Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

sábado, 2 de junho de 2012

A SEMANA - GILMAR CACHOEIRA DANTAS - O MUNDO DE ISRAEL/EUA TERRORISMO HUMANITÁRIO S/A


A SEMANA


GILMAR CACHOEIRA DANTAS – O MUNDO DE ISRAEL/EUA TERRORISMO HUMANITÁRIO S/A


Laerte Braga


Gilmar Cachoeira Dantas lembra aquele gangster que consegue convencer o chefe que é capaz de numa ação só afastar todos os inimigos e problemas. Sequioso de se ver livre de inimigos e problemas o chefe não pensa e autoriza o pistoleiro a sair “matando” adoidado”. Só que o pistoleiro é uma anta, tem pretensões a subir no âmbito da quadrilha, mostrar serviço e salvar o seu próprio patrimônio, construído nas sobras do chefe.

É o perfil de Gilmar Cachoeira Dantas, por incrível que possa parecer, ministro do Supremo Tribunal Federal no Brasil. A exceção de Joaquim Barbosa num confronto direto “não tenho medo de seus capangas” e uma ou outra refinada ironia de Marco Aurélio Mello, Gilmar deita e rola no STF, até porque, dois ministros ligados a ele, Cesar Peluso e Ricardo Lewandowksy são suspeitos de receberem gratificações indevidas.


Foto: BOB CIVITA, ESSE É UM SAGANA. CADEIA NELE E NO RESTANTE DA QUADRILHA DO PIG.
Charge retirada de Face do Daniel Pearl

Só que neste momento o chefe começa a perceber que toda a “valentia” de Gilmar Cachoeira Dantas são apenas arrotos para garantir sua impunidade (a tal viagem com Demóstenes e o encontro com Cachoeira em Berlim), sua visão é estreita, típica de pistoleiro mesmo e isso, que a primeira vista parecia um ataque frontal e perfeito, começa a transformar-se num pesadelo.

Gilmar Cachoeira Dantas parte para cima da liberdade de opinião ao investir contra blogs – um dos mais importantes veículos de comunicação contemporâneos – e começa a se colocar na posição de vítima. O histórico de Gilmar Cachoeira Dantas que já aparece inclusive em veículos de mídia de mercado lhe é desfavorável. Resistem ainda os dois principais integrantes da quadrilha no braço mídia – GLOBO e VEJA.

O fato é que Gilmar colocou o STF debaixo do braço e até que haja reação é assim que o STF está sendo visto, um apêndice dos negócios de Gilmar, um partido político que atende ao chefe de Gilmar. Ou aos chefes.

No meio disso tudo José Serra, um dos chefes. Precisa desesperadamente da Prefeitura de São Paulo, pois os negócios dependem de um “aparelho” para se consumarem. Foi ele quem sugeriu a armadilha para o ex-presidente Lula, o pateta do ano. Tomou sorvete com a testa.

A sorte dele, Lula, é o Ratinho. Duro um trem desses.

Gilmar Cachoeira Dantas é um problema, a essa altura do campeonato, para seus amigos, muito mais que para os inimigos de seus amigos.

Quando a jornalista Miriam Leitão, principal porta-voz dos banqueiros na mídia brasileira, vai e afirma em seus comentários que o País está prestes a mergulhar numa grande crise, conseqüência da crise mundial e dos erros que enxerga na política econômica de Dilma Roussef, está apenas apostando no quanto pior melhor. O Brasil e os brasileiros são secundários para a senhora em questão. Importantes são os interesses dos que pagam.

A política econômica de Lula e agora de Dilma não trouxe nenhuma transformação de monta na estrutura medieval do campo, por exemplo, e leva o Brasil a ser uma potência de ocasião por conta da exportação de matérias primas e programas sociais paliativos.

É um instrumento neoliberal, dentro do que chamam “nova ordem” na economia mundial e se faz, entre outras coisas, com a idéia que redução de IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados – vai manter o nível de emprego, a economia em crescimento. No máximo entopem as cidades de automóveis, degradam mais o ambiente, aumentam o endividamento do trabalhador brasileiro na ilusão do progresso que proporciona lucros fantásticos a bancos (Os lucros do Itaú causaram espantos até nos EUA).

Aumenta a dependência de empresas estrangeiras na barbárie do agronegócio. Servem o agrotóxico de cada dia, como mostrou à larga o cineasta Sílvio Tendler, num dos seus sempre fundamentais documentários. “O  AGROTOXICO ESTÁ NA SUA ( VEneno está Assista doc Silvio Tendler) ) MESA”.

A cidade do Rio de Janeiro, que não é por conta do agronegócio, mas da especulação imobiliária perdeu nos últimos trinta anos 17% por cento de sua área verdade. Os índices de vegetação por habitante, dados da Prefeitura, caíram 26% por cento. Imagine então as bestas feras do latifúndio, com ou sem os vetos de Dilma ao Código Florestal em áreas da Amazônia, do Pantanal, no Triângulo Mineira, enfim, onde o agronegócio é sustentação das contas externas e internas do Brasil.?

Pode ser visto no armazém de dados do Rio de Janeiro, na rede mundial de computadores, no link estatística.

Mas, desde que Lula assinou um tratado de livre comércio com Israel estamos sob a proteção humanitária de um dos mais brutais esquemas nazi/sionistas do mundo, o complexo empresarial ISRAEL/EUA TERRORISMO HUMANITÁRIO S/A.

Na própria sede do terror, Israel – uma delas – milhares de cidadãos sairam às ruas para exigir do governo a expulsão de negros e imigrantes. O país é para brancos arianos. A palavra de ordem das manifestações era simples – “expulsa já”.

Israel chegou a oferecer armas nucleares ao governo racista da África do Sul à época do apartheid para enfrentar os motins e levantes dos negros.

O complexo terrorista planeja agora uma intervenção na Síria. Como fez na Líbia. Financiou grupos nacionais e mercenários para deflagrar um processo de guerra civil e tal e qual aconteceu e acontece na Líbia, querem destruir o país, tomar posse das riquezas sírias e fingir que tudo é democracia.

Que nem no Egito. Sai Mubarak, condenado a prisão perpétua, fica Mubarak na presença de militares supostamente egípcios (só nasceram no país) a serviço de Israel e dos EUA. O povo? Isso é detalhe. No Egito, na Grécia, na Espanha, em qualquer lugar do mundo.

Foi o que aconteceu aqui em 1964. Militares nascidos no Brasil deram um golpe de estado a mando de potência estrangeira, de interesses estrangeiros e hoje invocam o “patriotismo” e a “honra” das forças armadas para ficarem impunes. Escaparem tanto da barbárie dos cárceres da ditadura, como do servilismo aos patrões de Washington. O lado bom das forças armadas foi expurgado àquela época.

Isso tem nome, é covardia.

Os índices de crescimento de Cuba revelados na semana que sefinda são superiores aos dos países capitalistas. É uma “afronta” e Obama seindigna com o fato. Quer matar Chávez a qualquer preço, evitar a reeleição do presidente Venezuelano e colocar o tacão nazi/sionista sobre toda a América Latina.

A verdade é que a libertação do jornalista francês Roméo Langlois pelas FARCs-EP, na Colômbia, principal colônia dos EUA aqui na região e ponto controlado pelo narcotráfico – a partir das forças armadas e do presidente – contrariou interesses políticos e factuais imediatos. Não deu para fazer aquele jogo de coitado dos “seqüestrados”. Langlois foi preso em combate em meio a guerra civil colombiana. Num sinal de fraqueza Obama pediu à guerrilha que se renda. Uai! Não ia dizimar o grupo, segundo Uribe, ex-presidente, a guerrilha estava liquidada?

Começa a perceber que o povo colombiano como um todo está farto de violência e a violência vem do governo narco/traficante. O jornalista está levando uma carta das FARCs-EP ao presidente francês François Hollande, outro a iludir seu povo. Vagidos iniciais de reação e agora de quatro para a senhora Ângela Merkel.

Como Lula aqui. Cumpriu direitinho a carta aos brasileiros preparada por FHC quando presidente, que prescrevia o compromisso de aceitar as regras políticas e econômicas da nova ordem. O que Lula fez foi inventar “o capitalismo a brasileira”.

A sorte dos que trabalham a alienação geral via mídia é que Ronaldinho Gaúcho deu um trampo no Flamengo e quer 40 milhões de reais de atrasados, previdência, etc.

Se não vingaram os “abusos sexuais” sofridos por Xuxa, quem sabe vinga a novela Ronaldinho Gaúcho?

O xis da questão é escapar da enxurrada provocada por Cachoeira e evitar que danos maiores afetem os negócios.

Demóstenes diz que encontrou Jesus. Acaba na bancada evangélica. Sérgio Cabral não. Escapou de ser convocado para a CPMI do Cachoeira com a ajuda inestimável do PT e do PSDB, do seu partido PMDB lógico. O cachorrinho de estimação de Eike Batista (é o herdeiro daquele colar que Luma Oliveira usava nos desfiles carnavalescos para proclamar seu amor ao empresário) e dos controladores do Estado do Rio vai continuar comendo ração em Paris a custa dos trabalhadores fluminenses. Nem gosto de pensar em Minas sob a catástrofe Antônio Anastásia. Breve em extinção. Que dirá São Paulo ou a Bahia. Alckimin e Jacques Wagner.

É simples entender a política dessa gente. Pau nos professores. Por isso a ONU recomendou o fim da Polícia Militar. Por isso e por outras. Dilma também tem culpa no cartório. Paga juros escorchantes a bancos – 49% das receitas orçamentárias – e deixa professores das universidades federais a ver navios.

A pérola da semana foi a entrevista da jornalista Ana HelenaTavares em seu blog QUEM TEM MEDO DA DEMOCRACIA com D. Valdir Calheiros, arcebispo emérito de Volta Redonda e que enfrentou sem medo as hordas de bárbaros da ditadura de 1964. Jornalismo de primeira qualidade, de dar banho em qualquer GLOBO e em qualquer VEJA.  São os blogs que Gilmar ataca. Os que não temem a verdade e nem ameaças.



sexta-feira, 1 de junho de 2012

A NATO (OTAN) e a UE preparam um banho de sangue

A NATO (OTAN) e a UE preparam um banho de sangue

por KKE
O Gabinete de Imprensa do CC do KKE enfatizou o que se segue no seu comunicado a respeito das declarações de F. Hollande quanto à Síria.

"As declarações do recém-eleito presidente da França, François Holland, as quais agora estão abertamente orientadas para a possibilidade de intervenção militar na Síria, são muito reveladoras quanto ao novo massacre de povos que está a ser preparado pela UE e pela NATO na nossa região.

As suas referências ao Direito Internacional e à ONU estão a ser utilizadas como "cobertura" para impor "a lei do mais forte" na "selva" de contradições entre as potências imperialistas e os grupos monopolistas sobre o controle dos recursos energéticos, suas rotas de transporte e suas fatias de mercado.

Todos aqueles, incluindo o SYRIZA – os quais disseram que com a eleição de Hollande novos ventos percorriam a UE e semearam ilusões de que a UE tornar-se-ia "pró povo" – foram desmascarados e devem responder por isto perante o povo. A própria vida tem demonstrado que as organizações imperialistas, como a NATO e a UE, não podem ser "humanizadas". Elas foram, são e serão enquanto existirem, instrumentos para a exploração dos povos, tal como o capitalismo elas têm a guerra no seu DNA.

O KKE denuncia os novos planos imperialistas contra o povo da Síria e sublinha que só povo sírio tem o direito de determinar o futuro do seu país sem recomendações e intervenções estrangeiras.

Exigimos que toda cooperação militar com Israel deveria agora ter fim. Que a base estado-unidense de Suda deveria ser encerrada e mais geralmente que nada do território, portos e espaço aéreo da Grécia deveria ser disponibilizado para uma intervenção imperialista contra a Síria e o Irã, a qual levará o povo da Grécia e os outros povos da região para caminhos perigosos. 
31/Maio/2012

O original encontra-se em http://inter.kke.gr/News/news2012/2012-06-01-syria/ 

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

-- 
Veja a Página do PCB – www.pcb.org.br 
Partido Comunista Brasileiro – Fundado em 25 de Março de 1922


Enviado por Gilda Arantes

Ex-preso político afirma que não há comparação entre agentes da ditadura e militantes

Tatiana Farah
 


Frei Betto alerta para o risco de a vaidade atrapalhar o andamento do trabalho da Comissão da Verdade O Globo / Marcos Alves 
SÃO PAULO - Ex-preso político e autor de três livros sobre vítimas da ditadura, o frade dominicano Carlos Alberto Libânio Christo, o Frei Betto, teme que a Comissão da Verdade se torne uma comissão da vaidade. Para ele, ainda que se ouçam os dois lados, não se pode comparar os agentes da ditadura aos militantes políticos. Frei Betto diz lamentar que a comissão seja da “verdade e não da justiça”. Para ele, no entanto, esse pode ser o primeiro passo para a responsabilização dos torturadores.

GLOBO: Quais suas expectativas quanto à Comissão?
FREI BETTO: Foi muito importante a nomeação dessa comissão. Só lamento que seja só da Verdade e não da Justiça. Não é uma comissão que tem poder de convocar, vai quem quer, e muito menos o poder de encaminhar para os tribunais. Espero que ela encontre o destino dos desaparecidos e os arquivos das Forças Armadas, até hoje fechados.
O sr. disse que há um risco de ser uma Comissão da Vaidade.
FREI BETTO: Logo que os nomes saíram à luz, cada um começou a dizer uma coisa e eram coisas díspares. A comissão agora, eu espero, está acertando os ponteiros e método de trabalho.
O sr. colocou sob suspeição a indicação do ministro Gilson Dipp, do STJ.
FREI BETTO: Ele trabalhou na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (da OEA) quando se apurou a Guerrilha do Araguaia. Ele se posicionou contra o parecer das famílias dos desaparecidos.
Mas temos uma voz atuante pelas famílias que é a da Rosa Maria Cardoso da Cunha. Isso não joga um certo equilíbrio?
FREI BETTO: Acho que o advogado, em si, é uma pessoa neutra. Tem aí o (ex-ministro da Justiça) Márcio Thomaz Bastos defendendo o (Carlinhos) Cachoeira. O advogado não pode negar a defesa. Rosa não pode ser considerada parcial. Ela é imparcial. Poderia aceitar amanhã a defesa de um torturador. Isso não configura parcialidade. No caso do precedente do Dipp, sim. Ele defendeu o Estado que não investigou suficientemente, segundo a OEA, os desaparecidos do Araguaia.
Existe uma pressão para que se passe a limpo os crimes?
FREI BETTO: Sim. O Brasil é uma exceção. Todos os países que passaram por ditaduras militares ou civis, na América Latina, tiveram investigação, punição. O Brasil está amordaçado por uma lei injusta, que é a Lei da Anistia, que nivela assassinos e assassinados, torturadores e torturados. Isso é uma aberração.
O sr. acredita que os membros adotarão um tom conciliador?
FREI BETTO: Isto não tem sentido: ouvir os dois lados. É uma posição manifestada por duas pessoas, Dipp e José Carlos Dias. Pode-se ouvir todo mundo, mas não querer comparar os dois lados. Uma coisa é uma ditadura, uma opressão, um Estado de violência. Outra coisa são aqueles que defendem princípios e ideias e que seguiram o princípio tomista, de Santo Tomás de Aquino, de que, quando uma tirania é violenta e irremovível por via pacífica, é direito do cidadão reagir com as armas.

Enviada popr Gilda Arantes via
_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro


Frei Betto alerta para o risco de a vaidade atrapalhar o andamento do trabalho da Comissão da Verdade
Foto: O Globo / Marcos Alves

BBC News utiliza una imagen tomada en Irak en 2003 para ilustrar una “matanza en Siria”

Enviado por Safrany com comentário: CONFERIR, COM O ARTIGO ABAIXO, COMO AJE A MÍDIA CORPORATIVA INTERNACIONAL, A MANDO DO IMPÉRIO. A DAQUI, ATRELADA A TODO O SISTEMA, OBEDECE SEM CRÍTICA! 

  Por NTardin - Para dar ideia documentada, importante documento assinado por marqueteiro de BUSH para sustentar golpes na America Latina: http://juntosomos-fortes.blogspot.com.br/2010/09/marqueteiro-de-bush-e-fhc-sustenta.html

 
BBC News utiliza una imagen tomada en Irak en 2003 para ilustrar una “matanza en Siria”

30 Mayo 201224 Comentarios
foto-de-marco-di-lauro-en-iraqSe hizo en todos los conflictos bélicos de la historia más reciente. En Rumanía, en Irak, en Kuwait, en Irán, en Libia o en Surcorea. Ya en la primera mitad del siglo XX la propaganda antisoviética recurrió a utilizar imágenes de las hambrunas de una época para hacerlas pasar por las de otra.
En la propia Siria ya han empleado en otras ocasiones imágenes de video correspondientes a otro contexto espacio-temporal bien distinto. Hace más de cuatro años, la trampa se preparó a propósito de los disturbios “espontáneos y pacíficos” en Tíbet. Nos mostraron manifestaciones y disturbios de países asiáticos como India o Pakistán, con explicaciones de que todo eso estaba pasando en la tierra de los Lamas.
Cuando los medios mendaces son sorprendidos, a veces pronto, a veces tarde, en sus montajes fríamente planificados y orientados a sucios fines, o bien se escudan en alegaciones relacionadas con simples “errores” humanos, con la consiguiente (e incómoda para ellos) rectificación, o bien insisten, y ello es inútil, en que los equivocados somos los que denunciamos sus malas y obscenas artes.
Pero la propaganda no se detiene. Buscarán otro falaz pretexto para atraer adhesiones populares para sus causas belicistas. Sigamos desenmascarando todas las farsas que detectamos y divulguemos al máximo todo aquello que coadyuve a la desacreditación de los portavoces del devorador imperialismo, el cual es la antítesis misma de cualquier labor básicamente humanitaria.
foto-de-lauro-en-bbcLa foto, la que realmente fue tomada el 27 de marzo del 2003, muestra a un niño irakí saltando sobre docenas de bolsas blancas que contenían esqueletos encontrados en un desierto al sur de BagdadLa BBC enfrenta críticas luego que
La BBC enfrenta críticas luego que “accidentalmente” utilizara una fotografía tomada en Irak en el 2003 para ilustrar la “una insensible masacre de niños” en Siria.
El autor de esta fotografía, Marco di Lauro, dijo que casi se “cayó de la silla” cuando vio la imagen. Expresó que estaba “asombrado” por la falla de la empresa para chequear sus fuentes.
La foto, la cual realmente fue tomada el 27 de marzo del 2003, muestra a un niño irakí saltando sobre docenas de bolsas blancas que contenían esqueletos encontrados en un desierto al sur de Bagdad.
Sin embargo, fue publicada este lunes en el sitio web de noticias de la BBC bajo el título “Condenan la masacre de Siria en Houla mientras crece la indignación”. La leyenda indica que la fotografía fue proporcionada por un activista y no puede ser independientemente verificada, pero dice que “se cree que muestra los cuerpos de niños en Houla esperando ser sepultados”.

Un vocero de la BBC dijo que la imagen ha sido retirada.

Por su parte, Di Lauro, quien trabaja para la empresa Getty Images, expresó: “Me fui a casa como a las 3 a.m. y abrí la página de la BBC, la cual tenía una noticia en el portal acerca de lo que pasó en Siria y casi me caí de la silla”.”Una de mis fotos de Irak fue utilizada por el sitio web de la BBC como ilustración de portada afirmando que esos eran los cuerpos de la masacre del domingo en Siria y que la foto fue enviada por un activista”.
“Sin embargo, la foto la tomé yo y está en mi página web, en la sección especial en relación a una historia que hice en Irak durante la guerra llamada Irak, después de Sadam“.
“De lo que realmente estoy asombrado es de que una organización de noticias como la BBC no chequea sus fuentes y está dispuesta a publicar cualquier foto enviada por cualquiera: activista, periodista o lo que sea. Eso es todo”, precisó.
Agregó que le preocupaba menos una disculpa o el uso de la imagen sin su consentimiento, añadiendo: “Lo que es asombroso es que una organización de noticias tiene una foto que prueba una masacre que sucedió ayer en Siria y sin embargo es una foto que fue tomada en el 2003 de una masacre totalmente diferente”.
“Alguien está utilizando la foto de otro para propaganda a propósito”, dijo.
Un vocero de la BBC indicó: “Tuvimos conocimiento de esta imagen siendo ampliamente difundida en Internet en las primeras horas de esta mañana después de las atrocidades más recientes en Siria”.
“La usamos con una advertencia clara diciendo que no pudo ser independientemente verificada”.
“Se hicieron esfuerzos para rastrear la fuente original de la imagen y cuando se estableció que la imagen era inexacta la retiramos de inmediato”.
(Tomado de The Scarlet Revolutionary)
Bookmark and Share

Artículos Relacionados

Otros artículos de Noticias
La actualidad de Cuba dentro y fuera de la Isla editada por Cubadebate.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

IMPEACHMENT PARA GILMAR MENDES

"Admito que o ex-presidente pudesse estar preocupado com a realização do julgamento no mesmo semestre das eleições. Isso aí é aceitável. Primeiro, porque é um leigo na área do Direito. Segundo, porque integra o PT. Portanto, se o processo envolve pessoas ligadas ao PT, obviamente, se ocorrer uma condenação, repercutirá nas eleições municipais."

A avaliação, simples mas correta, foi do ministro Marco Aurélio Mello, que sempre considerei o mais lúcido dos integrantes do Supremo Tribunal Federal.

Sim, é da natureza humana tentarmos convencer juízes a tomarem as decisões que nos convêm. O destrambelhado Gilmar Mendes só teria motivos para fazer a tempestade em copo d'água que fez:
  • se Lula o tivesse procurado para tentar influir na sentença do processo do mensalão;
  • se Lula lhe houvesse oferecido alguma forma de recompensa ou feito alguma ameaça, para tangê-lo a aceitar a postergação do julgamento para depois das eleições municipais.
Ora, nem em suas declarações mais furibundas à imprensa Mendes ousou acusar Lula de estar pressionando pela absolvição dos réus.

E, mesmo se acreditarmos na versão que Mendes deu do encontro e ninguém confirmou, a referência de Lula a (mais) uma  ligação perigosa  do seu interlocutor é insuficiente para caracterizar uma ameaça. Lula não teria dito nada parecido com "a militância do PT trombeteará dia e noite que é o Carlinhos Cachoeira quem custeia vossas viagens", mas, apenas, sugerido que convinha ao próprio Mendes deixar esses assuntos melindrosos para mais tarde.

É inadequado alguém falar nestes termos a um ministro do Supremo? Sem dúvida! Mas, o que Mendes esperava, ao aceitar um encontro a portas fechadas com Lula sem ter nada de pertinente a tratar com ele?

Se Mendes é tão sensível a hipotéticas insinuações, certamente não as ouvirá atendo-se à liturgia do cargo.

Como explica Joaquim Falcão, professor de Direito Constitucional da FGV/RJ:
"...no STF há hoje dois perfis distintos. De um lado ministros mais discretos, que não se pronunciam, exceto nas audiências, e que mantêm distância de Executivo, Legislativo e representantes de interesses em julgamento. Vida pessoal recatada.

Por outro lado há ministros que se pronunciam fora dos autos, estão diariamente na mídia, mantêm contatos políticos, participam de seminários e reuniões com grupos de interesse.

A questão crucial, dizem uns, não é se o ministro deve falar fora dos julgamentos, estar na mídia ou se relacionar social e politicamente. A questão é haver transparência antes, durante e depois dos relacionamentos. E que não faça política. As agendas, os encontros, as atividades dos ministros deveriam ser publicados de antemão.

Em alguns países o juiz não recebe uma parte sem a presença da outra, tão grande é a preocupação com a imparcialidade. O que alguns ministros praticam aqui no STF. Ou grava-se a conversa para assegurar a fidelidade do que ocorreu e proteger o ministro de propostas inadequadas".
Mendes é o pior exemplo de  ministro pop star: pronuncia-se o tempo todo fora dos autos, só falta pendurar uma melancia no pescoço para aparecer mais na mídia, mantém contatos políticos a torto e direito, não recusa convites para eventos de poderosos que têm óbvio interesse em decisões do STF.

Pior, FAZ POLÍTICA (e sempre com viés direitista) --como quando produziu irresponsável alarmismo acerca de um estado policial que nem remotamente se configurava, ou quando contrapôs à frase da então ministra Dilma Rousseff, de que "tortura é crime imprescritível", a estapafúrdia afirmação de que "terrorismo também é" (esquecendo  não só a diferença jurídica entre terrorismo e resistência à tirania, como também o fato de que a imprescritibilidade do terrorismo só viria a ser introduzida nas leis brasileiras depois dos  anos de chumbo).

E nunca tem gravações para apresentar, que comprovassem suas denúncias delirantes e bombásticas.

O veterano jornalista Jânio de Freitas (vide íntegra aqui) nos brinda com uma constatação explícita e uma sugestão implícita:
"O excesso de raiva e a aparente perda de controle em Gilmar Mendes talvez expliquem, mas não tornam aceitável, que um ministro do Supremo Tribunal Federal faça, para a opinião pública, afirmações tão descabidas.

...Com muita constância, somos chamados a discutir o decoro parlamentar. Não são apenas os congressistas, no entanto, os obrigados a preservar o decoro da função".
Eu não insinuo, afirmo: já passou da hora de Gilmar Mendes ser submetido a impeachment.

Menos pela comédia de pastelão que está encenando agora e mais por haver, em duas diferentes ocasiões, privado da liberdade Cesare Battisti em função não das leis e da jurisprudência existentes, mas da esperança que nutria de as alterar.

Quando o ministro da Justiça Tarso Genro concedeu refúgio ao escritor italiano, cabia ao presidente do STF suspender o processo de extradição e colocá-lo em liberdade, como sempre se fizera. Mas decidiu mantê-lo preso, confiante em que convenceria seus colegas ministros a detonarem a lei e a instituição do refúgio, passando por cima do Legislativo e usurpando prerrogativa do Executivo. Conseguiu.

Da segunda vez, quando o então presidente Lula negou a extradição, exatamente como o Supremo o autorizara a fazer, o relator Mendes e o presidente Cezar Peluso apostaram de novo numa virada de mesa legal... E PERDERAM!

O desfecho do caso os tornou responsáveis pelo SEQUESTRO de Battisti durante os cinco meses seguintes --e nada existe de mais grave para um magistrado do que dispor tendenciosamente da liberdade alheia, cometendo abuso gritante de autoridade.

Se Mendes sofrer o impeachment agora, Deus estará escrevendo certo por linhas tortas.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

ONU RECOMENDA FIM DA POLÍCIA MILITAR

O Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu nesta quarta-feira ao Brasil maiores esforços para combater a atividade dos "esquadrões da morte" e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais. Esta é uma de 170 recomendações que os membros do Conselho de Direitos Humanos aprovaram hoje como parte do relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre o Exame Periódico Universal (EPU) do Brasil, uma avaliação à qual se submetem todos os países.
Leia também: Policiais da Rota são presos após mortes na zona leste de São Paulo
A recomendação em favor da supressão da PM foi obra da Dinamarca, que pede a abolição do "sistema separado de Polícia Militar, aplicando medidas mais eficazes (...) para reduzir a incidência de execuções extrajudiciais". A Coreia do Sul falou diretamente de "esquadrões da morte" e Austrália sugeriu a Brasília que outros governos estaduais "considerem aplicar programas similares aos da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) criada no Rio de Janeiro". Já a Espanha solicitou a "revisão dos programas de formação em direitos humanos para as forças de segurança, insistindo no uso da força de acordo com os critérios de necessidade e de proporcionalidade, e pondo fim às execuções extrajudiciais".
O relatório destaca a importância de que o Brasil garanta que todos os crimes cometidos por agentes da ordem sejam investigados de maneira independente e que se combata a impunidade dos crimes cometidos contra juízes e ativistas de direitos humanos.
Leia também: Os negócios ilegais de PMs no Rio: venda de armas e drogas ao tráfico
O Paraguai recomendou ao país "seguir trabalhando no fortalecimento do processo de busca da verdade" e a Argentina quer novos "esforços para garantir o direito à verdade às vítimas de graves violações dos direitos humanos e a suas famílias". A França, por sua parte, quer garantias para que "a Comissão da Verdade criada em novembro de 2011 seja provida dos recursos necessários para reconhecer o direito das vítimas à justiça".
Muitas das delegações que participaram do exame ao Brasil concordaram também nas recomendações em favor de uma melhoria das condições penitenciárias, sobretudo no caso das mulheres, que são vítimas de novos abusos quando estão presas. Neste sentido, recomendaram "reformar o sistema penitenciário para reduzir o nível de superlotação e melhorar as condições de vida das pessoas privadas de liberdade".
Olhando mais adiante, o Canadá pediu garantias para que a reestruturação urbana visando à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016 "seja devidamente regulada para prevenir deslocamentos e despejos".


LINK http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2012-05-30/paises-da-onu-recomendam-fim-da-policia-militar-no-brasil.html

terça-feira, 29 de maio de 2012

Colombia: Paro Nacional em 30 de Mayo

Paro Nacional, Mayo 30
Por educación pública gratuita y de calidad; la construcción de un nuevo modelo de salud y el fortalecimiento económico y administrativo de la justicia.
El Comité Coordinador Nacional de Unidad Sindical Estatal, ante el impacto negativo que está causando la profundización de las políticas neoliberales del gobierno de Juan Manuel Santos en la vida de los colombianos-as, ha convocado la suspensión de labores de los empleados del Estado el 30 de mayo.
Por la grave situación que se registra en el sector estatal, tanto en lo educativo, como en salud, y justicia, el real deterioro de las condiciones laborales, de la calidad de vida de los trabajadores y empleados al servicio del Estado, las centrales obreras, las distintas federaciones de empleados estatales del país, maestros-as, estudiantes, padres y madres de familia, organizaciones sociales y políticas, anunciaron su participación en el paro nacional el próximo miércoles 30 de mayo.
Subrayan los convocantes que estos problemas se agravarán con la entrada en vigencia del TLC con los Estados Unidos, consecuencia a su vez de la implementación del modelo económico dominante, desarrollista, depredador, que todo lo convierte en mercancía, lo privatiza, incluyendo los derechos, el derecho a la educación, a la salud, a la justicia, en fin a la vida.
En consecuencia exigen, entre otros puntos: “La eliminación de la tercerización laboral, por la formalización del empleo público y la ampliación de las plantas de personal en todas las entidades estatales, iniciando en el Ministerio de Trabajo y en el SENA; Derogatoria de la Directiva Ministerial 02 de 2012, expedida por el Ministerio de Educación, que extiende la jornada laboral del magisterio y la jornada escolar y vigencia de la Directiva Ministerial 010 de 2009, acordada entre Fecode y el gobierno; La construcción de un nuevo modelo de salud, la defensa de los hospitales públicos y la derogatoria de la Ley 100 de 1993, en lo cual coinciden hoy desde la Corte Constitucional hasta el más humilde de los colombianos; El fortalecimiento económico y administrativo de la justicia, eliminando la privatización recientemente aprobada por el Congreso de la República y garantizando su autonomía frente a los otros poderes del Estado”.

Por su parte, el Congreso Educativo de los Pueblos, manifiesta su apoyo e invita al paro, a movilizarse y hacer realidad de forma contundente el cese de actividades en todo el país, así como reafirma el llamamiento a continuar con el proceso de construcción de una propuesta  política-educativa, que humanice la educación, que le imprima referentes de autonomía, solidaridad, dignidad, libertad y soberanía nacional en la  perspectiva de la conformación de una nueva nación, de un nuevo país posible. 

Congreso los Pueblos
Mayo 30 de 2012.
Enviado por Sara Leukos

ATENÇÃO 30 de Maio a COLOMBIA vai parar.

Paro Nacional, Mayo 30
Por educación pública gratuita y de calidad; la construcción de un nuevo modelo de salud y el fortalecimiento económico y administrativo de la justicia.
El Comité Coordinador Nacional de Unidad Sindical Estatal, ante el impacto negativo que está causando la profundización de las políticas neoliberales del gobierno de Juan Manuel Santos en la vida de los colombianos-as, ha convocado la suspensión de labores de los empleados del Estado el 30 de mayo.
Por la grave situación que se registra en el sector estatal, tanto en lo educativo, como en salud, y justicia, el real deterioro de las condiciones laborales, de la calidad de vida de los trabajadores y empleados al servicio del Estado, las centrales obreras, las distintas federaciones de empleados estatales del país, maestros-as, estudiantes, padres y madres de familia, organizaciones sociales y políticas, anunciaron su participación en el paro nacional el próximo miércoles 30 de mayo.
Subrayan los convocantes que estos problemas se agravarán con la entrada en vigencia del TLC con los Estados Unidos, consecuencia a su vez de la implementación del modelo económico dominante, desarrollista, depredador, que todo lo convierte en mercancía, lo privatiza, incluyendo los derechos, el derecho a la educación, a la salud, a la justicia, en fin a la vida.
En consecuencia exigen, entre otros puntos: “La eliminación de la tercerización laboral, por la formalización del empleo público y la ampliación de las plantas de personal en todas las entidades estatales, iniciando en el Ministerio de Trabajo y en el SENA; Derogatoria de la Directiva Ministerial 02 de 2012, expedida por el Ministerio de Educación, que extiende la jornada laboral del magisterio y la jornada escolar y vigencia de la Directiva Ministerial 010 de 2009, acordada entre Fecode y el gobierno; La construcción de un nuevo modelo de salud, la defensa de los hospitales públicos y la derogatoria de la Ley 100 de 1993, en lo cual coinciden hoy desde la Corte Constitucional hasta el más humilde de los colombianos; El fortalecimiento económico y administrativo de la justicia, eliminando la privatización recientemente aprobada por el Congreso de la República y garantizando su autonomía frente a los otros poderes del Estado”.

Por su parte, el Congreso Educativo de los Pueblos, manifiesta su apoyo e invita al paro, a movilizarse y hacer realidad de forma contundente el cese de actividades en todo el país, así como reafirma el llamamiento a continuar con el proceso de construcción de una propuesta  política-educativa, que humanice la educación, que le imprima referentes de autonomía, solidaridad, dignidad, libertad y soberanía nacional en la  perspectiva de la conformación de una nueva nación, de un nuevo país posible. 
 
Congreso los Pueblos
Mayo 30 de 2012.

DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS É PRIORIDADE MÁXIMA EM SP

Cinco anos se passaram desde que, tentando enfiar goela adentro da comunidade uspiana quatro decretos autoritários, o então governador José Serra deu o pontapé inicial numa escalada de arbitrariedades que foi intensificando-se cada vez mais, até chegarmos às recentes e gravíssimas violações dos direitos humanos em São Paulo.

Então, ao promover um seminário sobre os DH em Sampa, o PSOL almeja algo bem maior do que o aprimoramento do seu programa, visando futuras disputas eleitorais: quer estimular os outros agrupamentos verdadeiramente de esquerda a também priorizarem a luta contra a barbárie e o retrocesso, inscrevendo-a em suas diretrizes e abrindo-se a iniciativas de união das forças progressistas para o enfrentamento do inimigo comum.


Há várias formas de avaliarmos tais episódios: podemos, p. ex., vê-los como consequência dos excessos e provocações dos remanescentes da ditadura militar até hoje enquistados na máquina governamental; como nova demonstração do despreparo de algumas autoridades para o exercício de suas funções numa democracia; e até como balões de ensaio golpistas, para se testar a resistência da sociedade brasileira ao restabelecimento do estado policial.

Todos sabem que eu fui o primeiro a alertar para a última possibilidade. Mas, qualquer que seja o motivo, NÃO PODEMOS, DE MANEIRA NENHUMA, CRUZAR OS BRAÇOS DIANTE DO QUE ESTÁ OCORRENDO! Tanto quanto nos  anos de chumbo, a defesa intransigente dos direitos humanos se tornou um imperativo para os militantes de esquerda em SP. 

Daí eu pedir a contribuição de todos os companheiros, no sentido de começarmos a construir a reação organizada do CAMPO DA ESQUERDA ao avanço da DIREITA SELVAGEM na cidade e no estado de São Paulo.


COMO DETERMOS A ESCALADA DE GRAVES
VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS EM SP?

O PSOL está abrindo a discussão sobre os problemas candentes da atualidade brasileira, em seminários que servem para a identificação de propostas a serem incorporadas ao programa do partido em relação a questões relacionadas à educação, saúde, meio ambiente, juventude, LGBT, etc.

Neste sentido, vai promover amanhã (4a. feira, 30), a partir das 19 horas, o Seminário de Programa: Direitos Humanos, que terá lugar no Sinsprev (rua Antonio de Godoy, 88, 2o. andar, ao lado do Largo do Paissandu, no centro velho de São Paulo).

Os debatedores já confirmados são o militante histórico da Anistia Internacional Carlos Lungarzo e o jornalista e ex-preso político Celso Lungaretti, que tiveram participação destacada na luta pela liberdade de Cesare Battisti; e Fabiana Leibl, da ONG Conectas Direitos Humanos.

Estão convidados não só os filiados ao PSOL, mas os militantes de DH e todos os interessados em darem uma contribuição positiva para o aclaramento e aprofundamento de assuntos que vão desde a persistência da tortura policial contra presos comuns até hoje e as condições de vida e de trabalho desumanas impostas a grande parte da população, até a escalada autoritária em curso na cidade e no Estado (repressão da Marcha da Maconha, faxina social na Cracolândia, barbárie no Pinheirinho, ocupação militar da USP, etc.).

OUTROS TEXTOS RECENTES (clique p/ abrir):
A "FOLHA" VIRA PORTA-VOZ DO TERNUMA E QUASE NINGUÉM DENUNCIA?!
A "FOLHA" AGORA É A VERSÃO IMPRESSA DO TERNUMA
O NOVO XOU (ME ENGANA QUE EU GOSTO)


Deu a Louca no Mundo

Deu a louca no Mundo

Extraido de O PORRETE - http://www.oporrete.com.br/justica-e-democracia/2431-deu-a-louca-no-mundo

Deu a louca no mundo

Avaliação do Usuário: / 0 
PiorMelhor 
Autor: Desembargador Pedro Valls Feu Rosa
Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo
pedro_valls_feu_rosa2805Prenderam um galo em uma cela de delegacia. Isto aconteceu na província de Formosa, na Argentina. O crime dele foi ter destruído uma máscara de cerâmica Aymara que a vizinha de seu dono havia trazido da Bolívia. As autoridades policiais asseguraram que o galo estava sendo bem tratado em sua cela. Este galo deu mais sorte do que uma penosa surpreendida fazendo sexo com um homem em Zâmbia, e que acabou condenada por um Conselho local à morte por decapitação.
Enquanto isso, na Sérvia, Micko acabou preso. Trata-se de um boi de 4 anos de idade, cujo dono foi condenado pela prática de atos violentos. Com a prisão dele, a saída para evitar que Micko fosse para um matadouro foi enviá-lo também para a cadeia. Assim, para este pobre boi, ‘a vaca foi para o brejo’.
Falando em bovinos, a situação anda muito avacalhada em uma prisão localizada ao norte da cidade de Londres, no Reino Unido: ladrões roubaram do cofre de lá o equivalente a US$ 1 mil. É isso mesmo: a penitenciária foi depenada! Destino semelhantes tiveram policiais israelenses – eles “deram bobeira” e a viatura na qual estavam foi carregada por ladrões, apenas tendo sido recuperada horas depois sem o aparelho de rádio e o computador.
Em situação parecida se viram policiais japoneses de Gunma, ao norte de Tóquio, cuja viatura foi furtada por um cidadão que, carregando compras e cansado de andar, decidiu arrumar um “transporte gratuito” até sua casa.
Já em Ryazan, perto de Moscou, na Rússia, muitas pessoas não conseguiram voltar para casa: um servidor municipal decidiu furtar uma ponte de metal que cruzava um rio próximo. Ele carregou a ponte de caminhão, escandalizando a Polícia local.
Aliás, sobre a Polícia, nenhuma é tão cheirosa como a Gujarat, uma cidade da Índia. Lá, os agentes da lei estão utilizando uniformes perfumados com essências de flores e frutas cítricas, em uma tentativa de melhorar a imagem da corporação. A idéia é que as pessoas tenderiam a se aproximar mais de agentes delicadamente perfumados.
Menos delicado foi um policial da Malaysia, que tomou uma bolsa das mãos de uma turista e saiu pelas ruas em desabalada carreira até ser preso por seus colegas poucos quarteirões à frente. Dá para perceber que é complicado ser policial por lá.
Mas pior ainda é ser agente da lei na África do Sul: a barra anda tão pesada que até os cachorros da corporação usam coletes à prova de balas e facadas. Recentemente dois deles foram esfaqueados tentando parar um ladrão na província de Natal. Quem também tem uma “vida de cão” são os cachorros ingleses: 150 deles são seqüestrados por dia, apenas sendo devolvidos após o pagamento de resgates em dinheiro vivo.
A propósito do vil metal, li no jornal “Seoul News” que o governo  da Coréia do Norte estaria faturando US$ 20 milhões por ano com a falsificação de dinheiro. Segundo consta, a Casa da Moeda local teria se especializado em produzir notas de dólar de altíssima qualidade.
Por falar em dólares, um congressista norte-americano questionou a remessa de 363 tolenadas deles, em um total de US$ 5,5 bilhões, ao Iraque, naquele que foi o maior transporte de dinheiro vivo da História. Disse ele: “quem em seu juízo perfeito enviaria 363 toneladas de dinheiro para uma zona de guerra”?
Aliás, sobre “zonas de guerra”, li no “El Clarín”, da Argentina, que quem quer fazer uma é o prefeito de Villarino. Indignado com os freqüentes assaltos cometidos em sua cidade, ele declarou: “se não há solução para os roubos surgirão esquadrões da morte, porque há muitos moradores com ovos suficientes para frear estes idiotas delinqüentes”.
E assim vai caminhando a humanidade. 19% dos nossos semelhantes vivem na miséria, com menos de US$ 1 por dia, mas perdemos entre 4% do PIB (EUA) e 11% do PIB (Brasil) só em função do crime. Investimos US$ 1,3 trilhão por ano em armamentos e não conseguimos ainda discutir seriamente como combater o mal que nos deixa prisioneiros em nossas próprias casas.
Daí, talvez, a ironia de Oscar Wilde, segundo quem “o mundo pode ser um palco, mas o elenco é um horror”.
Autor: Desembargador Pedro Valls Feu Rosa
Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo