileira.

Uma  inestimável contribuição à chacina foi providenciada pelas togas do STF ao sancionarem uma  leitura rasa, indigente, das distorções  implícitas à  construção de maiorias parlamentares na esfera federal.

Espetar  no coração do ex-ministro José Dirceu a indevida paternidade  --‘chefe de quadrilha’--  pela teia que  restringe a soberania do voto  é o ponto alto da asfixia do esclarecimento pelo  politicídio contra o PT.

O passo seguinte do roteiro conservador é estender a desqualificação do partido aos resultados do governo Dilma na economia.

A transfusão é indispensável  para emprestar  aromas de pertinência –‘fazer a coisa certa’--  ao lacto purga que o PSDB  tem para oferecer  às urnas de outubro: retomar aquilo que iniciou nos anos 90, o desmonte completo do Estado brasileiro.

A prostração de uma parte da intelectualidade progressista diante dessa manobra subtrai da sociedade uma de suas importantes sirenes de alerta quando a tempestade  congestiona o horizonte.

Por trás das ideias,  melhor dizendo, à frente delas, caminham os interesses.
Cortar a  ‘gastança’, por exemplo, é a marca-fantasia  que reveste a intenção de destroçar o pouco da capacidade de fazer política pública restaurada na última década.

Subjacente à panacéia  do contracionismo-expansionista (destruir o Estado para a abrir espaço ao crescimento privado) existe um peculato histórico.


É justamente ele que está na origem de boa parte dos impasses enfrentados pelo desenvolvimento brasileiro nos dias que correm.

(Para ler completo, clique AQUI)
___________________________

Laurindo Lalo Leal Filho

Lembranças da mídia "esquecida"           pela ditadura


_______________________________________________________________________________


Fórum

macaense [Paulo Juris]


13 de Abril de 2014



Dono da Ecoglobal mente em depoimento à Polícia Federal

O Sr. Vladimir Magalhães Silveira, mentiu em relação ao meu nome, na Operação Lava Jato.

A pedido do Diretor da Jaraguá, Sr. Pedro Storti, trabalhei por vários meses organizando a Ecoglobal, que seria adquirida pela Jaraguá.

Organizamos a empresa, que na época estava sem seu cadastro regularizado na Petrobras. Fizemos o Registro de Engenheiro Químico Responsável no Conselho Regional de Química, acompanhamos a inspeção, tiramos a empresa da nota zero de SMS e elaboramos os procedimentos, para uma nota que fosse viável a assinatura do Contrato na Petrobras; fornecemos e acompanhamos a regularização da empresa, quanto a certidões negativas, pois estava com certidões vencidas, criamos critérios para avaliação de qualidade, indicamos os procedimentos para abertura de filial nos EUA, em conformidade com a Receita Federal, etc...

Foram dezenas de trabalhos efetuados, para facilitar a compra da Ecoglobal pela Jaraguá, transformando a mesma em uma empresa, com seus processos de gestão, procedimentos técnicos e legais, absolutamente compatível as exigências da Petrobras.

Todos os fatos estão relatados e documentados de posse da Polícia Federal.
O dono da Ecoglobal está mentindo quando afirma que eu seria emissário da proposta feita pelo Sr. Paulo Roberto Costa. Participei sim, de reuniões com o intuito da venda, com o Presidente da Jaraguá, Wagner Othero, seu Vice Presidente Nasareno das Neves e o Sr. Pedro Storti.

Questionei o Sr. Pedro Storti em relação a oferecer a empresa à outros grupos de investidores, visto ele ser Diretor da Jaraguá e, eu não considerar esta atitude ética. A partir deste episódio, fui excluído de toda e qualquer informação, assim como passaram a não mais atender meus telefonemas.
Tudo que estou afirmando está amplamente documentado, entregue a Polícia Federal, assim como estou disponibilizando minha conta bancária, minhas declarações de Imposto de Renda, minhas contas de e-mails e tudo que for necessário para desfazer esta farsa montada, ainda não sei com que intuito final.

Em minha última reunião com o Sr. Vladimir, quando tentei cobrar meus honorários por serviços prestados, e não pagos nem por ele ou a Jaraguá, Empresa que já estou acionando na justiça. Durante a reunião, tive uma séria discussão, onde ao final da mesma, este me ameaçou, dizendo que tem dinheiro e força política; e que eu iria me arrepender por dizer que ele era mentiroso e trambiqueiro. A discussão foi tão acalorada que ao sair da sala de reuniões da Ecoglobal, vários funcionários estavam assustados na escadaria, o que pode ser confirmado por eles.

Presumo que o Sr. Vladimir, colocou meu nome nesta” sujeirada”, como vingança, por ter dito uma série de verdades, que feriram seu ego, ou como “boi de piranha”, para desviar o foco das investigações, para poder se capitalizar a qualquer custo, nos 52 milhões de equipamentos que terá de adquirir, para prosseguir na formatação do contrato ganho na Petrobras.
Assim como eu, vários profissionais da área técnica, que ajudaram a elaboração da proposta para o certame, foram alijados do processo e o Sr. Vladimir não pagou o tratado e combinado.

Fui lesado pelo Diretor da Jaraguá Pedro Storti, assim como pelo dono da Ecoglobal Ambiental, Vladimir Magalhães Silveira. Acreditei em falsas promessas que receberia minha remuneração, e por mais de um ano todo de trabalho, pagaram apenas R$ 4.000,00 e uma conta telefônica de cerca de 500 Reais.

Jogaram meu nome na lama, talvez sabendo que eu não teria condições financeiras, de pagar a um bom advogado e assim desviariam o foco dos verdadeiros envolvidos neste processo.

Vivo de meu trabalho, não participo de jogadas políticas, não sou amigo de infância de nenhum Senador, não alugo mansões para suplentes de Senador defronte as praias de Maceió, apenas sou mais uma vítima em uma calúnia e mentira criada pelo Sr. Vladimir.

O Sr. Vladimir afirma que foi preso político, mas que foi liberado dos porões da ditadura em menos de 24 horas.

Nunca ouvi relato deste tipo; liberado sem interrogatório, pressão ou tortura.
Talvez algum General amigo, ou por influência política, financeira, ou foi solto por delação de seus companheiros.

Não conheço Paris, muito menos poderia passar finais de semana, tomando champanhe Cristal, no apartamento que dividiria com meu irmão (Eu sou filho único). Muito menos convidando Advogadas que tentariam um acordo amigável com uma bailarina, mãe de sua filha pequena, fruto de uma relação extra conjugal, a passar um final de semana em Paris.

Meu convívio com o Vladimir, foi bastante próximo, tendo frequentado seu apartamento de frente para o mar, na Praia do Pecado em Macaé, por diversas ocasiões. Não creio que sua filha Clara vá desmentir. Sempre tentando ajudar a ele e sua empresa, acabei em uma situação de não saber o que será o amanhã.

Quando soube na sexta-feira à noite, da vinculação de meu nome pela imprensa, imediatamente redigi uma carta a Polícia Federal, colocando-me a inteira disposição. Cheguei na sede da Polícia Federal de Macaé a uma hora da manhã (12/4), bati na porta de vidro, estava fechada. Não atenderam. Fiquei a noite toda, aguardando até as 8:00 horas da manhã, quando o Agente Lando disse que não poderia receber minha declaração, orientando o meu comparecimento na segunda pela manhã.

Jamais tive contato pessoal, por e-mail ou telefônico com o ex Diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Jamais tinha ouvido falar do nome do Sr. Alberto Youssef; tendo ouvido este nome, da boca do Sr. Vladimir, quando participei a convite de uma reunião do Sr. Pedro Storti, no Hotel Guanabara, enquanto este ainda era Diretor da Jaraguá Equipamentos, ao qual eu estava subordinado.

Reitero a afirmação de não conhecer o Sr. Paulo Roberto Costa, o Sr. Alberto Youssef ou qualquer pessoa das empresas que fizeram a segunda proposta de aquisição da Ecoglobal Ambiental, amplamente divulgado pela imprensa.

Dando veracidade a esta declaração assino abaixo.


Macaé, 13 de abril de 2014.


(Para ler declaração, clique AQUI)
_________________________________________

CPLP » Brasil

Lula e a Tropa de Elite da Blogosfera

15.04.2014
 
Lula e a Tropa de Elite da Blogosfera. 20162.jpeg
Nos dias 20, 21 e 22 de agosto de 2010, momento de plena campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República, aconteceu o 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas (leia-se "blogueiros pró-governo progressista"), em São Paulo, capital, com a participação de 330 blogueiros de 17 unidades da federação.
Fernando Soares Campos
O encontro foi viabilizado pela solidariedade dos participantes, que, em alguns casos, se cotizaram e, em outros, disponibilizaram hospedagens domésticas para participantes de outras regiões.
(...)
A memória de muita gente é realmente curta; existe outro tanto de pessoas imediatistas; e os eleitores mais jovens, mesmo os beneficiados pelos programas sociais dos governos petistas, acreditam que as coisas sempre foram como são hoje: creem que os governos sempre priorizaram o social visando às classes mais necessitadas. E é basicamente nesses conjuntos que a oposição aposta: memória curta, imediatistas e desinformados (ou alienados: "aqueles que não conhecem nem compreendem os fatores políticos, sociais e culturais que os condicionam e os impulsos íntimos que os levam a agir da maneira que agem", paráfrase de definição no Houaiss).
Por enquanto, ainda contamos com uma tendência da opinião pública favorável à reeleição da presidenta Dilma Rousseff, porém, quem viaja em transportes públicos como eu (ônibus, vans, trens, barcas...) e enfrenta filas em geral (bancos, supermercados, INSS, repartições públicas...), faz refeições em estabelecimentos populares e frequenta feiras livres, ou seja, um bicho pobre, já começa a notar um incremento de comentários pessimistas; em sua maioria, infundados, atrofiados, insustentáveis, facilmente refutáveis, mas insistentes entre pessoas dos estratos menos aquinhoados da sociedade. Fazem, invariavelmente, referência a notícias e comentários de "especialistas" da televisão.
Blogosfera não é panaceia midiática, e, se não nos cuidarmos, a velha mídia desta vez nos engole. Na Venezuela, na última eleição para presidente, os vendilhões da pátria quase retornam ao poder pelas urnas. 
(Para ler completo, clique AQUI)
_______________________________________________________________________________

Facebookada:

O esquema montado por grandes grupos, banqueiros, capital internacional, etc, para derrotar Dilma não é leve e nem é para ser desprezado. A presidente tem escorregado, aposta em políticas sociais, mas ignora o poder da mídia a serviço dessa gente. Vão dizer que foi assim com Lula. Não há como comparar um e outro. A primeira análise correta do chamado "volta Lula" foi feita pelo jornalista Élio Gaspari em sua coluna no jornal FOLHA DE SÃO PAULO. Gaspari é um jornalista independente como Jânio de Freitas, não importa sua posição, já integrou no passado os quadros do PCB, mas não é um jornalista de direita. O artigo, a despeito das várias críticas que sempre fez a Lula soa quase como um apelo à volta do ex-presidente, a medida que trata a oposição como lixo político, ou seja um emaranhado de coisa nenhuma e embora não diga explicitamente, as entrelinhas sinalizam que os dois candidatos de oposição não têm programa e não sabem o que fazer com o País. E pergunta, por que o PT vai deixar no banco seu melhor atleta?

  • Maria De Lourdes Giampaolo Correndo o risco de se queimar com passado tão glorioso como presidente?

  • Ana Maria Laerte querido, isso a gente sabe tanto, que até torce pela reeleição da Dilma. Só que o PT não é mais de confiança, faz tempo. O Lula então, esse mesmo é que não dá mais. Um traidor completo.

  • Frederico Gontijo grande professor Laerte, acho que Dilma está juntando munição pesada, como ela é bem metódica (sistemática?) está aguardando o começo oficial da campanha eleitoral, pois entrar no debate agora tomaria muito tempo precioso de administração pública....mas aqui em Brasília sabemos que quando essa mulher entra na discussão....tem gente que sai de olhos marejando do gabinete  mesmo com cenário desfavorável produzido pela mídia vendida, quando começar o embate de verdade ela (PT) ainda tem muita munição pesada pra gastar....estou otimista ainda, principalmente porque a retórica da oposição anda abaixo da crítica e as contradições estão se pronunciando ...cordial abraço, hasta la victória!

  • Eddie Orsini Querem guardar Lula na manga, alguns dizem que a economia brasileira vai cair, que caia sobre Dilma, o PT pensa assim...

  • Hilda Dos Santos Milk Um emaranhado de coisa nenhuma mesmo Laerte. Enquanto Dilma não tomar as devidas providencias, vai enfraquecendo-se, enquanto abutres andam a solta estão, se armando, juntos para derruba-la, e uma vez ela no chão. só depois vão dividir os despojos entre eles. E o povo, que se dane! Penso que mais clareza nas engociatas internacionais seria o ideal. O grande chefe (americano) ainda não esqueceu sua insubordinação ao recusar seu convite, no ano passado. Risos... Quanto isso vai custar, não sabemos ainda, pois não acabou. Afff...acho que falei demais, desculpe. 

  •   Por que a própria oposição faz coro com o "volta Lula"? Eles sabem que Lula tem mais prestígio que Dilma. Por que, então, torcem para que Lula seja o candidato do PT já em 2014? Estranho, muito estranho... /// A meu ver, a troca soaria como uma espécie de "impeachment" de Dilma... Aí seria só cantar a "incompetência", o "fracasso" das administrações do PT. Falariam que a "herança maldita" de Lula derrotou Dilma... É possível que seja por aí... Essa pulga petista está me incomodando... Plact!

  • Celeste Marcondes Só rezando pro nosso novo Santo ! Pe Anchieta me diga em que praia posso ficar escrevendo poesias na areia com uma varinha e longe de toda essa loucura !!

  • Haroldo Cotrim SAIDEIRA...o exemplo do que é um vagabundo>>>Ao ver Lula defendendo seu filho que recebeu R$ 15 milhões de reais da TELEMAR para tocar sua empresa, Élio Gáspari publicou essa história tirada do fundo do baú:

    Em 1966 o presidente Castello Branco leu nos jornais que seu irmão, funcionário com cargo na Receita Federal, ganhara um carro Aero-Willys, agradecimento dos colegas funcionários pela ajuda que dera na lei que organizava a carreira. O presidente telefonou mandando que ele devolvesse o carro.
    O irmão argumentou que se devolvesse ficaria desmoralizado em seu cargo. O presidente Castelo Branco interrompeu-o dizendo: Meu irmão, afastado do cargo você já está. Estou decidindo agora se você vai preso ou não'.

    E o Lula ainda alega que não existe ninguém 'neste país' com mais moral e ética do que ele...

  • Serginho Athayde Enquanto Lula se joga na campanha de Dilma de corpo e alma, fica essa futrica de Lula ser o candidato. Como somos pequenos pra enfrentas os anões dessa oposição medíocre, ridícula, corrupta. hipócrita e entreguista. Não dá para mudar de assunto????

_______________________________________________

Ilustração: AIPC – Atrocious International Piracy of Cartoons

_______________________________________________

PressAA


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário