Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

domingo, 3 de novembro de 2013

DIANTE DE VEXAME INTERNACIONAL PATROCINADO PELO PROCURADOR DA REPÚBLICA RODRIGO DE GRANDIS, BRASIL É OBRIGADO A REABRIR CASO ALSTOM A PEDIDO DA SUÍÇA


De: Paulo Dantas via Rede Castor


RodapéNews - 02/11/2013, sábado 

(informações de rodapé e outras que talvez você não tenha visto)
DIANTE DE VEXAME INTERNACIONAL PATROCINADO PELO PROCURADOR DA REPÚBLICA RODRIGO DE GRANDIS, BRASIL É OBRIGADO A REABRIR CASO ALSTOM A PEDIDO DA SUÍÇA

DE GRANDIS SENTOU EM CIMA DA APURAÇÃO DE PROPINAS PAGAS PELA ALSTOM E SIEMENS A AGENTES PÚBLICOS DOS GOVERNOS DE SP NAS GESTÕES COVAS, ALCKMIN E SERRA

UMA ESTAÇÃO DE TREM CHAMADA "IMPUNIDADE"
Folha - 31/10;2013
Editorial - O trem tucano
Nas investigações sobre a CPTM, um escândalo engata-se a outro, e a omissão das autoridades paulistas tem garantido a impunidade geral.
Desaparece o pedido, perde-se o prazo, enterra-se o assunto, reconhece-se a "falha administrativa". Que não fique por isso mesmo, para que o trem tucano não prossiga até a muito conhecida estação chamada Impunidade

RODRIGO DE GRANDIS PREVARICA E BLINDA TUCANOS AO NÃO ACATAR PEDIDOS DE AUTORIDADES SUÍÇAS
IstoÉ - 01/11/2013
Como o ministério público protegeu tucanos
Procurador Rodrigo de Grandis engaveta oito ofícios do Ministério da Justiça que pediam apuração do escândalo do metrô de São Paulo e prejudica o andamento das investigações

CASO ALSTOM É REABERTO E RODRIGO DE GRANDIS ESTÁ SOB INVESTIGAÇÃO
Agência Brasil
Conselho do MP abre investigação preliminar sobre procurador do caso da Alstom
Brasília – O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) instaurou hoje (30) um procedimento preliminar para investigar a conduta do procurador da República em São Paulo Rodrigo de Grandis, responsável pelo caso da Alstom, empresa francesa acusada pelo Ministério Público Federal (MPF) de fraude em licitação do Metrô de São Paulo. A investigação foi aberta pelo corregedor nacional do Ministério Público, Alessandro Tramujas

Folha - 02/11/2013
Investigação no caso Alstom é reaberta a pedido da Suíça
O Ministério Público da Suíça havia solicitado interrogatórios de quatro suspeitos e a realização de buscas na casa de um deles, o ex-diretor da estatal CPTM João Roberto Zaniboni, acusado de receber propina da Alstom entre 1999 e 2002, durante os governos de Mário Covas e Geraldo Alckmin, do PSDB.
O caso já levou à abertura de dois processos em relação a Rodrigo de Grandis. Um deles é conduzido pela corregedoria interna da Procuradoria e o outro foi aberto pela corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público, órgão responsável pelo controle externo do Ministério Público.
O processos podem resultar em penas que vão desde censura até perda do cargo

CORRUPÇÃO MILIONÁRIA NA PREFEITURA PAULISTANA TEM ORIGEM NA GESTÃO KASSAB

ESQUEMA DE FRAUDES FOI MONTADO HÁ 6 ANOS NA GESTÃO KASSAB
IstoÉ
Herança maldita
Investigação iniciada pela Prefeitura de São Paulo descobre que esquema de corrupção criado há seis anos pode ter desviado mais de R$ 500 milhões dos cofres públicos

ARQUIVAMENTO DE DENÚNCIAS NA GESTÃO KASSAB
Estadão - 02/11/2013 - página digital A23
ü      Secretário de Kassab mandou arquivar  denúncias contra fiscais em dezembro
Ex-titular de Finanças, Mauro Ricardo recebeu denúncia de pagamento de propina em troca de quitação do ISS contra os quatro fiscais presos na quarta-feira, pediu explicações e não viu irregularidades; ele diz que seguiu parecer da assessoria jurídica
ü      Suposto chefe do grupo montava ações de combate a sonegação fiscal
Ronilson Rodrigues esteve à frente de mudanças tributárias que aumentaram a arrecadação do Município
ü      Tatto diz que indicação veio do gabinete
Homem forte da gestão Fernando Haddad (PT),o secretário de Governo, Antonio Donato (PT), admitiu ter indicado Ronilson Bezerra Rodrigues para assumir uma diretoria na SPTrans, após o final do governo do prefeito Gilberto Kassab (PSD)

DELAÇÃO PREMIADA, PAGAMENTO DE PROPINA CONFIRMADO & "ESQUEMA ODEBRECHT"
Jornal da Band - 01/11/2013
Brookfield diz ter pago R$ 4.1 mi a servidores
Um dos diretores de construções da Brookfield, empresa envolvida em fraudes na prefeitura de São Paulo, admitiu nesta sexta-feira (1) que pagou propina ao grupo de servidores preso na última quarta-feira (30). Os fiscais receberam R$ 4.124.658,22 para liberar 20 empreendimentos do pagamento do valor do ISS (Imposto sobre Serviços).

Estadão - 02/11/2013 - Página digital A26
ü      Incorporadora admite ter pago R$ 4 milhões de propina
Diretor da Brookfield relatou 20 acertos feitos no período entre 2009 e 2012
ü      Em escutas, amante de fiscal preso cita ‘esquema Odebrecht’
Investigação do Ministério Público Estadual (MPE)sobre pagamento de propina a fiscais da Prefeitura de São Paulo revela trechos de ligações telefônicas de uma mulher apontada como amante do auditor fiscal Luis Alexandre Cardoso Magalhães na qual ela o ameaça para não denunciar o que descreve como "esquema Odebrecht”
ü      Apurações podem desgastar ex-prefeito e sua relação com o PT
Aliados da presidente Dilma Rousseff preveem que a relação política com Gilberto Kassab (PSD) poderá enfrentar
problemas no futuro por causa do impacto das investigações sobre pagamento de propinas na Prefeitura, envolvendo fiscais e integrantes da gestão anterior

Estadão - 02/11/2013 - Página A29
ü      Assessor operava esquema paralelo
Quinto servidor envolvido em fraude do ISS, Fabio Remesso atuava com Ronilson Rodrigues; sua exoneração deve ser publicada hoje no ‘Diário Oficial’
ü      Acusado assumiu após indicação de vereador do PMDB
O vereador Nelo Rodolfo (PMDB) admitiu ter indicado Fabio Camargo Remesso para ocupar o cargo de assessor técnico na Secretaria Municipal de Relações Governamentais ao titular da pasta, João Antonio (PT)


Conversa Afiada
Enquanto Folha indicia Haddad, Estadão põe Serra na roda
Impressionante a ubíqua capacidade do Serra de bater na trave de escândalos de corrupção. Um dia a bola entra

ANTÔNIO FERREIRA PINTO, EX-SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DE SP, DESCONSTRÓI IMAGEM DO GOVERNADOR ALCKMIN

ALCKMIN REQUENTOU ESCUTAS DE INTEGRANTES DO PCC, CONHECIDAS DESDE 2011, PARA COLHER DIVIDENDOS POLÍTICOS, AFIRMA EX-SECRETÁRIO
Jornal GGN
"Alckmin busca dividendo político com ameaça do PCC", afirma Antonio Ferreira Pinto, ex-secretário de Segurança Pública de SP
Em sua primeira grande entrevista desde que deixou o cargo de secretário estadual da Segurança Pública de São Paulo, há um ano, Antônio Ferreira Pinto diz que o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), busca lucrar politicamente com supostas ameaças de morte feitas por integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), captadas em escutas policiais. "Ele está aproveitando para colher dividendos políticos".
O ex-secretário, demitido quando da subida dos índices de violência, no ano passado, diz que essas escutas, nas quais um integrante da facção fala em "decretar" o governador, são conhecidas da cúpula da segurança pública desde 2011 e não tem credibilidade alguma. "A informação é importante desde que você analise e veja se ela tem ou não consistência. Essas gravações não tinham". Entre os que estavam sabendo disso há pelo menos dois anos, diz Ferreira Pinto, está o atual secretário de Segurança, Fernando Grella, então procurador-geral.
"Lamentável. [O governador] deve ter suas razões. Eu acho que é mais pelo viés político. Porque na hora que diz 'Não vou me intimidar', ele está também dando um 'upgrade' para a facção". Questionados, o secretário e o governador não quiseram se manifestar sobre as declarações

Nenhum comentário:

Postar um comentário