Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?

Como participar da campanha pela DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA?
LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA KIT COLETA Todo cidadão/cidadã pode buscar voluntariamente as assinaturas para o projeto. Disponibilizamos abaixo um kit com o material necessário para o diálogo nas ruas.

Seguidores

sexta-feira, 22 de maio de 2015

FARC y ELN coinciden en la necesidad de construir un gobierno democrático

FARC y ELN coinciden en la necesidad de construir ungobierno democrático

La reunión desarrollada en La Habana hace parte
 de varias jornadas de trabajo entre las 
comandancias de las guerrillas colombianas, 
con el objetivo de intercambiar propuestas
 sobre la paz y la unidad. Si bien se evidencia su...

Enviado por Dick Emanuelsson

quarta-feira, 20 de maio de 2015

O BRASIL EM COMPASSO DE ESPERA

Antes que alguém  me indagasse se desistira de remar contra a corrente, aqui vim, mesmo não tendo algo de novo para dizer.

O noticiário é que me inspira --ou não. Assim, em fases de estagnação como a atual, sinto-me qual  peixe fora d'água.

Que importância, tem, p. ex., a confirmação de mais um ministro do STF suspeito de inadequação para o posto? Conseguirá Fachin ser pior do que o fanático religioso Cezar Peluso, o tendenciosíssimo Gilmar Mendes e o tudo-que-há-de-ruim-concentrado-numa-pessoa-só Dias Toffoli? Duvido.

Dilma Rousseff, tendo vendido a alma ao capital para se manter presidenta, colhe os frutos da barganha: percebe-se claramente que de nossas viciadas e viciosas instituições não partirá a iniciativa de desalojá-la do Palácio do Planalto, já que a capitulação aos realmente poderosos teve menor custo e garante os mesmos benefícios. Vai continuar envergando a faixa presidencial --melhor seria uma coroa igual à da rainha da Inglaterra-- enquanto Joaquim Levy governa a economia, em benefício dos exploradores e arrancando o couro dos explorados.

Assim, mudança só haverá se as ruas determinarem. E isto vai depender do agravamento da recessão que ora amargamos. A partir de agosto, depois das férias escolares, saberemos se o povo brasileiro vai se conformar com mais um ajuste fiscal iníquo ou, desta vez, não pagará a conta de um banquete do qual viu apenas as migalhas. 

Se há alguma esperança nos expoentes de esquerda que trafegam pelas vias da política oficial, está em Lula, Tarso Genro, Guilherme Boulos e que tais. Quanto aos que agora passaram a rezar pela cartilha do Milton Friedman, temo que estejam perdidos para sempre. Atravessaram o Rubicão.

A opção pelo neoliberalismo não destrói a esquerda somente no presente, vai deixá-la sem credibilidade por muitos e muitos anos. O impeachment seria melhor. 

Qualquer coisa, menos uma nova ditadura, seria melhor, do ponto de vista de quem quer acumular forças para a revolução, não apenas conciliar pelo máximo de tempo possível os (no longo prazo), inconciliáveis interesses do capital e trabalho.

Quanto mais vejo o Brasil de hoje, mais me convenço de que tudo o que havia para se dizer sobre este gigante eternamente apequenado, o Glauber Rocha já disse em Terra em Transe (clique p/ ver o filme completo). 

Até quando continuaremos negando fogo nos momentos decisivos? Até quando deixaremos que nos soquem pacotes recessivos goela adentro?

Quisera estar confiante de que, desta vez, no pasarán. Não estou. 

Sei apenas que no próximo semestre o povo brasileiro decidirá se se manterá abúlico como abúlico quase sempre foi, ou se vai finalmente tomar o destino em suas mãos.

OUTROS TEXTOS RECENTES DO BLOGUE NÁUFRAGO DA UTOPIA (clique p/ abrir):

terça-feira, 19 de maio de 2015

Comemoremos os 120 anos(da passagem) de Jose Marti 'A melhor maneirade ser livre é ser culto.'

Comemoremos os 120 anos(da passagem) de Jose Marti
Foto de Fernanda Tardin Tardin.

'A melhor maneirade ser livre é ser culto.'
José Martí

A Proposta é de recordar Jose Martí. Vamos?
O Busto(foto) de Jose Marti, foi doado a UFES pelo então 
governador Vitor Buaiz (foto) e Homero Mafra .
Hoje, numa consulta a Ivete Martinez, a Consulesa de Cuba
 no Brasil, falamos do busto e do projeto que a Calles tem
 para faze-lo mais visível e conhecido na UFES .
Nós da CALLES,que temos a UFES uma grande parceira 
e aliada, iniciamos uma conversa com a profª e pró Reitora,
aguarda que a pró reitora retorne das férias para a continuidade da conversa.

Enquanto isto...vamos de poesia?:
.
'Quem não se sentir ofendido com a ofensa feita a outros homens,
 quem não sentir na face a queimadura da bofetada dada noutra face,
 seja qual for a sua cor, não é digno de ser homem.'
José Martí


 
.
Descurtir · Comentar ·   · 35

Presidente da CUT assume posição de independência em relação a Nunes

Presidente da CUT assume posição de independência em relação a Nunes

18/05/2015às 13:43
Integrantes de movimentos sociais, filiados ao PT e lideranças de outros partidos de esquerda se reuniram no último sábado (16) na Etapa Livre do 5º Congresso Nacional do PT para debater a atual conjuntura do País, o enfrentamento ao conservadorismo crescente; as reformas estruturais que podem unir a esquerda, partidos e movimentos sociais; e as formas de conquistar essas reformas na democracia atual.

A Etapa Livre em Vitória foi mais uma prévia do 5º Congresso nacional do PT, que vai ser realizado de 11 a 13 de junho em Salvador, Bahia. Durante o evento os delegados do partido vão discutir e deliberar sobre a atualização do projeto partidário, os desafios dos novos tempos, a situação nacional e internacional, as perspectivas de avanço do projeto político e a renovação do modelo de organização do PT, além da aprovação de um plano de ação partidária para os próximos anos.

A presidente da Central Única dos Trabalhadores no Estado (CUT-ES), Noêmia Simonassi, esteve no encontro livre. A sindicalista – oriunda do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado (Sindiupes) – foi alçada ao posto automaticamente com o afastamento do então presidente, o deputado estadual Luiz Carlos Nunes (PT), que disputou a venceu a eleição para deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores.

Apesar de ser ligada ao deputado, o mercado já diz que Noêmia já toma uma posição de independência em relação ao antecessor. Embora Noêmia não tenha se afastado de Nunes, ela passa a gerir a entidade de acordo com o pensamento da atual diretoria daCUT.

A central sindical é, inevitavelmente, dominada politicamente e, no Estado, sempre teve influencia direta do deputado Nunes (que presidiu a CUT por três mandatos). Nunes, que é ligado politicamente ao atual secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, João Coser, apoiou a candidatura de Paulo Hartung na disputa ao governo e era considerado um aliado estratégico para o governador. No entanto, em 2015, Coser e Nunes, ao apoiar o governo, assumiram posições políticas que podem se tornar opostas à pauta do partido e, consequentemente, da CUT.

Quando o partido entrou para o atual governo Paulo Hartung houve reação interna. Enquanto João Coser assumiu a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), a Nunes foi prometida a Secretaria de Trabalho, que seria criada para acomodá-lo. A promessa acabou não sendo cumprida por Hartung, que preferiu se distanciar do PT com a queda vertiginosa de popularidade da presidente Dilma.

As posições das duas lideranças petistas amarradas ao governo, em uma possível reforma do partido, colocaria Coser e Nunes em posição desconfortável em relação às novas diretrizes de luta do PT e da CUT. Nesse cenário, Nunes perderia influência ao tentar trabalhar a pauta da CUT para evitar conflito com o governo, perdendo também espaço e controle sobre as manifestações dos trabalhadores.

O encontro envolveu principalmente correntes ligadas à Articulação de Esquerda e à Construindo um Novo Brasil para discussão ampla da conjuntura política e social atual. Em se tratando de PT, membros ligados à Alternativa Socialista – representada por João Coser – também marcaram presença, além de membros do PCdoB. 
 
 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

LOUCURA NAO SE PRENDE 18 de maio – Dia Nacional da Luta Antimanicomial

Imagem Site CAPS de Formiga


Campanha CEPAD- UFES
18 de maio – Dia Nacional da Luta Antimanicomial
Todos os anos no dia 18 de maio comemora-se o dia nacional da Luta Antimanicomial.
Esse movimento tem como objetivo mostrar para a sociedade a luta pelos direito das pessoas com sofrimento mental com o seguinte lema: “Por uma sociedade sem manicômios”. 
A marcha teve inicio no final da década de 70, onde começou a luta pela desinstitucionalização (o fim das instituições manicomiais). Isso ocorreu devido os abusos praticados pelos profissionais aos usuários e também pelo fato de exclusão social dos mesmos.
Este dia vem para relembrar outras possibilidades de tratamento para com os usuários. Salientar que estes não precisam ser excluídos do convívio familiar e social para sua eficiência.
Esta é a meta do movimento, o fim de todas as instituições manicomiais e suas substituições por serviços de saúde aberto com atenção à saúde mental que amparem tanto o usuário como sua família.
Para obter maiores informações acesse o site do Centro de Estudo e Pesquisa sobre Álcool e outras Drogas (CEPAD): http://www.cepad.ufes.br/ ou pelo e-mail: cepad.ccs.ufes@gmail.com

sábado, 16 de maio de 2015

ACREDITE QUEM QUISER: REINALDO AZEVEDO CHAMOU LULA DE "VELHO REACIONÁRIO"!

O velho revolucionário que vos escreve considera extremamente grosseiro o tratamento dado por Reinaldo Azevedo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao referir-se a ele, em seu artigo semanal para a Folha de S. Paulo, como "velho reacionário". A inversão de valores me fez lembrar os golpistas de 1964 tentando colar naquela quartelada infame o rótulo de "revolução"...

Ao mesmo tempo em que rasgava seda para FHC, afirmando que ele "fala a um país nascente", "com discrição e sem pretensões de exercer alguma forma de liderança", a versão genérica do corvo Carlos Lacerda pintou Lula como um "chefão petista [que] vaga por aí como alma penada, sem se dar conta de que a sua militância já é coisa do passado"

Quem acompanha meu trabalho sabe muito bem que não me alinho automaticamente com as posições do Lula. Mas, quando RA o ataca por conclamar as bases do PT e a CUT a reagirem ao festival de neoliberalismo que assola o Palácio do Planalto, a coerência me coloca (como sempre, aliás) em posição diametralmente oposta à dele: para mim, ao rechaçar firmemente a capitulação total do Partido dos Trabalhadores à ortodoxia econômica do patronato, Lula vive o seu melhor momento desde que deixou o poder. 

E, ao tentar salvar da mais completa descaracterização a agremiação que ele (e não a ex-pedetista Dilma Rousseff) criou, Lula está também evitando que o cidadão comum passe a encarar a esquerda como farinha do mesmo saco do amoralismo, oportunismo e fisiologismo que sempre caracterizaram a política brasileira. 

RA está hor-ro-ri-za-do com o ressurgimento do Lula combativo de outrora:
"Agora ele anuncia uma cruzada para mobilizar as esquerdas e os movimentos sociais em defesa do PT. A agitação sindical que promove, e não alguma suposta conspiração de Eduardo Cunha, derrotou o governo na votação sobre o fator previdenciário".
Mas, o PT tem mesmo de ser defendido do desespero da presidenta Dilma, que tenta escapar do impeachment tornando-o desnecessário, ao fazer tudo que a direita faria se chegasse ao poder, e ainda mais. 

A derrota do governo na votação sobre o fator previdenciário foi, isto sim, uma luz no fim do túnel, abrindo a perspectiva de que as medidas anti-sociais do pacote recessivo não sejam, no frigir dos ovos, aprovadas. 

Pois, se aprovadas, farão a atual recessão evoluir para depressão, infligindo sofrimentos inimagináveis aos explorados. Não estamos na Europa, aqui os coitadezas morrem de fome!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Cunha foi 'destinatário' de propina, diz Youssef

BICHO ESCROTO SAINDO do ESGOTO

O doleiro Alberto Youssef afirmou na quarta-feira, 13, à Justiça Federal 
que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), era um dos
 "destinatários finais" da propina de cerca de R$ 4 milhões em contratos
 de navios-sonda da Petrobras investigados pela Operação Lava Jato.

O doleiro reafirmou sua versão de que Cunha foi o mentor de 
requerimentos feitos na Câmara para pressionar a empresa Mitsui, 
que não estaria pagando a propina em 2011. Ele disse que foi procurado
 pelo executivo Julio Camargo após estes requerimentos. "Fui chamado
 em 2011 pelo Julio Camargo no seu escritório, onde ele se encontrava
 muito preocupado e me relatou que o Fernando Soares, através do 
deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), havia pedido alguns requerimentos
 de informações referentes aos contratos da Mitsui, da Toyo e do 
próprio Julio Camargo, através de outros deputados", relatou ao juiz Sérgio Moro.

"Quando o senhor conversou com Julio Camargo ele falou quem eram os 
beneficiários das operações? Ou ele só falou no Fernando Soares?", perguntou
 o magistrado. O doleiro respondeu: "Falou no Fernando Soares e contou a
 história da pressão que o Eduardo Cunha estava fazendo para que ele pudesse
 pagar o Fernando Soares, dando entendimento que esse valor fosse também 
na época para o deputado." 

Mais tarde, questionado pelo seu advogado sobre quem seriam os 
"destinatários finais" desta propina, Youssef reiterou ter ouvido de Camargo
 que eram "Fernando Soares e Eduardo Cunha".

Questionado, Youssef também confirmou que as propinas eram relativas aos 
contratos de navios-sonda.

Fernando Baiano, Julio Camargo e o ex-diretor de Internacional Nestor Cerveró
 são réus em processo sobre suposto pagamento de US$ 30 milhões em 
propinas na contratação de duas sondas de perfuração para exploração de 
petróleo. O presidente da Câmara vem negando com veemência o envolvimento
 no esquema de desvios na Petrobras.> >No fim do mês passado, o ex-diretor 
da área de informática da Câmara Luiz Antonio Souza da Eira disse em 
depoimento a procuradores e à Polícia Federal, um dia após ser demitido por 
Cunha, que a versão inicial do requerimento da auditoria do sistema de
 informática da Câmara foi gerada com a senha, "pessoal e intransferível", 
de Cunha. O documento final foi apresentado pela ex-deputada
 Solange Almeida (PMDB-RJ).

Silêncio

Em seus depoimentos, o ex-diretor de Internacional da Petrobras 
Nestor Cerveró e Fernando Baiano adotaram o silêncio diante de Moro.