Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas. Clique na imagem acima.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

ADITAL -Rede Ecumênica da Juventude reforça pedido por uma Palestina Livre

23.11.12 - Brasil
Rede Ecumênica da Juventude reforça pedido por uma Palestina Livre
Karol Assunção
Jornalista da Adital
Adital
Organizações juvenis fazem coro aos manifestos de entidades nacionais e internacionais de defesa dos direitos humanos pelo fim das ocupações na Palestina. A Rede Ecumênica da Juventude (Reju), por exemplo, não se calou diante do conflito entre israelenses e palestinos. Nessa quinta-feira (22), a organização juvenil emitiu um comunicado ressaltando a importância de paz na região e pedindo o fim da ocupação de Israel na Palestina.
"Para a Reju, não será possível discutir a paz verdadeira nesta região sem o fim da ocupação. A Paz da "não guerra” poderá acontecer, mas ela não será Shalom, Salaam, Plenitude de Paz, enquanto não vier acompanhada da justiça. Por isso, somos pelo fim das ocupações na Palestina”, destaca.
Na próxima quinta-feira (29), completam-se 65 anos da partilha da Palestina, ocorrida em uma sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) presidida pelo Brasil. Também neste ano completam-se 45 anos do início da ocupação militar israelita da Cisjordânia e dez anos do início do muro que separa a Cisjordânia e circunda cidades e vilas palestinas.
No comunicado, Reju aponta que o estado de Israel ocupa ilegalmente a Palestina, o que acarreta em um desrespeito às convenções internacionais de Direitos Humanos. "O Estado israelense, via relações desiguais de poder, ocupa o território internacionalmente reconhecido como palestino. Jerusalém Oriental foi anexada ilegalmente ao território de Israel; o muro de segregação (também chamado de muro do apartheid) invade as fronteiras, separando vilas palestinas de suas terras; as colônias ilegais de israelenses crescem dentro dos territórios ocupados, e mais uma série de israelenses crescem dentro dos territórios ocupados, e mais uma série de atos de violência física, psicológica e simbólica é aplicada às (aos) palestinas (os)”, explica.
A Rede Ecumênica da Juventude aproveita para se solidarizar à Palestina e apoiar os eventos realizados para chamar a atenção para a violação dos direitos humanos dos povos palestinos. Como exemplo de iniciativas, cita o Fórum Social Mundial Palestina Livre, evento que ocorrerá entre os dias 28 de novembro e 1° de dezembro em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, com a participação de ativistas de várias partes do mundo.
"Esta política tem ceifado vidas humanas e produzido feridas (os) nos dois lados do conflito. A necessidade de paz é urgente. Por isso, unimo-nos a milhares de vozes ao redor do mundo que pedem, além do término imediato das ocupações, o fim do embargo econômico israelense contra a Faixa de Gaza, que tem provocado o sufocamento daquela população e elevado o nível de tensão, atos de violência e conseqüentes represálias. Rogamos por gestos concretos de respeito mútuo à soberania de cada país e aos direitos de seus habitantes. Acreditamos que uma mudança na política de ocupação israelense pode ser um exemplo valioso neste processo de paz”, finaliza o comunicado.

Enviado por Mail por Vitor B.
Publicado no Jornal ADITAL 

Nenhum comentário:

Postar um comentário