Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

terça-feira, 30 de julho de 2013

Balanço em preto e branco da cobertura midiática da JMJ -- Ofensas e baixarias de norte a sul. Que maravilha!






Coluna Econômica - 30/7/2013


O Rio de Janeiro assistiu o nascimento de um estadista, o Papa Francisco. Foi inesquecível sua atuação na Jornada Mundial da Juventude. Poucas vezes um estadista conseguiu ser tão preciso nos discursos, redesenhando um organismo milenar como a Igreja Católica através da identificação das ideias básicas a nortear o novo rumo.

Não ousou investir contra alguns dogmas, ainda que anacrônicos - como o celibato ou a condenação das relações homossexuais. Mas verbalizou a volta da tolerância ao se indagar: "Se um gay busca Deus, quem sou eu para julgar?".

***

Mais que isso.

No período em que o mundo conviveu com o maior processo de inclusão da história - das grandes massas miseráveis nos países do terceiro mundo - a Igreja se afastou dos pobres. Na era das quebras de tabu, da condenação a toda forma de preconceito, a Igreja se esmerou na condenação moral para fora e no acobertamento para dentro.

***

O Papa foi preciso ao identificar nas massas pobres e na juventude a seiva do revigoramento da Igreja. E no enclausuramento da Cúria, no Vaticano, seu maior problema.

Há muito tempo a vocação religiosa deixou de atrair os melhores quadros. A maneira de enfrentar a contemporaneidade dos movimentos evangélicos foi estimular os padres-show, atuando na mesma piscina rasa dos pastores. 

Ao propor a volta do espírito da catequese, em contraposição à banalização da vida moderna e ao consumismo e busca de status que caracterizam os tempos atuais.

***

O Papa fugiu da polarização Teologia da Libertação x conservadores que marcou a Igreja brasileira. Ambas estão debaixo da mesma organização e buscando o mesmo fim: o fortalecimento da Igreja. 

Criticou tanto os que tentaram subordinar a Igreja ao marxismo como ao neoliberalismo.

E é essa a estratégia: pairar acima das quizilas, das disputas internas, e apresentar o objetivo maior, para o qual toda a organização deverá convergir: os seguidores da Teologia da Libertação atuando junto às regiões pobres; os conservadores preservando o espaço junto a uma elite algo anacrônica; e a Igreja empenhada em conquistar novos territórios junto aos jovens através do chamamento ao jovem.

***

A falta de estadistas na Igreja - e nem se venha considerar João Paulo 2o como tal - produziu lutas intestinas terríveis, especialmente na América Latina.

Grande parte da liderança política atual fez-se sob a inspiração da Igreja: no PT, Lula e os movimentos sociais; no PSDB, os egressos da Ação Popular (AP), que se originou da ação católica, da Juventude Estudantil Católica (JEC), Juventude Universitária Católica (JUC) e Juventude Operária Catolica (JOC). 

Lula saiu dos movimentos populares, José Serra da AP, Dilma Rousseff do GGN (Grupo Gente Nova), de inspiração católica.

***

Tudo isso se perdeu nas últimas décadas. 

A Igreja perdeu o encanto para os jovens, para os ativistas e mesmo para os místicos. Manteve-se nos movimentos populares, sob boicote da Cúria. Conservou influência apenas nas zonas rurais e junto aos remanescentes da elite econômica envelhecida.

Figuras símbolos, como o cardeal Arns e os irmãos Lorscheiter, príncipes políticos, como dom Lucas Neves e conservadores influentes, como Eugênio Salles, foram substituídos por burocratas sem visão política nem missionária.

Agora, Francisco tenta repor a Igreja no caminho da reconstrução.


Portal: www.luisnassif.com 

"Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial por meio impresso"

__________________________________________________


Ministra negra diz que está cansada de ofensas, mas não desistirá


A ministra da Integração italiana, Cecile Kyenge, atingida por bananas na última sexta-feira (26), disse que, às vezes, se sente “cansada” dos insultos e ofensas de que tem sido alvo por ser negra, mas assegurou que os ataques não a farão desistir de sua missão.


Cecile Kyenge assegurou, no entanto, que os ataques não a farão desistir de sua missão (Foto: European University Institute/Creaticve Commons)

Na sexta-feira, durante um comício do Partido Democrático, Cecile Kyenge foi alvo de bananas arremessadas em sua direção, o que provocou uma nova onda de indignação na Itália.

De origem congolesa, a primeira negra nomeada ministra na Itália, Cecile Kyenge reconheceu, em entrevista ao jornal italiano La República, sentir preocupação pelas duas filhas, de 20 e 17 anos. A ministra disse pensar também em outras minorias e nos imigrantes que, ao contrário dela, não têm garantias de segurança, e sofrem ataques em Itália.

“Não posso esconder que às vezes me sinto cansada da repetição de insultos tão graves. Não os esperava tão fortes, mas não me detenho, nem me concentro” a pensar neles, disse Cecile. “Tento olhar para frente, pensar sobre as dificuldades que temos de suportar nesses eventos e sobre as melhores respostas que os políticos e a sociedade podem dar”, acrescentou.

A ministra defende que a Itália comece “um processo de reflexão” sobre o racismo. “Em outros países europeus, como a Suécia, há ministros negros, mas não acontece com eles o que está acontecendo comigo na Itália. Não podia imaginar reações tão violentas”, lamentou.

Cecile Kyenge garante que os ataques e os insultos ocorrem também na classe política, reiterando que a Itália têm “um longo caminho a percorrer" quando se trata de avaliar a contribuição cultural que a imigração pode dar ao país.

“As reações aos insultos, que vejo no país, acabam por unir a Itália ‘boa’ e, quem sabe, ajudar a despertar muitas consciências, que durante anos estiveram um pouco adormecidas”, avaliou.

Esse foi mais um caso de racismo que envolveu a ministra, cidadã italiana nascida na República Democrática do Congo, depois de, no início do mês, um membro do partido Liga do Norte, que é contra a imigração, ter comparado a ministra a um orangotango. Cecile reagiu ao ataque com bananas dizendo que o mesmo foi “um desperdício de comida”.

Fonte: Agência Lusa

_________________________________________________

 
Releasepara PressAA

OFENSA
Presidente do STF critica repórter do Estadão


JUSTIÇA?

MULTA


___________________________________________________________________________________

Facebookada

Camisinha para a PAZ

Propaganda de camisinha na África


_________________________________________________________________



O padrão de desenvolvimento humano dos 5560 municípios brasileiros avançou de 'muito baixo', em 1991, para 'alto', em 2010. O período abrange os governos FHC e Lula. Porém, foi no ciclo do PT que se deu o ganho real do salário mínimo de 60% e o Bolsa Família chegou a 12 milhões de lares. 

Não por acaso, os maiores avanços nesse indicador do PNUD/ONU, que cruza renda, educação e saúde, ocorreram no Norte e Nordeste, onde a incidência dessas políticas é maior. 

Se o programa 'Mais Médicos' se tornar o novo 'Bolsa Família' do país, o salto também será robusto nos próximos anos. 

Tal perspectiva torna ainda mais constrangedora a evidencia de sabotagem corporativa contra um programa destinado a levar assistência às regiões mais pobres do país: dos 18.500 profissionais inscritos na primeira chamada do Ministério da Saúde, pouco mais de 4,6 mil validaram sua documentação até agora. 

A adesão maciça de 3.511 municípios, porém, demonstra a pertinência de um novo escopo de política pública, associada às universidades, cujos currículos terão que ser adaptados para essa finalidade. 

O 'Mais Médicos' descortina uma nova família de programas sociais, que exigirá uma reforma do ensino superior brasileiro, de modo a integrá-lo, efetivamente, à luta pelo desenvolvimento. Estamos diante de uma nova e promissora fronteira de integração entre a agenda econômica nacional, a urgência social e a comunidade universitária. É esse horizonte de gigantescas possibilidades políticas que deveria estar sendo discutido hoje. E não o casulo autorreferente do interesse corporativo. 

Dia 15/o8, o governo abrirá uma nova rodada de inscrições para o programa 'Mais Médicos'. A demanda inicial dos municípios é superior a 15 mil profissionais.


(Página inicial do Blog do Mário: clique AQUI )
__________________

Do jornalista André Lux para a PressAA:

"Presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, entidade que se posiciona contra a vinda de médicos estrangeiros para o Brasil, o médico Paulo de Argollo Mendes tem dois filhos que estudaram medicina em Cuba e que chegaram até a entrar na Justiça contra a UFRGS porque a Universidade se recusou a validar automaticamente o diploma de ambos"

Trocadilho da tarde atroz:

Nós não que-re-mos médi-cos cu-banos; queremos médicos cubanos”

___________________________________________________________

De Silvio de Barros, Santos-SP, via e-mail da redecastorphoto:





________________

Leia também...


por Raul Longo, jornalista, escritor e pousadeiro [colaborador desta nossa Agência Assaz Atroz]


_________________________________________________________________




Do nosso correspondente João TNT, diretamente de uma reserva de caatinga no Sertão Alagoano:

Jornal Extra Alagoas, à moda O Dia de antigamente, revela que imprensa marrom continua ativa... quer dizer, passiva... Oxe!  Sabemos lá!

Bate-boca revela baixarias nas sessões do TJ/AL Ouça o áudio da sessão


As últimas sessões plenárias do Tribunal de Justiça de Alagoas têm revelado o baixo nível das discussões no Judiciário. Em uma das sessões de baixaria, a desembargadora Elisabeth Carvalho e o presidente da corte, José Carlos Malta, por pouco não foram às vias de fato. 

Ouça o áudio da sessão, cujo bate-boca começa a partir dos 30m50s. 

_____________________

Pensamento caaatingoso:

“Um dos problemas do puxa-saco é que às vezes ele machuca o saco dos escrotos”


____________________________________________________________





Mário Fernandez



"Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros. " (Filipenses 2:4)

Quando olhamos para o verbo cuidar, temos geralmente uma visão muito pragmática, ao associarmos com algo que precisa ser feito e não necessariamente um pensamento, filosofia ou sentimento. Exatamente neste vetor quero colocar a oração com algo de extremamente prático, algo de pouca teoria e muita aplicação - e algo no qual precisamos crescer.

Cuidar é dar atenção, prestar atenção, olhando com cuidado, reparando nos detalhes. É não deixar passar em branco como se fosse invisível. A causa do meu irmão é interesse dele, mas eu posso cuidar dando atenção - sem bisbilhotar, sem me intrometer, sem ingerência.

Cuidar é agir para que algo termine bem, especialmente lembrando que muito ajuda quem não atrapalha. Se eu puder ajudar, quero ser abençoador, mais bem aventurado é dar. Se não posso, quero sair da frente e não ser pedra de tropeço no caminho.

Cuidar é proteger, e em se tratando de interesses de outros é sempre mais difícil. Mas eu posso proteger o meu irmão para que o interesse dele seja cumprido. Posso protegê-lo não falando mal dele, não permitindo que falem, não me juntando com quem fala.

Cuidar é priorizar, colocar primeiro, não esquecer, não deixar para depois. Cuidar é considerar mais importante orar pelo que é do irmão do que pelo que é meu. Às vezes, isso nos coloca no risco do exagero e negligência das próprias necessidade, mas eu creio de coração que podemos assumir esse risco.

Cuidar é orar. Orar é cuidar. É uma das formas mais sublimes de cuidado. Se realmente crescermos em oração, aprenderemos a cuidar daquilo que é do interesse dos irmãos, para com isso alcançar um nível de crescimento em oração. Não é um mero procedimento, é mais do que isso. É um estilo de vida com Deus. Nosso desafio é superar o desejo de só cuidar de nós mesmos.

"Senhor, me ajuda a encontrar uma forma de vencer meu egoísmo, centrado em mim mesmo. Quero realmente crescer na Tua presença para poder abençoar meus irmãos."

_________________________________________________________________


Ilustração: AIPC - Atrocious International Piracy of Cartoons

______________________________________________



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário