Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

#naovaitergolpe

#naovaitergolpe
Acesse Frente Brasil Popular

sábado, 8 de outubro de 2011

Luis Bilbao explica em video as consequencias da crise usa para o mundo.

Vale a pena assistir a entrevista de Luis Bilbao, diretor da revista América XXI que explica à sua maneira quais as conseqüências que trarão ao mundo a crise do capitalismo, as guerras que estão em curso, e os papeis que BRICS, UNASUR e a futura CELAC desempenharão  nessa conjuntura de conflitos e de incertezas. O vídeo tem a duração de 76 minutos e foi gravada no dia 05/10/2011. Jacob David Blinder
 
 
 
 
 
 
 
 

CHE GUEVARA Vive- Por Chico Celso Ex Guerrilheiro grupo Dilma


Sábado, 8 de Outubro de 2011 17:58
Che Guevara, por Alberto Korda Che assassinado: eram 13h10, quando foi feito o último disparo. Che morre no dia 09 de outubro de 1967 aos 39 anos de idade, com 11 tiros.
8 de outubro é o "Dia do Guerrilheiro Heróico" na ilha de Cuba, neste dia são prestadas homenagens a Che Guevara.
 
Che vive em nossa memória, Che vive como  inspiração, Che vive como exemplo de dignidade revolucionária. Che vive em nossos corações. Che vive na história. E pela História vivemos a lutar pelos mesmos sonhos de Che Guevara - exemplo de homem de caráter, revolucionário, companheiro e amigo
Obrigado, eterno comandante, a quem devemos muito pelo caminho que seguimos até hoje, e cuja presença em nossa memória nos move à  luta permanente pela libertação dos seres humanos e das nações de todo tipo de dominação e alienação.
Homenagem também aos meus companheiros de luta, ao vivos que permanecem na luta e aos que tombaram. 
Indignar-se sempre, perder a esperança jamais!
Chico Celso -
--
  mensagem pdo Grupo "Saberpolitica" nos Grupos do Google.
Para ver mais opções, visite este grupo em
http://groups.google.com.br/group/saberpolitica?hl=pt-BR

Video Documental de la revolución Chilena por la Educacion

O VÍDEO ANEXO DEVERIA SER VISTO POR TODO MUNDO!
QUEM SABE O EXEMPLO SERVISSE PARA ACORDAR NOSSOS JOVENS EM GERAL, ESTUDANTES EM PARTICULAR E O POVO!
O MUNDO ESTÁ DESPERTANDO PARA A LUTA, E NÓS, BRASILEIROS???

  Safrany



Fernanda Hughes 8 de outubro de 2011 21:31

A Semana comentada por Laerte Braga “AJUDA HUMANITÁRIA” PARA OS EUA

A SEMANA – “AJUDA HUMANITÁRIA” PARA OS EUA


Laerte Braga


É preciso criar uma OTAN (ORGANIZAÇÃO DO TRATADO ATLÂNTICO NORTE) às avessas e sem as características do braço militar do complexo ISRAEL/EUA TERRORISMO S/A nas colônias norte-americanas/sionistas que outrora formavam a Comunidade Européia.

É claro! Quem vai prestar ajuda aos cidadãos norte-americanos presos e espancados pela polícia de New York (inspiradora de Paulo Maluf no “tolerância zero”), nos protestos contra os assaltos diários praticados por banqueiros e grandes conglomerados empresariais contra o trabalhador?

Quem vai libertar o mundo das ameaças de destruição em massa do executivo de ISRAEL/EUA TERRORISMO S/A Barack Obama?

De Bush para cá os caras conseguiram a proeza de terceirizar para empresas sócias do conglomerado terrorista até a guerra! As forças armadas são constituídas por mercenários.

A GLOBO aqui está em desespero com a concessão de títulos de doutor honoris causa ao ex-presidente Lula. Não entende como instituições e universidades no exterior podem preferir Lula ao ex-presidente Fernando Henrique, o mais notável dentre os pilantras da política brasileira. O tal que, segundo Millôr Fernandes, acredita que “mais inteligente que ele, só ele mesmo”.

A primavera é uma estação consagrada às flores. Nas escolas desde o primeiro ano do básico ensinam isso. A idéia que esteja ocorrendo a um só tempo uma sucessão de primaveras em vários países do mundo não dá a dimensão do tsunami que está por vir e pretende arrebentar os principais santuários do mundo contemporâneo. Bancos e redutos de tecnologias que reduzem o ser humano a mísera condição de objeto.

Não será surpresa se o túmulo de Steve Jobs for transformado numa das maravilhas do planeta. Um monte de pessoas de todo o mundo, interligadas por aparelhos criados pelo norte-americano e em reverência, adorando um chip, símbolo que deverá, com certeza, simbolizar a robotização da humanidade.

Do jeito que as coisas andam, breve florestas transformadas em esconderijos de seres/livros, na tentativa de preservar o mínimo de humano no próprio. A capacidade de pensar. Isso levando em conta que determinadas espécies de macacos já demonstram fazer com mais precisão.

O filme de Truffaut como pré-estréia da realidade, isso anos atrás.

Foi só o governo brasileiro (Lula) assinar um tratado de livre comércio com Israel e a Polícia Federal já está nas ruas prendendo integrantes da máfia israelense envolvidos em importação ilegal de automóveis, lavagem de dinheiro, etc. Segundo o noticiário o serviço de inteligência de Israel, a MOSSAD, forneceu detalhes. Mais ou menos entregou os parceiros, naquele esquema mafioso de jogar às feras quem não consegue se segurar. A arraia miúda como se costuma dizer. E enquanto isso vão controlando toda a indústria bélica brasileira.

Na verdade o Brasil vai ganhando cada vez mais contornos de entreposto do capital estrangeiro. O tal “capitalismo a brasileira” inventado por Lula e diagnosticado Ivan Pinheiro. O governo Dilma “protege” a indústria automotiva do País. Vale dizer, FORD, GM, VOLKS, FIAT, CITROEN, HONDA, etc, etc.

Uma professora em Minas – os piores salários pagos à categoria em todo o Brasil – exibe o seu drama. Trabalha em três turnos para poder sustentar-se. Não cogita de ter filhos, disse isso ao site TERRA, pois não tem como. É solteira. A aberração política que governa o estado, Antônio Anastasia, não tem a menor noção do que seja isso. É um ornitorrinco, um ser indefinido, atração em qualquer zoológico, deve ter sido isso que levou Aécio Neves, o tresloucado, a escolhê-lo para seu sucessor. Numa de suas viagens descobriu a nebulosa Anastasia, multicolorida.

Monarquista, o conde, ou visconde destila seu veneno dissimulado, pérfido, tucano, sobre os mineiros. A implicância estende-se aos mais tradicionais recantos do estado. Os produtores do queijo Minas canastra real estão ameaçados por uma lei federal que proíbe a comercialização do produto em outros estados por questões sanitárias. A Pepsi pode intoxicar todo mundo com o “toddynho”. Ninguém nunca morreu de comer o queijo de Minas.

O documentário O MINEIRO E O QUEIJO do diretor Helvécio Ratton, que percorreu boa parte do estado, mostra a realidade de 30 mil famílias que mantêm pequenas e produtivas fazendas bem cuidadas e voltadas para a produção do queijo. A lei é federal, mas o governo do estado torce e retorce para que seja cumprida – não cogita de defender pequenos produtores mineiros – de olho nos “benefícios” do latifúndio. Se bobear Anastasia privatiza tudo, ou disfarça em terceirização e chama a Nestlé, donatária das estâncias hidrominerais de Minas e colaboradora emérita dos governos e candidatos tucanos.

Não fica só por aqui. O deputado Camilo Cola, magnata por conta de grandes fraudes nos “negócios” – redundância – foi pego com as calças às mãos. Trabalhadores escravos numa de suas fazendas. O deputado é defensor do progresso, se imagina gerador de empregos, etc. e tal. Não sei se perde para o senador Reditário Cassol, do PP do estado de Rondônia que defende o uso de chicote para punir presos.

E quem vai punir senadores e deputados corruptos e como vão ser punidos? Camilo Cola é do Espírito Santo e integra a base do governo Dilma.

De qualquer forma o Senado Federal já está atolado de trabalho e grandes preocupações. Magno Malta, dublê de pastor e senador quer processar um ex-integrante do CQC, Rafinha Bastos, por uma piada de mau gosto. Será que existe bom gosto na tevê brasileira? Num sei, deve existir alguma coisa, afinal toda regra tem exceção, nem tudo é Luciano Huck e sua casa ilegal em Angra, ou Faustão e o falecido Jô Soares.

Ou o ideal seria a frase de Stanislaw Ponte Preta – Sérgio Porto –? “O melhor da televisão é o botão de desligar”.

Sarah Palin desistiu de disputar a indicação presidencial pelo Partido Republicano. Queria disputar com Obama no final do ano que vem. A moça, ex-governadora do Alasca, foi vice na chapa do zumbi John McCain, reuniu os marqueteiros e concluiu que mesmo sendo suas pernas perfeitas e estando disposta a exibi-las coast to coast com aquele toque sensual/puritano dos seus óculos, a despertar instintos ditos primitivos, não teria como vencer. A hipocrisia e o falso moralismo não serão suficientes dessa vez. A versão norte-americana de Cicciolina vestida de freira vai apenar “ajudar”

Vai daí que no festival ROCK IN RIO a platéia estimulada por “combatentes contra a corrupção”, apesar de Roberto Medina – o dono do negócio – mandou Sarney tomar naquele lugar. Desrespeito com o velho trampolineiro. Com efeito! O cara é que nem aquele personagem criado pelo falecido Jô Soares, usa terno e gravata E “trabalha” na GLOBO, personagem de Chico Anísio.

E ainda por cima é imortal, colega de Merval Pereira, integram a Academia Brasileira de Letras. Não sabe o que é isso? É a, b, c, d. e, até chegar a Ivo viu a Uva. Tem patrocínio de OMO o que lava mais branco e daquele tal VANISH, o que tira todas as manchas. E nos banheiros tem HARPIC, elimina o mau odor.

Foi uma semana danada de brava. É preciso pensar, com urgência, em ajuda humanitária aos norte-americanos, vítimas das barbáries do conglomerado ISRAEL/EUA TERRORISMO S/A, antes que o touro de Wall Street perca sua capacidade reprodutora de desigualdades e o sino deixe de bater.

Ah! Parece que Obama conseguiu emplacar sua cantada em Angelina Jolie. A moça, pelo menos, aceitou ser embaixadora dos EUA em países em crise. Se não emplacou fez um lance ousado.  

Foi por aí que Michele saiu com o serviço secreto para agradecer a proteção “a família Obama” Podemos dormir descansados, pois vocês estão por perto”.


Michael Moore - "Nossa missão: envolver-nos!" - o Imperio foi pro brejo, e a midia nada noticia.

Carta O BERRO] - Enviada por Vanderley Caixe
 
Michael Moore - "Nossa missão: envolver-nos!"

Carta O Berro.........................................................repassem






----- Original Message -----
From: beatrice.lista@elo.com.br



Contraponto 6451 - Michael Moore - "Nossa missão: envolver-nos!"

..
08/10/2011

Nossa missão: envolver-nos!


Adital -06.10.11 - EUA


Michael Moore

Cineasta y escritor estadounidos

Adital

Tradução: ADITAL

Nova York tem oito milhões de habitantes; um milhão vive na pobreza. É uma vergonha!

E, no entanto, o sistema não se detém. Não importa quanta vergonha possamos sentir; a maquinaria vai adiante, para fazer mais dinheiro. Novas maneiras de trapacear com as aposentadorias; de roubar ainda mais. Porém, algo está acontecendo em Liberty Plaza.

Estive em Liberty Plaza para escrever um par de notas. E voltarei.

Estão fazendo um grande trabalho lá. E estão recebendo cada vez mais apoio.

Em uma dessas noites, o sindicato de empregados de transportes –os condutores de ônibus, condutores da metropolitana- voltou com entusiasmo para dar sustentação ao protesto.

Há três dias, 700 pilotos de linha –sobretudo de United e de Continental- marcharam por Wall Street. Não sei se deu para assistir na TV.

Sei como esteve a cobertura aqui; mostraram apenas uns poucos hippies que tocavam tambores –coisas típicas que os jornais buscam-. Por favor, que Deus abençoe os hippies que tocam seus tambores! Mas, eu lhes digo o que vi naquela praça. Vi jovens e anciãos; gente de todo tipo e de todas as cores e de todas as religiões. Vi também as pessoas que votam por Ron Paul (o candidato presidencial ultraconservador que quer abolir o Banco Central). Quero dizer, era um grupo de gente de todo tipo. Estavam pessoas enfermas; estavam os professores. Hoje, haverá manifestação: também os condutores de ônibus e da metropolitana marcharão de novo pela Wall Street. Escutei dizer que a UAW (sindicato dos operários automotivos) está pensando em algo parecido. Pensem! Seu pior pesadelo se converterá em realidade.

Os hippies e os operários automotivos que marcham juntos! As pessoas entenderam. E toda essa história sobre as divisões internas... Não interessa às pessoas. Porque dessa vez trata-se de seus próprios filhos que correm o risco de não poder ir à escola. Dessa vez correm o risco de ficar sem casa.

Essa é a verdade que está em jogo!

Porém, o que me parece mais estranho e bizarro, de parte dos ricos, é como puderam exceder-se tanto.

Quero dizer: ia tudo muito bem para eles. Mas, para eles não era o bastante. Para os novos ricos não era o bastante. Os novos ricos que não fizeram fortuna graças a uma boa ideia; nem graças a uma invenção; nem ao seu próprio suor; nem com seu trabalho...

Os novos ricos que enriqueceram com o dinheiro dos outros; com o que jogaram como se fossem ao cassino. Dinheiro, mais dinheiro. E agora, temos uma geração de jovens cujos heróis são os dos canais de TV de negócios: aqueles que enriqueceram fazendo dinheiro sobre os que fazem dinheiro.

Porém, de quantos jovens que comecem a trabalhar para salvar esse planeta necessitamos?

Para encontrar a cura para todos esses males. Para encontrar uma maneira de levar água e serviços higiênicos aos milhares de pessoas sobre essa terra...

Isso é o que queria. Que, em vez de que as 400 pessoas mais ricas desse país tenham mais riqueza, sejam os 150 milhões de estadunidenses todos juntos os que estejam em melhor situação. Dirão: essa é uma das cifras que Michael Moore joga sem fundamento. Porém, é uma estatística certa: verificada por Forbes e por PolitiFact.

As 400 pessoas mais ricas dos Estados Unidos são mais ricos que os 150 milhões todos juntos! E isso não pode ser chamado de democracia!

A democracia implica em igualdade: eu não digo que cada pedaço da torta deve ser da mesma medida; porém, será que não exageraram?

Agora, há essa boa notícia. Porque até que alguém desafie nossa democracia –enquanto a Constituição se mantenha intacta-, quer dizer que cada um de nós terá o mesmo direito de voto que os senhores de Wall Street: um voto por pessoa.

E eles poderão comprar todos os candidatos que queiram; porém, sua mão guiará a nossa mão quando estivermos no quarto escuro.

A mensagem de gritar forte é fazer chegar aos milhões de pessoas que se deram por vencidas ou que foram convencidas por ignorância-. Conseguiremos fazer chegar nossa mensagem aos 400 será o pior pesadelo. Porque só sabem fazer contas!

Nós somos muitos mais que eles. Depende somente de nós. Basta de despertar-se pela manhã e dizer "ok”. Agora, basta! Decidi envolver-me. Essa agora é a nossa missão: envolver-nos. Por isso, lhes digo: apóiem o protesto de Liberty Plaza!

[Testemunho durante a apresentação do último livro de Moore em ST. Mark's Bookstore].

http://contrapontopig.blogspot.com/2011/10/contraponto-6451-michael-moore-nossa.html

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

as CONSTRUTORAS POPULARES da Paz - Enfim a paz de fato


  Enviado via facebook por Antonio Granado.

NOBEL DA PAZ - 07/10/2011 10h10 - Atualizado em 07/10/2011 10h10
tamanho do texto
A- | A+

Quem são as três mulheres a ganhar o Nobel da Paz?

Ellen Johnson-Sirleaf, Leymah Gbowee e Tawakul Karman foram reconhecidas por seus esforços por um mundo mais igual. Mas você sabe o que elas fizeram para ganhar o prêmio?

REDAÇÃO ÉPOCA COM AGÊNCIA EFE
Três mulheres foram agraciadas com o Prêmio Nobel da Paz nesta sexta-feira (7). A presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf, e as ativistas Leymah Gbowee, também liberiana, e Tawakul Karman, iemenita receberam o maior reconhecimento possível por sua luta por um mundo pacífico e por igualdade dos direitos das mulheres. Mas essas três pessoas são bem diferentes, e têm trabalhos bastante distintos em sua busca pela paz.
Tawakkul Karman sorri contente depois de ficar sabendo que acabara de ganhar o Nobel da Paz. Ela, que integra o grupo de manifestantes iemenitas que pedem o fim do regime em seu país, nem sabia que havia sido indicada. (Foto: Hani Mohammed / AP)
A ativista iemenita Tawakkul Karman tornou-se ferrenha defensora dos direitos humanos em seu país até se transformar em um ícone da oposição contra o regime. Ela, que hoje integra o grupo de manifestantes que acampa na Praça Tahrir de Sana’a na luta contra o regime do presidente Ali Abdullah Saleh, dedicou esse reconhecimento a "todas as revoluções árabes", com uma lembrança especial "ao sangue dos mártires e dos feridos".
Karman afirmou, pouco depois de receber a notícia de que ganhara o prêmio, que continuará sua luta "contra a opressão e a injustiça até que Saleh seja julgado". A iemenita, que pernoita ao lado do filho e de uma de suas filhas em uma pequena barraca, desconhecia que era candidata ao prêmio - ela só soube que havia ganhado depois de assistir ao anúncio pela televisão.
"Estou muito contente com esse prêmio, que é uma honra para todas as revoluções árabes", disse Karman. "Sabia que concorria a um prêmio nos Estados Unidos de direitos e liberdades, mas não ao Nobel", afirmou a fundadora da ONG Mulheres Jornalistas Sem Correntes e dirigente do partido islâmico Al Islah (Reforma Islâmica), que apostou na via pacífica de oposição a Saleh.
Já a ativista liberiana Leymah Roberta Gbowee liderou um movimento pacifista integrado por mulheres que alcançou o até então distante sonho de pôr fim à guerra civil que devastou a Libéria entre 1989 e 2003. Sua conquista abriu as portas para que a terceira ganhadora do Nobel da Paz deste ano, a presidente Johnson-Sirleaf, chegasse ao poder.
A ativista liberiana Leymah Gbowee, quando ganhou o prêmio Perfil John F. Kennedy por sua Coragem, em 2009. Sua luta pelo fim da guerra civil em seu país lhe rendeu o Nobel da Paz. (Foto: Lisa Poole / AP)
Após 14 anos de um conflito no qual morreram mais de 200 mil pessoas, Leymah uniu mulheres de distintas religiões para exigir o fim da guerra. Um documentário produzido recentemente sobre sua vida, "Pray The Devil Back to Hell" ("Reze Para que o Diabo Volte ao Inferno", em tradução livre), conta essa história.
Segundo o filme, milhares de mulheres liberianas se transferiram para o Gana em junho de 2003 para realizar uma manifestação pacífica na frente do lugar onde aconteciam as negociações entre os envolvidos no conflito, que haviam chegado a um ponto morto. As ativistas, vestidas com camisetas brancas, formaram um cordão ao redor do edifício para garantir que os negociadores não sairiam dali até chegar a um acordo.
As forças de segurança tentaram dispersar a concentração e as mulheres ameaçaram tirar suas roupas e protestarem nuas, o que dissuadiu os militares de qualquer intervenção. As manifestações culminaram no exílio de Charles Taylor, o até então presidente do país, e na eleição em 2006 de Ellen Johnson-Sirleaf.
Johson-Sirleaf, aliás, é conhecida por ter contribuído para o processo do fim do conflito armado na Libéria e com a queda de Charles Taylor, que posteriormente foi julgado por um tribunal internacional por crimes contra a humanidade. Apelidada em seu país de "Dama de Ferro", Ellen, de 72 anos e mãe de quatro filhos, tentará emendar um segundo mandato nas eleições presidenciais previstas para a próxima terça-feira.
Nascida em 29 de outubro de 1938 em Monróvia, capital da Libéria, estudou Economia na Universidade de Harvard e no início da década de 1970 ocupou o cargo de secretária de Estado de Finanças. Em 1979, foi nomeada ministra das Finanças no governo do presidente William Tolbert, cuja derrocada e posterior assassinato a obrigaram a deixar o país.
A presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf, a "Dama-de-Ferro", tornou-se, em 2006, a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe de Estado em todo o continente africano (Foto: David Guttenfelder / AP)
Durante seu exílio, ocupou a vice-presidência do escritório regional do Citibank na África, com sede em Nairóbi (Quênia), entre 1982 e 1985. Retornou a seu país em 1985 para apresentar sua candidatura ao Senado. Um discurso público no qual criticou o regime militar lhe valeu uma condenação de dez anos de prisão, mas acabou liberada pouco depois de ser presa.
Ellen foi vice-presidente e membro da direção do Equator Bank, em Washington (EUA), entre 1986 e 1992. Entre 1992 a 1997 dirigiu o escritório para a África do Programa Regional para o Desenvolvimento das Nações Unidas e também trabalhou para o Banco Mundial como economista especializada em estratégias de desenvolvimento para países africanos.
Retornou a seu país após o fim da guerra civil, em 1997. Apesar de inicialmente ter apoiado o golpe de Estado de Charles Taylor contra o general Samuel Doe, mais tarde se opôs a seu governo e o enfrentou nas eleições de 1997, nas quais obteve 10% dos votos. Acusada de traição por Taylor, novamente foi expatriada.
Nas eleições presidenciais de 11 de outubro de 2005, Ellen, candidata do Partido da Unidade, ficou na segunda posição, atrás do ex-jogador de futebol George Weah. O resultado forçou um segundo turno realizado em 8 de novembro no qual ela venceu com 59,4% dos votos. As autoridades eleitorais do país confirmaram o resultado do pleito em 23 de novembro e Ellen foi proclamada presidente do país. Tomou posse em 16 de janeiro de 2006, convertendo-se na primeira mulher chefe de Estado tanto na Libéria como no continente africano.
LH

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

VIDEO: A Mafia de Wall Strett




www.youtube.com
coloque em blogs, de todo tipo de assunto. nao mande so para que ja ta acostumado a ver isso, mande pra quem ainda ta dormindo!

A NAU DA GLOBO ENCALHOU NO STF Especial pro Rebate

+-.
A NAU DA GLOBO ENCALHOU NO STF  Especial pro Rebate PDF Imprimir E-mail
Laerte Braga   
Qui, 06 de Outubro de 2011 15:04
O comando de perversidades da REDE GLOBO deve estar atônito com a repercussão e as conseqüências da campanha liderada pelo grupo. Denúncias e combate à corrupção. É que neste momento o dilema enfrentado pela rede é o que fazer com os resultados de toda a farsa montada cuidadosamente para acuar o governo Dilma, arrancar concessões e fazer com que a presidente se desgarre de Lula (o verdadeiro alvo) esbarra no STF e em ministros no mínimo suspeitos, caso de Gilmar Mendes.

A ação impetrada pela Associação Brasileira de Magistrados soa como confissão de culpa, no mínimo temor, refiro-me a que pretende limitar a competência do Conselho Nacional de Justiça - CNJ - que tem deixado alguns juízes, desembargadores e ministros de tribunais superiores com o pé atrás.

Imagine se a coisa ganha vulto e, de repente, a turma resolve investigar aqueles dois habeas corpus concedidos a Daniel Dantas por Gilmar Mendes e chega à edição da revista VEJA (faz o trabalho sujo da mídia corrupta) que trouxe a público outra farsa. Gravações de conversas de Gilmar Mendes, então presidente da Suprema Corte, colocando-o na condição de vítima?

As tais gravações nunca existiram e foram montadas pelo próprio esquema de Gilmar. Se prestaram a impedir que o delegado Protógenes Queiroz conseguisse desmontar uma das quadrilhas mais perigosas e fortes dentre as máfias que controlam o Estado brasileiro. A de Daniel Dantas.

E todos os desdobramentos da operação chegassem ao telespectador comum, aquele que William Bonner chama de "Homer Simpson" e com o sentido de "idiota"?

Ia ficar complicado.

O Supremo Tribunal Federal tem em mãos uma batata quente.  Leia integra: http://www.jornalorebate.com.br/site/opini%C3%A3o/7659-a-nau-da-globo-encalhou-no-stf

Saiba porque temos que ficar atentos a COMISSAO DA VERDADE:

www.quemtemmedodademocracia.com
Aluízio Palmar Seqüelas sim, ódio não. A gente não pretende fazer justiça pessoal. Não é do nosso pensamento. Nunca defendemos isso. Nós queremos que essas pessoas respondam na Justiça. Porque, se nós estamos num processo de democratização do país, vamos respeitar o ritual democrático, que é ouvir,...

+-http://www.jornalorebate.com.br/site/politica/7662-comissao-da-verdade-mais-uma-farsa-mais-um-engodo-
Comissão da Verdade: mais uma farsa, mais um engodo PDF Imprimir E-mail
Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro   
Qui, 06 de Outubro de 2011 15:15
No último dia 21 de setembro, foi votado pela Câmara Federal o PL 7.376/2010 que criou um arremedo de Comissão Nacional da Verdade. Se a proposta apresentada pelo governo federal já se caracterizava por sua timidez, as emendas apresentadas pelo DEM - e aceitas em um grande acordão pela Presidente da República - piorou ainda mais o projeto. Antes, o texto do projeto estreitava a margem de atuação da Comissão, dando-lhe poderes legais diminutos, fixando um pequeno número de integrantes, negando-lhe orçamento próprio; desviando o foco de sua atuação ao fixar em 42 anos o período a ser investigado (de 1946 a 1988!), extrapolando assim em duas décadas a já extensa duração da Ditadura Militar.
Além disso, impede que a Comissão investigue as responsabilidades pelas atrocidades cometidas e envie as devidas conclusões às autoridades competentes, para que estas promovam a justiça.
Por tudo isto, continuamos reiterando as seguintes considerações, que constam de documento com milhares de assinaturas, encaminhado em junho deste ano à presidenta Dilma Roussef:
Para que tenhamos uma Comissão que efetive a Justiça:
- o período de abrangência do projeto de lei deverá ser restrito ao período de 1964 a 1985;
- a expressão "promover a reconciliação nacional" seja substituída por "promover a consolidação da Democracia", objetivo mais propício para impedir a repetição dos fatos ocorridos sob a ditadura civil-militar;
- no inciso V, do artigo 3º, deve ser suprimida a referência às Leis: 6.683, de 28 de agosto de 1979; 9.140, de 1995; 10.559, de 13 de novembro de 2002, tendo em vista que estas leis se reportam a períodos históricos e objetivos distintos dos que devem ser cumpridos pela Comissão Nacional da Verdade e Justiça.
- o parágrafo 4°, do artigo 4°, que determina que "as atividades da Comissão Nacional da Verdade não terão caráter jurisdicional ou persecutório", deve ser substituído por nova redação que delegue à Comissão poderes para apurar os responsáveis pela prática de graves violações de direitos humanos no período em questão e o dever legal de enviar suas conclusões para as autoridades competentes;
Para que tenhamos uma Comissão de verdade:
- o parágrafo 2°, do artigo 4º que dispõe que "os dados, documentos e informações sigilosos fornecidos à Comissão Nacional da Verdade não poderão ser divulgados ou disponibilizados a terceiros, cabendo a seus membros resguardar seu sigilo", deve ser totalmente suprimido pela necessidade de amplo conhecimento pela sociedade dos fatos que motivaram as graves violações dos direitos humanos;
- o artigo 5°, que determina que "as atividades desenvolvidas pela Comissão Nacional da Verdade serão públicas, exceto nos casos em que, a seu critério, a manutenção do sigilo seja relevante para o alcance de seus objetivos ou para resguardar a intimidade, vida privada, honra ou imagem de pessoas", deve ser modificado, suprimindo-se a exceção nele referida, estabelecendo que todas as atividades sejam públicas, com ampla divulgação pelos meios de comunicação oficiais.
Para que tenhamos uma Comissão da Verdade legítima:
- os critérios de seleção e o processo de designação dos membros da Comissão, previstos no artigo 2º, deverão ser precedidos de consulta à sociedade civil, em particular aos resistentes (militantes, perseguidos, presos, torturados, exilados, suas entidades de representação e de familiares de mortos e desaparecidos);
- os membros designados e as testemunhas, em decorrência de suas atividades, deverão ter a garantia da imunidade civil e penal e a proteção do Estado.
Para que tenhamos uma Comissão com estrutura adequada:
- a Comissão deverá ter autonomia e estrutura administrativa adequada, contando com orçamento próprio, recursos financeiros, técnicos e humanos para atingir seus objetivos e responsabilidades. Consideramos necessário ampliar o número atual de sete (7) membros integrantes da Comissão e o período de sua atuação, previsto para 2 anos.
Entendemos também que esta Comissão Nacional da Verdade deveria ser autônoma e independente do Estado.
A condenação do Brasil pela Organização dos Estados Americanos
Os crimes cometidos pela ditadura que controlou o Brasil por mais de 20 anos permanecem desconhecidos e os documentos que comprovam esses abusos continuam em segredo. A Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA, órgão da Organização dos Estados Americanos, condenou nosso país por esses delitos, exigindo que o governo brasileiro investigue e responsabilize seus autores.Até dezembro de 2011, o Estado brasileiro deverá responder a esta Sentença
E foi nesse sentido que o Brasil, através do atual governo, apresentou o PL, na tentativa de ter argumento junto à Corte para firmar que esclareceu os casos de violação de direitos humanos.
Por tudo isto, afirmamos que queremos sim uma Comissão Nacional da Verdade, Memória e Justiça que efetivamente investigue onde, quando, como e quem foram os responsáveis pelas atrocidades cometidas em nome da "Segurança Nacional". Que sejam publicizados e responsabilizados!
Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro
26 anos de luta contra a tortura

Sobre royalties:deverá haver um acordo entre estados produtores de petróleo (especialmente o Rio de Janeiro e o Espírito Santo) e os não produtores em relação a uma partilha mais equânime dos royalties relativos ao pré-sal. - Marco Maia

O presidente da Câmara, Marco Maia, disse nesta quarta-feira que deverá haver um acordo entre estados produtores de petróleo (especialmente o Rio de Janeiro e o Espírito Santo) e os não produtores em relação a uma partilha mais equânime dos royalties relativos ao pré-sal.
· · · · há 6 horas

  • Você e Ilza Souza curtiram isso.
    • Dagmar Vulpi Recebo e retribuo querida amiga. A recíproca é verdadeira. Bjus querida!
      há 6 horas ·
    • Fernanda Tardin e a parte do Veto que diz respeito as empresas estrangeiras estarem vetadas de participarem de leilões? ATT o PRE SAL é do povo brasileiro, o VETO corresponde a dois assuntos distintos e só focam um. TEM que ficar atento. bjao
      há 2 minutos ·
    • Fernanda Tardin e mais: TEM que estipular o uso da verba dos royalties PRINCIPALMENTE em municipios que tiverem sua realidade afetada, para que nao aconteça o que vem acontecendo aAnchieta: Favelização e aumento absurdo de violencia.
      há ± um minuto ·

Ditadura no Chile:

www.vermelho.org.br
Será instalada hoje uma mesa de diálogo entre o governo do Chile e os principais atores do Movimento Social por uma Educação Pública e Gratuita, defensores de mudanças estruturais no sistema sociopolítico. A negociação, no entanto, é marcada por diversos entraves.
 
www.vermelho.org.br
Após duas reuniões frustradas com o governo, os estudantes chilenos, que estão há cinco meses em greve pedindo mudanças no sistema educacional, decidiram abandonar a mesa de negociações. Eles acusam o ministro da Educação, Felipe Bulnes, de não fazer concessões em relação à gratuidade no ensino supe...
 
 

Projeto de ministro que isenta patrão de pagar contribuição de empregada doméstica.

Joelma Moraes No Grupo de Audifax
Projeto de ministro que isenta patrão de pagar contribuição de empregada doméstica.

O projeto de lei do senador licenciado, ministro da Previdência, Garibaldi Alves Júnior, que concede ao empregador anistia das contribuições devidas e não recolhidas à Seguridade Social de empregado doméstico, recebeu parecer favorável da relatora deputada Sueli Vidigal (PDT-ES) e segue para votação no Plenário da Câmara.

O projeto nº 6.707/2009 do Senado tem o objetivo de reverter o grande número de empregados domésticos informais. Dessa forma o projeto concede remissão das contribuições devidas e não recolhidas à Previdência Social desde que o empregador formalize o contrato de trabalho com o empregado no prazo máximo de 180 dias após a publicação da lei.

Além disso, o patrão deverá anotar na carteira de trabalho as datas de admissão e remuneração do empregado e recolher no mínimo as suas contribuições dos últimos 12 meses.

Caso o empregado tenha mais de 45 anos (mulher) ou mais de 50 anos (homem), o empregador deverá complementar o período de carência exigido para a aposentadoria do empregado, fixado em 180 contribuições mensais.

O projeto prevê que os valores para regularização do contrato de trabalho poderão ser parceladas em até 48 meses.

De acordo com Garibaldi Alves, a formalização do empregado doméstico poderá gerar uma receita anual de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos, além de R$ 2 bilhões em função da regularização das contribuições em atraso.

O Brasil possui hoje cerca de 6,6 milhões de empregados domésticos, dos quais apenas 1,8 milhão são formalizados,
· · · há 6 horas

    • Fernanda Tardin se deixar a dupla de 'representantes' determina as chibatadas . " LELE LELE, LELE LELE, ' Vai pro TRONCO ou nao vai?
      há 6 horas · · 1 pessoa
    • Rui Rodrigues Sinceramente, ainda não tenho uma opinião completa formada.. Aparentemente é um bom projeto
      há 6 horas ·
    • Fernanda Tardin bom pra quem?bj
      há 6 horas · · 1 pessoa
    • Rui Rodrigues Empregadas domésticas com aposentadoria... Agora... Se é totalmente justo, isso é outra coisa... Além de que patrão que está com a grana, não deveria ficar isento do que é comum a qualquer patrão...
      há 6 horas ·
    • Rui Rodrigues beixocax... esqueci...
      há 6 horas ·
    • Fernanda Tardin Patrao que nao tem grana, que compre maquina de lavar, e pegue na vassoura. Trabalhador não é escravo. bjao
      há 3 horas · · 2 pessoas

MANIFESTO AO VI ENCONTRO CONTINENTAL DE SOLIDARIEDADE A CUBA

‎[Carta O BERRO] MANIFESTO AO VI ENCONTRO CONTINENTAL DE SOLIDARIEDADE A CUBA

Carta O Berro.........................
................................repassem

MANIFESTO AO VI ENCONTRO CONTINENTAL DE SOLIDARIEDADE A CUBA - MÉXICO, 06 A 09 DE OUTUBRO DE 2011



Companheiras e companheiros da solidariedade a Cuba

Ao representarmos a Associação Cultural José Marti do Estado do Rio Grande do Sul, neste VI Encontro Continental de Solidariedade a Cuba, na Cidade do México, saudamos a todas e todos que se empenharam na organização deste encontro e, em especial, aos participantes que trazem na bagagem a disposição de avançar mais uma etapa nesta longa caminhada que percorremos em apoio a nossa querida Ilha.



Neste manifesto, assinado pela militância da Associação Cultural José Marti, buscamos reafirmar o compromisso que assumimos, há 27 anos, em lutar incansavelmente pela nobre e heróica causa do povo cubano.Ao defendermos a resistência deste povo para manter soberanamente os princípios humanistas da sua Revolução, o fazemos também para que esses princípios se solidifiquem como um referencial de respeito à dignidade e à autodeterminação dos demais povos da nossa América e de todo o mundo.



Companheiras e companheiros, para que se desfaça a hipocrisia e triunfe a verdadeira justiça é fundamental que muitas e muitas vozes se juntem às nossas. Se quisermos "outro mundo possível" necessitamos desmascarar a dupla moral dos sucessivos governos estadunidenses, que não aceitam perder o status auto - concedido de mandatários da humanidade.

Como militantes da solidariedade precisamos unir nossos esforços e reforçar a cada dia a tarefa de denunciar a intolerância do imperialismo e dos seus bajuladores. Dos asseclas que se ajoelham e se dobram em sinal de submissão em troca de esmola e perda de dignidade. Enquanto isso buscamos o direito à verdade, pois aqui todos compreendem a questão de fundo que sujeitou e ainda sujeita milhares de nações a sofrerem humilhações e explorações econômicas, políticas, sociais e culturais.

A forma de governar do imperialismo se despe de qualquer princípio ético ou moral. É contraditória e vergonhosa, pois apresenta um discurso de combate ao terrorismo, ao mesmo tempo em que garante proteção a terroristas cuja missão é a de manchar de sangue a soberania dos povos e atacar os direitos humanos. O mesmo imperialismo que dissemina o terrorismo para beneficiar-se das mentes e das riquezas dos povos, e que na América Latina liquidou todas as democracias e faz da catástrofe um meio de desenvolvimento.

Esse insensato imperialismo impõe bloqueios, compra consciências e atenta contra a segurança dos países. Mantém prisões injustas, ilegais e desumanas. É o caso dos nossos Cinco irmãos cubanos ANTONIO GUERRERO RODRÍGUEZ, FERNANDO GONZÁLES LLORT, GERARDO HERNÁNDEZ NORDELO, RAMÓN LABAÑINO SALAZAR e RENÉ GONZÁLEZ SEHWERERT, encarcerados há 13 anos por defender o seu povo e a sua pátria contra ataques que até hoje ameaçam a tranquilidade e prejudicam o desenvolvimento da nação cubana.

Sabemos que os grupos terroristas que atuam em Miami são reconhecidos pelo perigo que representam não apenas para Cuba, mas inclusive para os Estados Unidos, como foi reconhecido por Henry Kissinger quando afirmou: "na tentativa de derrotar o Governo dos Castros acabamos criando uma monstruosidade". Apesar disso o governo Obama mantém a política intolerante e agressiva dos seus antecessores, e a farsa que culminou na condenação dos Cinco heróis. O povo norte - americano não merece governos que os envergonhe, governos que não satisfazem a sua sede de vingança pela perda dos privilégios quando da Revolução Cubana. Governos que não satisfazem a sua sede de votos, considerados fundamentais no reduto de Miami que, por exemplo, deu a 1ª vitória para o ex - presidente vendedor de guerras, George W. Bush.

Companheiras e companheiros, hoje consta da nossa pauta de discussões outra grave denúncia: novamente a "confusa" juíza federal em Miami, Joan Lenard, manifestou, no último dia 16 de setembro, uma decisão absurda,desprovida de qualquer senso ético e jurídico.Ela declarou que René González estará obrigado a viver os próximos três anos em Miami, no que chamam de "liberdade supervisionada", apesar de cumprir sua sentença carcerária neste 7 de outubro.

Por não ter se inscrito como agente do governo cubano, René que aguardava permissão para regressar ao seu País e reencontrar-se com sua esposa Olga e suas filhas Ivette e Irma, vê o seu sonho ameaçado. Ao invés de estar ao lado do povo cubano e da sua família, deverá permanecer num ambiente hostil onde impera a violência e o terrorismo por ele combatido. Sua vida corre perigo, portanto precisamos empreender - com urgência - novas e vigorosas ações!



Diante dessa abusiva e desumana decisão devemos fortalecer o clamor pela liberdade dos Cinco e exigir o seu imediato retorno para Cuba. No Brasil sabemos o quanto foi importante a pressão e o apoio internacional para trazer de volta ao País os militantes que lutaram contra a ditadura e sofreram no exílio a saudade da sua Pátria, dos seus familiares e amigos.



E para fortalecer a causa de ANTONIO GUERRERO RODRÍGUEZ, FERNANDO GONZÁLES LLORT, GERARDO HERNÁNDEZ NORDELO, RAMÓN LABAÑINO SALAZAR e RENÉ GONZÁLEZ SEHWERERT, é importante que as entidades de solidariedade reforçem ações articuladas com os diversos setores da sociedade organizada e instituições políticas dos seus estados. Também, não poupem esforços para sensibilizar o governo dos seus países.

Neste sentido, no último mês de junho, durante a nossa VI Convenção de Solidariedade a Cuba, a prisão dos Cinco, os atos terroristas e o bloqueio contra Cuba foram denunciados junto ao Tribunal da Consciência, formado por representantes de universidades gaúchas, parlamentares, autoridades dos poderes do Estado, partidos políticos e entidades representativas do judiciário, além de movimentos dos direitos - humanos.

O documento - sentença que resultou do encontro foi entregue - com a assinatura dos participantes - à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República do Brasil e às Comissões de Direitos Humanos da Câmara e do Senado Federais. Foi enviado, ainda, ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil, com a solicitação que se manifeste em favor dos Cinco, e o pedido de apoio para o envio do documento ao Conselho dos Direitos Humanos da ONU, requerendo que tome providências contra as violações do imperialismo, com base em decisões justas e cabíveis.

Ao encerrarmos nossa manifestação queremos também repudiar os estragos causados ao povo cubano pelo oligopólio midiático, que manipula informações para encobrir os interesses políticos e econômicos do imperialismo. Repudiamos, ainda, o vergonhoso apoio da mídia à farsa que culminou na condenação dos Cinco herois.

Um forte e fraterno abraço repleto de esperança em nossa luta! Por Cuba! Pelos Cinco! Contra o terrorismo e o criminoso bloqueio estadunidense!

Outubro de 2011

ACJM/RS

Fazenda de Deputado flagrada com TRABALHO ESCRAVO. Bota pra reforma e IMPICHEAMENT NELLE.

http://www.seculodiario.com.br/exibir_not.asp?id=25432 Fonte:

Trabalhadores em situação análoga à de
escravidão resgatados em fazenda de Camilo


Lívia Francez
Foto capa: Arquivo SD

Uma operação da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) com o Ministério Público do Trabalho (MPT) flagrou, na manhã desta quinta-feira (6), 22 trabalhadores, incluindo uma mulher, em situação análoga à de escravidão na fazenda Pindobas IV, do Complexo Agroindustrial Pindobas, de proprietário do deputado federal Camilo Cola (PMDB). As diligências foram conduzidas pelo procurador do Trabalho no município de Cachoeiro de Itapemirim, Djailson Martins Rocha. A fazenda está localizada entre os municípios de Brejetuba e Muniz Freire, no sul do Estado, e os trabalhadores atuavam no corte e tombamento de pinus.

Os trabalhadores foram aliciados no município de Ipanema, no interior de Minas Gerais e conduzidos à fazenda com intermediários, conhecidos popularmente como “gatos”. As carteiras de trabalho deles ficaram retidas em Minas Gerais e a situação de todos estava irregular. Os alojamentos dos trabalhadores também eram muito precários, sujeitando-os a uma situação extremamente degradante e os salários chegavam a ficar 45 dias atrasados. Dentre os trabalhadores, havia acidentados e pessoas com transtornos mentais.

Os auditores da SRTE, após o flagrante de exploração de trabalho em situação análoga à de escravidão, se encaminharam à sede do Complexo Agroindustrial Pindobas para notificar a empresa, regularizar o pagamento dos trabalhadores, inclusive dos direitos trabalhistas, e determinar a retirada imediata deles da fazenda.

O Complexo Agroindustrial Pindobas, empresa do grupo Itapemirim, de propriedade de Camilo Cola, tem fazendas espalhadas pelo Estado e as atividades vão desde a criação de plantas ornamentais e silvicultura à aplicação de estudos em genética de seleção de gado pardo-suíço, passando pela monocultura de pinus, atividade realizada na fazenda de Brejetuba.

O flagrante desta quinta-feira se soma a outros casos de exploração de trabalhadores flagrados entre 2009 e 2011. O caso mais recente é o da empresa Bell Construções Ltda., empreiteira subcontratada pela multinacional Relacom que arregimentou 18 trabalhadores no Rio de Janeiro e os trouxe para Vila Velha, onde trabalhariam em obras de uma empresa de telefonia. Quando chegaram, os trabalhadores foram acomodados em um galpão, sem qualquer condição de higiene, e trabalhavam sem descanso até 10 horas por dia, sendo transportados de volta para o galpão em uma caçamba. O caso surpreendeu a SRTE por se tratar de situação análoga à escravidão em ambiente urbano.

No momento da batida no campo de obras, os operários já trabalhavam há 10 horas sem parar, e os agentes flagraram a caçamba em que eram transportados. A contratante da Bell Construções, a grande empreiteira multinacional Relacom, também é arrolada no processo movido pela SRTE. A empresa foi incluída no Cadastro de Empregadores flagrados explorando trabalhadores em situação análoga à de escravos, conhecido como Lista Suja em julho deste ano.

As situações análogas à de trabalho escravo são mais facilmente encontradas em propriedades rurais, como no caso da fazenda Nova Fronteira, de Antônio Carlos Martin, localizada em São Mateus, no norte do Estado e que teve 75 trabalhadores libertados. Os trabalhadores foram arregimentados na Bahia, fora das condições previstas por lei. Além de Antônio Carlos Martin, que é reincidente na Lista Suja, também continua na listagem Peris Vieira de Gouvêas, sendo ambos incluídos na Lista Suja de dezembro de 2010.

No caso de Peris, uma operação do Ministério Público do Trabalho (MPT), em parceria com a Polícia Federal (PF), resgatou seis trabalhadores que trabalhavam em condição de escravidão na fazenda, no dia 16 de março de 2009.

O resgate foi feito após denúncia de um dos trabalhadores, um adolescente que conseguiu fugir da fazenda após ser agredido. Ele denunciou o regime ao Conselho Tutelar do município. A investigação da PF e do MPT constatou que os trabalhadores viviam em condições subumanas na Fazenda Jerusalém, e a surpresa foi que isto acontecia em uma área muito próxima à cidade.

Crime eleitoral

O deputado federal Camilo Cola já enfrenta processo no Supremo Tribunal Federal (STF) por captação ilícita de votos. A ação foi gerada pela descoberta de que o deputado teria comprado votos na sua primeira eleição à Câmara de Deputados, em 2006.

A operação João de Barro, da Polícia Federal, deflagrada no dia 20 de junho de 2008, em Cachoeiro de Itapemirim, com o objetivo de apreender documentos sobre desvio de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, acabou descobrindo em uma das gavetas da prefeitura do município um esquema de compra de votos capitaneado pelo deputado.

A estimativa que o montante de dinheiro aplicado na compra de votos gire em torno de R$ 7 milhões. O funcionamento do esquema envolvia deputados, vereadores e cabos eleitorais de norte a sul do Estado. Parte do dinheiro era repassado a candidatos a deputado estadual, que por sua vez o distribuíam para os vereadores.

A operação gerou um inquérito policial e o Ministério Público Eleitoral (MPE) denunciou o caso, que acabou parando no Supremo. O último movimento do processo foi no dia 16 de setembro, quando os autos, com seis volumes retornaram ao relator  ministro Joaquim Barbosa.

Leia mais sobre o caso:

O caixa dois do Camilo