Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Assinaturas para Carta de Apoio a Celac - TODOS


A Casa da América Latina

Solicita seu apoio e assinatura, a Carta à Cúpula da Celac. Todos(as) humanistas, estamos formando uma rede de solidariedade para o sucesso da reunião  do CELAC ( Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), que será realizada em Cuba nos dia 28 e 29 de janeiro, onde a possibilidade da inclusão na pauta, a proposta da luta de Paz na Colômbia com Justiça Social. Pedimos que enviei a seus contatos, queremos enviar o maior numero de assinaturas do Brasil. Estamos concentrando os apoiamentos via Casa da América Latina. Estaremos enviando para a organização até sábado ao meio do dia. Agradecemos muito seu apoio. A Solidariedade é dos Povos.

Saudações Latino Americanas
Valmiria Guida

favor copiar e mandar assinadas no endereço casa.america.latina@gmail.com 

1ª Carta a ser assinada: 
Pela Paz na Colômbia
A situação na Colômbia é cada vez mais preocupante.
Em 2013, as forças militares ou paramilitares mataram 30 militantes da Marcha Patriótica e 25 da CUT.
Prisões arbitrárias acontecem quase todos os dias: já são 9.500 presos.
O Procurador da República, em decisões pessoais, cassou o mandato da Senadora Piedad Córdoba e agora do prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, de tradição na esquerda. Suspenderam seus direitos políticos por muitos anos.
O governo Manuel Santos fala em paz da boca para fora. Prendeu este mês o professor da Universidade Nacional Colombiana, Francisco Toloza, que representava a Marcha Patriótica na América Latina e esteve muitas vezes, de forma ampla, com todos os setores de esquerda no Brasil. Na acusação, acredite, citam-se seus encontros com Adolfo Perez Esquivel (Nobel da Paz), “Pepe” Mujica (Presidente do Uruguai) e o intelectual argentino Atilio Borón.
Não aceitam um cessar-fogo. Os diálogos de paz em Havana estão ameaçados. Sua frustração significará, como de outras vezes na história colombiana, extermínio e repressão brutal contra os partidos de esquerda e os movimentos sociais.
A paz na Colômbia não é um problema dos colombianos, mas de toda a América Latina, de todos nós.
Aproveitando a reunião da CELAC, dentro em breve, exatamente em Cuba, em contato com amigos defensores da paz na Colômbia, acabamos por construir uma Carta Aberta à CELAC, que pode ser vista logo abaixo.
Sua assinatura valorizará a petição, que será entregue aos Ministérios das Relações Exteriores do Brasil e de Cuba. O governo cubano vai propor na Cúpula a consideração da América Latina e Caribe como uma zona de paz, o que facilita o êxito da nossa carta aberta (veja abaixo da carta a notícia). A Carta Aberta é uma solidariedade também a Cuba, anfitriã e fiadora dos diálogos entre as FARC e o governo colombiano, e que teria um grande desgaste se não se firmar a paz, cujo êxito a projetaria mundialmente.
Se você concordar com a carta, favor me responder. Se possível, colha assinaturas de amigos e amigas, fazendo o favor de me mandar depois os nomes e referências.
Pelo prazo que temos, permita-me dizer que é urgente!
Um abraço
Ivan Pinheiro


Latinoamérica zona de paz, propondrá Cuba en la Celac
Publicado el 1/20/14 • en el tema Cuba • Visitas 230 , 11 en este día •  Imprime este Artículo
La Habana — Cuba propondrá durante la II cumbre de la Celac, que se celebrará en La Habana el 28 y 29 de enero, declarar a América Latina y el Caribe Zona de Paz, informó este domingo un alto funcionario.
“Nosotros tenemos la intención, y creemos que es de mucha importancia, que en esta II cumbre en La Habana se proclame a la América Latina y el Caribe como Zona de Paz”, dijo a la televisión cubana el vicecanciller Abelardo Moreno.
Moreno señaló que la reunión de los 33 jefes de Estado o gobierno de la Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (Celac) analizará esta propuesta, tras considerar que no es suficiente que la región sea Zona Libre de Armas Nucleares.
“Ya desde hace años, nuestra región es una Zona Libre de Armas Nucleares, después del tratado de Tlatelolco que lo definió (que entró en vigencia en 1969), tratado del cual somos parte los 33 países de nuestra región.Pensamos que no es suficiente”, dijo.
“Creemos que es preciso (que) los jefes de Estado y gobierno de la región lleguen al acuerdo de que cualquier diferencia, cualquier conflicto, siempre se resuelva por las vías del diálogo, de la negociación y que nunca se llegue ni a la amenaza ni al uso de la fuerza”, añadió.
La propuesta cubana es uno de los 26 documentos especiales que ya negocian los expertos para que sean sometidos por los gobernantes en la cumbre, además de la Declaración Política y el Plan de Acción para 2014.
El resto de los documentos están referidos al reclamo argentino sobre las islas Malvinas, el rechazo al embargo de Estados Unidos contra Cuba, la lucha contra el terrorismo, el papel de las transnacionales en la región, las políticas culturales y “una enorme gama de temas que están ya en un proceso acelerado de negociación”, concluyó el vicecanciller.

2ª carta a ser assinada:

CÚPULA DA CELAC EM HAVANA: UMA OPORTUNIDADE PARA A PAZ COM JUSTIÇA SOCIAL NA COLÔMBIA!

Foi um grande avanço para a integração da América Latina a criação da CELAC (Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos), numa histórica reunião de cúpula no México, em 2010, com a participação de trinta e três países da região. Emblemáticas, para os nossos povos, foram a presença de Cuba e a ausência dos Estados Unidos, país que mancha a história do nosso continente com o sangue de sua permanente ação imperialista.
Na última cúpula da CELAC (janeiro de 2013, em Santiago do Chile) acordaram os estados membros, por consenso:
“Comprometemo-nos a que o clima de paz que prevalece na América Latina e no Caribe se assegure e em toda nossa região se consolide em uma Zona de Paz”.
Nos próximos dias 28 e 29 de janeiro de 2014, reunir-se-ão novamente os representantes dos países da Comunidade, desta vez significativamente em Havana, a Capital Mundial da Paz, que atualmente sedia os diálogos entre o governo colombiano e as FARC, na busca de uma solução política para o conflito colombiano.
Para fazer valer os compromissos assumidos em Santiago do Chile, justificar e valorizar a existência da CELAC e dar solidariedade a Cuba, anfitriã e fiadora dos diálogos, os abaixo-assinados reivindicam que seja incluída na pauta da Cúpula a questão da paz na Colômbia, país que já confirmou sua presença no evento.
A inclusão deste ponto na pauta, em verdade, é conseqüência de uma das resoluções da Cúpula anterior, que estabelece:
“Reiteramos o apoio ao processo de diálogo que acontece entre o Governo da Colômbia e as FARC, destinado a por fim a um conflito interno que por mais de 50 anos afetou o desenvolvimento político, social e econômico dessa nação amiga e fazemos votos para o êxito da iniciativa que conduza a alcançar um acordo para o bem do povo colombiano”.
Convencidos de que nosso apelo à inclusão deste tema na pauta do evento será ouvido, tomamos a liberdade de apresentar as seguintes propostas para apreciação da Cúpula:
- conclamar as partes a estabelecerem um cessar-fogo bilateral, sob a supervisão da CELAC;
- constituir uma representação da CELAC para acompanhar e facilitar os diálogos de Havana e, no caso de os entendimentos resultarem em acordo, observar a implantação e o fiel cumprimento de seus termos; 
- estabelecer um procedimento de libertação dos presos e reféns políticos em consequência dos conflitos.
 Brasil, janeiro de 2014

Anita Prestes – professora
Achille Lolo – jornalista
Anibal Valença - médico
Antonio Carlos Mazzeo - professor
Beto Almeida - jornalista
Bolivar Meielles – Coronel do Exército reformado
Caio Rodrigues – engenheiro agrônomo
Cid Benjamin – jornalista
Cristina Konder – jornalista
Débora Maria – Coordenadora das Mães de Maio
Edmilson Costa – economista e professor
Eduardo Gonçalves Serra - professor
Emiliano José – jornalista e escritor
Felipe Diniz – editor de odiario.info (Portugal)
Frank Svensson - arquiteto
Ildo Luis Sauer – professor e engenheiro
Ivan Pinheiro – Secretário Geral do PCB
Ivana Jinkings – editora
João Luiz Duboc Pinaud – jurista, Presidente da Casa da América Latina
José Paulo Gascão – editor de odiario.info (Portugal)
Katia da Matta – professora, diretora da Casa da América Latina
Leandro Konder – filósofo, escritor e professor
Lenin Novaes – jornalista, Conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa
Lincoln Penna - professor
Luiz Rodolfo Viveiros de Castro – Conselheiro da Casa da América Latina
Marcelo Chalreo – Presidente da Comissão Direitos Humanos do Colégio de Abogados do RJ
Marcos Del Roio - professor
Maria Aparecida Skorupski - professora
Mauro Iasi - professor
Miguel Urbano Rodrigues – jornalista e escritor
Milton Pinheiro - professor
Otto Filgueiras - jornalista
Paulo Metri  - engenheiro, Conselheiro do Clube de Engenharia
Raymundo de Oliveira – professor e diretor da Casa da América Latina
Ricardo Costa – professor
Ricardo Gebrim – Consulta Popular
Ricardo Gebrim – Presidente do Sindicato dos Advogados de São Paulo
Sergio Romagnolo – artista plástico
Sofia Manzano – professora
Rui Namorado Rosa – professor e escritor (Portugal)
Sabino Barroso - arquiteto
Valmíria Guida – diretora da Casa da América Latina
Virginia Fontes - professora
Zuleide Faria de Mello – professora, Presidente do Instituto Cultural  José Marti

Nenhum comentário:

Postar um comentário