Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

domingo, 18 de agosto de 2013

Comissão da Verdade do Rio ouve militar e presos políticos

Na página de Anivaldo Padilha


Por Paulo Abrão

Comissão da Verdade do Rio ouve militar e presos políticos

Descrição: Durante reunião da Comissão da Verdade do Rio, o militar Valter da Costa Jacarandá admitiu ter participado de sessões de tortura no DOI- CODI, mas negou ter torturado o jornalista Mário Alves, morto em 1970. A filha do jornalista, Lucia Alves, emocionou o plenário da Alerj com seu depoimento. A comissão também ouviu presos políticos que teriam testemunhado a morte de Mario Alves. Torturador Jacarandá admitiu tortura no DOI CODI I Exército, dentro do quartel da PE.
Data: 14 ago 2013

http://www.tvalerj.tv/PlayMediaInPortfolio.do?mediaId=15388#top
http://www.tvalerj.tv/PlayMedia.do?mediaId=15388




RIO — A Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional da Verdade ouviram, nesta quarta-feira, o depoimento de ex-presos políticos e de um ex-major do Corpo de Bombeiros, um dos acusados de torturar e matar o jornalista, secretário-geral e principal dirigente do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), Mário Alves. Outros três ex-tenentes foram convocados, mas não compareceram à audiência. Mário Alves foi sequestrado em janeiro de 1970 e levado para o DOI-Codi do Rio, onde passou por sessões de tortura e foi morto no dia seguinte a sua chegada, aos 47 anos. De acordo com todas as testemunhas que prestaram depoimento, uma das formas de tortura psicológica era dizer que, se os militantes não colaborassem, teriam o mesmo fim de Mário Alves, seriam empalados.
Na lista de depoentes estão os ex-presos políticos Álvaro Caldas, José Luís Sabóia, José Carlos Tórtima, Maria Dalva Leite de Castro, Newton Leão Duarte, Paulo Sérgio Paranhos e Sylvio Renan Ulyssea. Além dos militares acusados, os ex-tenentes do Exército Luiz Mário Correia Lima, Roberto Duque Estrada e Dulene Garcez e o ex-major do Corpo de Bombeiros Valter da Costa Jacarandá. Antes do início da audiência, foi feito um minuto de silêncio pela morte do brigadeiro Rui Moreira Lima, um dos símbolos da resistência dentro das Forças Armadas.


Fonte: oglobo.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário