Golpe: a história começa a ser contada
 
Publicado em 03-Dez-2010
Presidente começa a falar de golpe tentado contra seu governo...
Image
presidente Lula
A exatos 29 dias de sua saída do governo, o presidente Lula, ao despedir-se nesta 5ª feira (ontem) do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) no Palácio do Planalto, voltou a lembrar a tentativa de golpe impetrada pela oposição contra seu governo em 2005, quando da crise do chamado mensalão.

Fracassada a tentativa, debelados os riscos e com a democracia, as instituições e o seu governo estabilizados, o presidente da República começa a abordar o assunto e a revelar detalhes daquela crise que não chegaram à opinião pública em toda a sua extensão naquele período.

Por isso ele tratava pela 2ª vez em uma semana - na véspera falara do assunto no Maranhão - da questão. Na despedida aos integrantes do CDES (empresários e representantes de organizações e instituições da sociedade), o presidente Lula agradeceu a participação dos conselheiros, principalmente aos que continuaram no colegiado.


Agradecimentos aos que resistiram às pressões


O presidente Lula lembrou que quando foi criado em 2003, o Conselho chegou a ser acusado de ameaçar os poderes do Legislativo. Ele não mencionou nomes, mas agradeceu especialmente àqueles que, apesar de todo o escândalo forjado, continuaram participando do órgão.

"Eu quero agradecer, sobretudo - destacou - àqueles companheiros que eram do Conselho e que, no auge da crise de 2005, naquela tentativa de golpe que se tentou dar no Brasil, nele permaneceram". O presidente justificou, ainda, que pela delicadeza do assunto, até agora nunca falava a respeito.

"Vocês não desistiram do Conselho. Não misturaram o trabalho que estavam fazendo para o Brasil com a vinculação com o governo. Conseguiram separar e isso foi extremamente importante para mim, que era o presidente da República mas, sobretudo, para o país. Vocês eram o lado sereno da sociedade, que não se permitia enganar com determinado tipo de discurso. Acho que fizemos uma travessia extraordinária", analisou o presidente Lula.

Foto: Antonio Cruz/ABr
 
PS: Eu adoro ouvir a voz do Zé. BOTAPRAQUEBRAR. Bjao